Assine hoje a revista Ultimato

Posts tagged Universidade de Stanford

Como o cérebro funciona durante o vestibular?

0
Durante o vestibular, as áreas mais nobres do cérebro são ativadas (Foto: Thinkstock)

Durante o vestibular, as áreas mais nobres do cérebro são ativadas (Foto: Thinkstock)

Publicado na Galileu

A organização do cérebro humano não é estática. Suas conexões se movimentam o tempo todo, de acordo com a atividade a ser realizada. Foi essa conclusão a que chegou uma pesquisa feita por cientistas da Universidade de Stanford. Durante testes de memória, por exemplo, identificaram que a atividade cerebral ocorreu de forma mais integrada com relação ao estado de repouso. E, quanto maior a rapidez e a precisão na realização da tarefa, mais integrado o cérebro parecia.

Imagine, então, o nível de atividade cerebral durante uma prova de vestibular, em que a pressão e a ansiedade são constantes. “Nesta situação, não apenas o cérebro reage, mas ele se comunica com outros órgãos do corpo, o que denominamos de eixos. Existe o eixo hipotalámo-hipófise-supra-renal, por exemplo, que fica mais ativado frente a uma situação estressante.

Essa ativação leva à produção de noradrenalina, aumenta a pressão arterial, a frequência cardíaca e respiratória e há aumento também do cortisol que, em excesso, pode prejudicar, inclusive, a nossa capacidade de memorizar”, explica Flavio Shansis, médico psiquiatra e professor da Graduação em Medicina na Unisinos. Talvez seja por isso que tanta gente tem “branco” no momento da prova.

De acordo com ele, as áreas ditas mais nobres do cérebro são ativadas durante o vestibular, dentre as quais o corte pré-frontal é bem importante. “Existem áreas mais relacionadas à memória, ao processamento de dados, que são mais estimuladas quando colocadas em demanda.

Estudos mostram que áreas nobres, como o corte pré-frontal, por exemplo, são ativadas quando são desafiadas, e isso é mostrado em exames de neuroimagem funcional. Portanto, provavelmente, no momento de uma prova, essas e outras áreas serão mais demandadas”, explica Shansis. Áreas da memória, como o hipocampo, também podem ser mais ativadas em situações que requeiram evocação de conhecimentos anteriormente adquiridos, que é o caso do vestibular.

E como as conexões cerebrais não são estáticas, é possível aprimorá-las para obter um melhor desempenho no vestibular. A leitura e os exercícios de memória podem não apenas aumentar as conexões, como torná-las mais eficientes. Dormir bem também é fundamental, pois a falta de sono diminui a criatividade, a concentração, o aprendizado e a capacidade de planejar e resolver problemas, deixando o raciocínio lento.

Veja, a seguir, quais partes do cérebro são acionadas durante o vestibular.

glab_unisinos_galileu_01

Conheça os benefícios da leitura para crianças e idosos

0
Hábito estimula imaginação, aumenta o vocabulário e faz o cérebro trabalhar maisSC - Rio de Janeiro - 01/09/2017 - Bienal do Livro de 2017 no Rio Centro. Foto Gustavo Miranda/ Agencia O Globo Foto: Gustavo Miranda

Hábito estimula imaginação, aumenta o vocabulário e faz o cérebro trabalhar maisSC – Rio de Janeiro – 01/09/2017 – Bienal do Livro de 2017 no Rio Centro. Foto Gustavo Miranda/ Agencia O Globo

Evelin Azevedo, no Extra

A cada dois anos, os corredores do Riocentro, na Barra, recebem centenas de apaixonados pela leitura. Pessoas de todas as idades vão de estande em estande da Bienal do Livro à procura de novas histórias e aventuras. E fazem muito bem para si mesmas: além de ser uma maneira prazerosa de passar o tempo, ler é uma atividade que traz benefícios à saúde, especialmente de idosos e crianças.

Estudos realizados pela Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, e pela Unidade de Neuroimagiologia Cognitiva do Instituto Nacional Francês de Saúde e Pesquisa Médica comprovam que quem tem o hábito da leitura possui maior capacidade de entender, generalizar e sintetizar conteúdos.

Para os idosos, principalmente, é um excelente “remédio”, pois estimula o cérebro a se manter ativo.

— Na terceira idade, a leitura é utilizada como exercício para a memória. Nessa fase é natural que ocorram perdas neurológicas e, por isso, ler contribui para que os neurônios mantenham-se ativos. Quando o idoso apresenta quadros demenciais, a leitura é utilizada como ferramenta de estímulo aos neurônios remanescentes — explica a psicóloga Tahiana Baptista.

Para as crianças, além de ajudar na concentração e atenção, os livros ainda incentivam a imaginação e o pensamento crítico.

— Por meio dos livros, as crianças têm contato com culturas diferentes. A leitura possibilita uma ampliação na visão de mundo. Quando a criança começa a comparar a realidade dela com o que leu, ela desenvolve sua capacidade crítica — comenta a escritora especializada em literatura infantil Janine Rodrigues.

Os benefícios impactam também no aprendizado. Ler constantemente enriquece o vocabulário e ajuda na escrita.

— Não à toa, quem lê muito, em geral, escreve de maneira mais correta — pontua Janine.

Leitura melhora as habilidades cerebrais, apontam pesquisas

0
Fonte: Shutterstock

Fonte: Shutterstock

 

Habilidades cerebrais, como compreender e sintetizar textos, são aprimoradas com a ajuda da leitura

Publicado no Universia Brasil

Nesta semana, foi comemorado o Dia Nacional da Leitura, instituído pela Lei nº 11.899 e que tem como objetivo estimular esse hábito no País. Além de aumentar o conhecimento e transportar os leitores para outras épocas e mundos, ler um bom livro, um artigo de revista ou até uma matéria interessante na internet pode te deixar mais inteligente.

Estudos da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, e do Instituto Nacional Francês de Pesquisa Médica, na França, comprovaram que a leitura faz muito bem para o cérebro. As duas pesquisas utilizaram máquinas de ressonância magnética para analisar a atividade cerebral das pessoas enquanto liam um livro.

Em Stanford, um grupo de voluntários foi observado enquanto lia um romance de Jane Austen, importante escritora britânica, considerada a primeira romancista da língua inglesa. Os pesquisadores pediram aos leitores que primeiro realizassem uma leitura mais prazerosa da obra e depois uma mais analítica. O resultado apontou que ler é, de fato, uma academia para o cérebro, pois estimula a circulação na região, melhora na concentração e também de compreensão de texto.

Quem pratica mais a leitura, com o passar do tempo, consegue perceber melhorias na capacidade de decifrar, entender, generalizar e sintetizar conteúdos, habilidades que são bastante necessárias para realizar algumas tarefas básicas do dia a dia.

Em entrevista ao portal do Ministério da Educação (MEC), a escritora e doutora em linguística aplicada Lucília do Carmo Garcez disse que a leitura é fundamental para o desenvolvimento do ser humano, pois promove uma “expansão” do cérebro.

Há mais de duas décadas, Lucília escreve livros infantis e, para a especialista, é extremamente importante estimular o hábito da leitura desde cedo, levando os pequenos a bibliotecas e também eventos, como feiras do livro. “É preciso que as crianças vejam os leitores lendo e que sejam motivadas a procurar leituras com respostas às indagações interiores que elas têm”, disse a escritora ao portal de notícias do MEC.

Modelo Tyra Banks dará aulas sobre criação de marcas para alunos da universidade de Stanford

0
A modelo Tyra Banks vai dar aulas de criação de marca na universidade de Stanford - Reprodução/Instagram/tyrabanks

A modelo Tyra Banks vai dar aulas de criação de marca na universidade de Stanford – Reprodução/Instagram/tyrabanks

 

Publicado no Folha de S.Paulo

Conhecida por apresentar o reality “America’s Next Top Model”, na televisão americana, e por sua longa carreira como supermodelo internacional, Tyra Banks dará aulas na tradicional universidade de Stanford, nos EUA.

Por duas semanas, em maio de 2017, ela ministrará um curso de criação de marca pessoal para 25 alunos do MBA em administração de empresas da instituição.

No curso, os estudantes vão aprender, entre outras coisas, como usar as redes sociais e os meios de comunicação para mostrar seus pontos fortes e como lidar com as críticas que podem receber.

No fim do projeto, os alunos precisarão mostrar as marcas que criaram pelo recurso de vídeo ao vivo do Facebook, pelo YouTube ou por algum canal de TV local.

As aulas serão dadas junto com Allison Kruger, um dos produtores do reality show comandado pela modelo.

Quando perguntada sobre as broncas que dá nas candidatas a modelo no programa dos EUA, Banks disse que é bom seus alunos estarem preparados. “Se alguém não estiver prestando atenção, vou dar uma bronca”, afirmou a modelo ao jornal “Wall Street Journal”.

Literatura ensinará robôs os fundamentos do comportamento humano

0

naom_53b58d4d9a6c8

O método parece responder à necessidade de ensinar rapidamente as inteligências artificiais.

Publicado no Notícias ao Minuto

Uma equipe de investigadores da Universidade de Stanford desenvolveu uma forma rápida e eficaz de ensinar aos robôs sobre o comportamento humano tendo como base obras de ficção.

Para testar o método os investigadores deram a estes robôs acesso à comunidade de escrita online Wattpad e às suas mais de 600 mil obras de ficção da base de dados, sendo que depois de carregados com esta informação os robôs foram capazes de prever o comportamento certo mediante determinada ação com uma taxa de sucesso de 71% enquanto na identificação de objetos e pessoas conseguiram 91%.

“Muitos mais de milhões de palavras, estes padrões mundanos [nas reações de pessoas] são muito mais comuns que as suas partes contrárias dramáticas. As personagens de ficção moderna ligam as luzes antes de entrarem em divisões; reagem a elogios ao corar e não atendem chamadas enquanto estão em reuniões”, partilhou a equipe no seu estudo de acordo com o Engadget.

Go to Top