BKO WAVE SAÚDE

Posts tagged Veja

Os 10 livros mais vendidos da Flip 2018

0

 

Hilda Hilst e Djamila Ribeiro estão no topo da lista de livros mais vendidos da Travessa, a livraria oficial

Maria Fernanda Rodrigues, na Folha de S.Paulo

Autora homenageada da 16.ª Festa Literária Internacional de Paraty, Hilda Hilst foi a best-seller na Livraria da Travessa, a loja oficial da Flip 2018.

Até as 16h45 deste domingo, último dia de festa, Júbilo, Memória e Noviciado da Paixão estava no topo da lista, com mais de 500 exemplares comercializados.

O livro de Hilda era seguido por O Que é o Lugar da Fala, de Djamila Ribeiro, e por O Sol na Cabeça, de Geovani Martins.

Entre os 10 best-sellers está Bráulio Bessa, que autografou no evento, mas não estava na programação oficial.

A Companhia das Letras domina a lista, com 5 títulos, os outros foram publicados por editoras variadas – uma delas, a independente Malê.

Veja a lista dos 10 livros mais vendidos da Flip
Júbilo, Memória e Noviciado da Paixão, de Hilda Hilst (Companhia das Letras)
O Que é o Lugar da Fala?, de Djamila Ribeiro (Letramento
O Sol na Cabeça, de Geovani Martins (Companhia das Letras)
Canção de Ninar, de Leila Slimani (Tusquets/Planeta)
Quem Tem Medo do Feminismo Negro?, de Djamila Ribeiro (Companhia das Letras)
De Amor Tenho Vivido – 50 Poemas, de Hilda Hilst (Companhia das Letras)
Poesia Que Transforma, de Bráulio Bessa (Sextante)
Era Uma Vez Uma Mulher Que Tentou Matar o Bebê ad Vizinha, de Liudmila Petruchévskaia (Companhia das Letras)
Memórias de Porco-espinho, de Alain Mabanckou (Malê)
Caderno de Memórias Coloniais, de Isabela Figueiredo (Todavia)

Veja alguns livros que serão lançados na Bienal de 2018

0

Imagem: Divulgação / Rocco

Andreza França, no Beco Literário

Que a Bienal do Livro é o evento literário mais importante e que mais atrai leitores no país todo mundo sabe. A Bienal, que vai de 03 a 12 de agosto no Pavilhão de Exposições do Anhembi em São Paulo, contará com uma vasta programação bastante diversificada e tem presença confirmada de muitos autores que estão sendo muito esperados. Alguns deles lançarão novas obras, vem ver!

Tessa Dare é aguardada com muita ansiedade pelos fãs. A romancista americana, autora da série “Castles Ever After”, virá ao Brasil para lançar o quinto e último volume da sua primeira série, “Spindle Cove”: “Como se livrar de um escândalo”. Tessa estará na Bienal no dia 04 de agosto e promete agitar o evento.

Marissa Meyer, autora de Crônicas Lunares, estará na Bienal no dia 12 de agosto lançando sua obra, “Sem Coração”. No livro descobriremos acontecimentos do passado da Rainha de Copas que fizeram com que ela se tornasse o pior pesadelo do País das Maravilhas. Quem está ansioso para ler?

Apesar de não ter sido aclamada no lançamento, a série “Escola do Bem e do Mal” fez bastante sucesso entre seus leitores. Com três livros já lançados no Brasil, Soman Chainani estará na Bienal no dia 10 de agosto e a expectativa é que traga consigo o quarto livro da série, que terá um total de cinco volumes. (Leia nossas resenhas clicando aqui).

No dia 08 de agosto, o autor Charlie Donlea estará na Bienal para lançar seu livro “Don’t believe it”. Charlie, muito conhecido pela literatura de terror e suspense, promete causar arrepios e calafrios nos leitores do início ao fim desse thriller emocionante.

Mas não só de literatura internacional viverá o visitante da Bienal. Teremos no dia 11 de agosto o lançamento da fotobiografia de Fernanda Montenegro, intitulado “Fernanda Montenegro: Itinerário fotobiográfico”. A obra conta toda a trajetória da carreira e vida pessoal da atriz através de imagens. Os fãs de televisão, cinema e teatro brasileiros já podem comemorar.

Após o sucesso do livro “Vamos pensar um pouco?” Maurício de Sousa e Mario Sergio Cortella estarão na Bienal também no dia 11 de agosto lançando seu novo livro “Vamos pensar + um um pouco?”. O livro, ilustrado com a Turma da Mônica, propõe momentos de reflexão e de observar as coisas de maneiras diferentes. E então, vamos pensar mais um pouco?

Eles que agitaram muito nas telinhas durante anos lançam seu novo livro, “Brasil do Casseta – Nossa história como você nunca riu”, no dia 09 de agosto. A obra do Casseta & Planeta garantirá muita risada de fazer a barriga doer.

Teremos ainda na Bienal outros lançamentos de autores nacionais, desde romances até antalogias. No dia 03 de agosto, a autora Myrna Andreza lançará seu segundo romante, “Até o fim” no estande da 3DEA. No dia seguinte, no estande da Eu leio livros, a antalogia “Sereias: Encantos e perigos” será lançada pela editora Delirium. Muitos outros autores nacionais estarão publicando e lançando livros pela primeira vez na Bienal.

Agora que você sabe pelo o que esperar, já pode ir reservando economias e um espacinho na mala para voltar para casa recheado de livros novos e se você ainda não garantiu seus ingressos, corre que dá tempo. Que a Bienal seja um momento de muita diversão e aprendizado para todos.

Veja dicas para otimizar o tempo de leitura

0

Isabel Costa, no Leituras da Bel

Você gostaria de ter mais tempo para realizar leituras mas parece ficar perdido entre tantos livros e capítulos atrasados? É um sentimento comum. Queremos ler mais obras e os outros compromissos da vida acabam boicotando nossa rotina leitora. Ao longo da vida, eu aprendi algumas técnicas para otimizar o tempo de leitura. São atitudes pouco complexas, de fácil execução. Cada minuto dedicado ao livro é um avanço, sim! Afinal, é de página em página que um livro é terminado.

Foto: Sara Maia

Tempo de leitura

1. Carregue sempre um livro com você para momentos ociosos – como espera em consultórios médicos e filas. Você vai aprender que os exemplares de bolso são salvadores!

2. Estabeleça um horário fixo para realizar a leitura de algumas páginas a cada dia. Algumas páginas lidas antes de dormir garante a sensação de “dever cumprido” e um sono bom.

3. Participe de desafios literários. É possível encontrar diversas modalidades no instagram. Os leitores se propõem a ler determinado gênero ou autor e avançam juntos na leitura.

4. Busque um clube de leitura – Fortaleza tem dezenas! – e compartilhe as suas impressões. Saber que terá outras pessoas para conversar ajuda na disciplina da leitura e na finalização.

5. consegue terminar um romance longo e fica frustrado? Tente os livros de crônicas ou de contos, que são textos mais enxutos e podem ser lidos de uma só vez.

6. Esqueça o celular nos momentos de leitura. Eu coloco o celular no modo avião e “adeus mundo exterior”.

7.Não se cobre em excesso. A leitura é uma atividade particular e cada pessoa tem um ritmo.

Como ajudar seu filho a ser um apaixonado pelos livros

0

Se os pais gostam de ler, a tendência é a criança desenvolver esse hábito também desde cedo. Veja mais dicas

Paula Strange, na Gazeta Online

Quando a gente vê uma criança com os olhos vidrados na telinha do celular ou do tablet, imagina que deve ser difícil convencê-la a abrir um livro. Felizmente, vemos por aí uma garotada que mal aprendeu a ler e já ama literatura.

São meninos e meninas que descobriram cedo a companhia dos livros e se divertem com doces personagens, como porquinhos, lobos, princesas e dragões. Um universo que aprenderam a explorar desde bebês, graças a seus pais e professores.

A pequena Maria Clara fazendo leitura com seus pais, Letícia Nalin Lemos e Luis Gustavo Britto Vieira

Contadora de histórias há 15 anos, Dalisa Miranda garante que as páginas são capazes de encantar bebês de colo ainda. “Até os dois anos e idade, contamos historinhas com enredos bem simples e até sem enredo. Basta ter um livro com ilustrações interessantes e caprichar na entonação”, diz ela, que atua em escolas de educação infantil em Vitória.

Imaginação

Nem sempre é preciso ter um livro em mãos, segundo Dalisa, para envolver os pequenos nesse mundo de imaginação: “Os adultos podem usar histórias que já conhecem e incrementá-las como quiserem”, indica.

Não é de hoje que médicos receitam livros para os pequenos pacientes. Em 2015, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) lançou uma campanha para divulgar a importância da leitura para o desenvolvimento infantil, divulgando evidências científicas sobre o impacto desse hábito na vida das crianças.

No ano passado, o jornal “Pediatric Academic Societies Meeting” publicou uma pesquisa que apontou que a proximidade das crianças com os livros ainda na primeira infância pode aumentar as habilidades delas com o vocabulário e a leitura nos anos seguintes.

Para o jornalista e escritor infanto-juvenil Vitor Lopes, a leitura é um exercício bom para ser praticado em família mesmo. “Crianças cujos pais leem têm de tudo para se tornarem leitoras”, afirma ele, autor de “Encolhe, tempo”, lançado em 2011 e que teve mais de 20 mil exemplares vendidos.

Os adultos, diz o autor, não devem subestimar os pequenos leitores. “Eles gostam de bons conteúdos, independente da idade. Não dá para enganar a criança, que têm que ser tratada com respeito intelectual. O livro não precisa ter um texto bobo, infantiloide. O ideal é que tenha palavras que ela não conhece. Porque é um desafio mesmo. A arte é feita para desafiar. Isso desde cedo. O livro prepara para a vida!”, destaca.

Na casa da Maria Clara, de 9 anos, os livros têm um lugar especial. “Antes de nascer ela já tinha livros! Livro de morder, de levar para o banho… E ela foi se habituando e foi uma das primeiras da turma a aprender a ler”, conta a mãe da menina, a arte-educadora Letícia Nalin Lemos, 40 anos.

Mesmo livrinhos de tecido ou borracha já ajudam a criança a descobrir o prazer de ler e ouvir histórias, segundo Lopes: “Há bons livros de banheira, com boas ilustrações, cheios de cores. Parece simplório, mas não é”.

O importante é estimular de várias formas o contato literário. “O livro tem que estar presente em casa, mesmo que seja para decoração, um objeto para ficar visível”, sugere o escritor.

Acesso

“Maria Clara sempre teve livros à disposição, tudo que a gente entendia que era importante para a vivência dela. Achamos que a leitura é importante para o lado cognitivo, ajuda na formação da cidadania, no imaginário, a ter opinião, ganhar argumentos”, comenta o pai, o servidor público Luis Gustavo Britto Vieira, 35 anos.

“Gosto muito de ler! E cada dia tem que ser uma história diferente”, diz o esperto Nycolas que, aos 6 anos, já tem uma coleção de livros em casa.

 

É uma exigência que os pais dele não hesitam em atender. Por isso, todas as noites, antes de ir dormir, tem historinha. Todas as noites mesmo! Até o último dia do ano, Nycolas terá escutado 365 histórias diferentes.

“Às vezes, estamos muito cansados e falamos que é para deixar pra outro dia. Mas o Nycolas vai para o quarto chorar e só para quando vamos lá fazer a leitura”, conta a mãe do menino, Sandra Canal, que é professora de educação especial e diretora de uma escola em Pedra Azul, Domingos Martins.

Sandra e o marido, o eletricista e instrutor de rapel Naudimar Fernando, se revezam na tarefa. Acontece também de os dois irem juntos para a sessão de leitura com o pequeno. “Aí, um lê a história e o outro fica ouvindo”, diz a professora.

No ano passado, eles leram 260 histórias para o filho. “Queremos bater o recorde este ano. O Nycolas é quem escolhe as histórias. Pego livros na biblioteca da escola onde trabalho. E tem que ser sempre um novo. Ele não aceita história repetida!”, conta a mãe.

Incentivo

A hora da historinha na cama é um momento especial para toda a família. “Ele ‘abraçou’ essa ideia desde pequeno, e a gente incentiva”, comenta Naudimar.

Nem ele nem a esposa tiveram esse contato íntimo com livros na infância. Oportunidade que eles se orgulham de poder dar ao filho único. “Tenho certeza que ele vai gostar de ler quando for adulto. É um hábito que está se perdendo. O que vemos hoje são as tecnologias no lugar dos livros. Há crianças viciadas. Nycolas tem tablet, adora joguinhos. Mas tem dia e hora para usar”, afirma Sandra.

 

Dicas

Colecione livros e benefícios

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, entre os benefícios da leitura na primeira infância estão:

Fortalecimento do vínculo da criança com quem lê para ela

Desenvolvimento da atenção, concentração, vocabulário, memória e o raciocínio

Estímulo à curiosidade, imaginação e criatividade

Ajuda a criança a perceber e a lidar com os sentimentos e as emoções

Auxilia na boa qualidade do sono

Estimula o desenvolvimento da linguagem oral

Solte seu lado artista

Não basta ler um livro. Ao contar uma história, capriche na entonação, na empolgação. Imite os sons dos bichos, faça vozes diferentes para cada personagem ou cada emoção nova, gesticule bastante, cante se for preciso. Invente as próprias histórias. Bebês e crianças pequenas precisam disso para se atentar na história

Tenha livros em casa

Estudos mostram que quantos mais livros a família tiver em casa, mais desenvolvida será a linguagem da criança no futuro. E não é só ter livros em casa, mas mostrar ao filho que todos leem. Ele tende a seguir o exemplo

Estimule a leitura

Pais que têm livros em casa e os lêem já dão exemplo. Mas vá além: leve a criança para visitar bibliotecas e livrarias. Leve-a para assistir uma contação de histórias com outras crianças

Menos tv, celular e tablet

Não que seu filho não possa ter contato com essas tecnologias. Mas estabeleça um limite para o uso delas, com dia e hora certos. Ofereça livros diferentes sempre que possível, mostre como eles são interessantes. Ou use a tecnologia a seu favor: o tablet pode conter e-books incríveis

Dê livros de presente

Em vez de só comprar brinquedos, que tal presentear também com livros. Uma dica legal também são os serviços de assinatura de livros para crianças, que enviam os exemplares de acordo com a faixa etária dela

Crie rotina de leitura

Mesmo que seu filho seja um bebê, crie o hábito de ler sempre para ele. À medida que for crescendo, estabeleça momentos para a leitura em família: pode ser no café da manhã, antes de ir dormir

Sem pressão

O momento da leitura tem que ser prazeroso. Não force a criança a ler um livro porque você acha que ela tem que ler. Vá com calma. Respeite o gosto dela por determinados temas ou gêneros de leitura

Veja livros e frases para conhecer Stephen Hawking

0

Físico Stephen Hawking (Dan Kitwood / Equipa/Getty Images)

“Meu objetivo é simples. É ter uma compreensão completa do universo, por que ele é como é e por que existe“, chegou a dizer o cientista

Ana Prado, no Guia do Estudante

Considerada uma das mentes mais brilhantes do mundo, o cientista britânico Stephen Hawking morreu nesta quarta-feira (14), aos 76 anos. Curiosamente, ele nasceu no aniversário de 300 anos da morte de Galileu (8 de janeiro de 1942) e morreu no aniversário de Albert Einstein, nascido há exatos 139 anos.

Hawking superou em mais de 5 décadas a expectativa de vida que os médicos lhe haviam dado aos 21, quando o diagnosticaram com esclerose lateral amiotrófica (ELA) e lhe disseram que viveria mais alguns poucos anos. A doença paralisou os músculos do seu corpo, mas não comprometeu suas funções cerebrais – nem sua vontade de compreender o universo.

“Meu objetivo é simples. É ter uma compreensão completa do universo, por que ele é como é e por que existe“, disse ele em uma entrevista em 1985.

Na verdade, Hawking não queria “apenas” entender o universo. Ele também trabalhou para tornar o conhecimento que possuía acessível a todos, como provam os vários livros que escreveu. A linguagem era tão simples e fluida que fazia com que coisas complexas como a teoria da relatividade parecessem simples.

Abaixo, separamos algumas das nossas frases preferidas do cientista. E, depois, você encontrará uma lista com alguns dos seus livros para poder mergulhar mais fundo no seu pensamento.

“Uma das regras básicas do universo é que nada é perfeito. perfeição simplesmente não existe. Sem imperfeição, nem você nem eu existiríamos”.

Into The Universe with Stephen Hawking (2010)

A vida seria trágica se não fosse engraçada.

Entrevista ao The New York Times Magazine, 2004

“Nós somos apenas uma raça avançada de macacos em um pequeno planeta, mas nós podemos entender o universo. isso faz de nós seres especiais”.

Entrevista à revista Der Spiegel, 1988

Um, lembre-se de olhar para as estrelas e não para os seus pés. Dois, nunca desista do trabalho. O trabalho lhe dá sentido e propósito e a vida está vazia sem ele. Três, se você tiver a sorte de encontrar amor, lembre-se de que ele está lá e não o jogue fora “.

Entrevista a Diane Sawyer/ABC News, junho de 2010

Minhas expectativas foram reduzidas a zero quando eu tinha 21 anos. Tudo desde então foi um bônus”.

Entrevista ao New York Times, dezembro de 2004

Eu não tenho ideia [de qual é o seu Q.I.]. Pessoas que se vangloriam do I.Q. são perdedoras “.

Entrevista ao New York Times, dezembro de 2004

Nasci no dia 8 de janeiro de 1942, exatos trezentos anos após a morte de Galileu. Calculo, porém, que cerca de duzentos mil outros bebês também nasceram naquele dia e não sei se algum deles posteriormente se interessou por astronomia.”

Minha Breve História (2013)

“Acredito que pessoas com deficiências devem se concentrar nas coisas que a desvantagem não as impede de fazer, e não lamentar as que são incapazes de realizar.”
Minha Breve História (2013)

Livros escritos por Stephen Hawking

Uma Breve história do Tempo (lançado originalmente em 1988)
Editora Intrínseca
No livro, que se tornou um best-seller, Stephen Hawking discute algumas das maiores dúvidas da humanidade: Qual a origem do universo? E o tempo? Sempre existiu, ou houve um começo e haverá um fim? Existem outras dimensões? O que vai acontecer quando tudo terminar?

O Universo numa Casca de Noz (lançado originalmente em 2001)
Editora Intrínseca
Com a ajuda de ilustrações, fotos e esquemas detalhados, Hawking explica grandes descobertas no campo da física teórica de um jeito amigável e bem-humorado.

Minha Breve História (2013)
Editora Intrínseca
Diferentemente dos outros livros, aqui Hawking conta a sua própria história, desde a infância em Londres no pós-guerra até o reconhecimento científico internacional, incluindo os desafios que precisou enfrentar após ser diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica aos 21 anos. Tudo com bom humor, como era a sua marca.

Go to Top