Vitrali Moema

Posts tagged vestibular

Homem de 73 anos tenta Enem pela terceira vez no Ceará

0

Wilson Aguiar tenta Enem pela terceira vez

Luana Andrade, no G1

Um senhor de 73 anos vai participar do processo seletivo do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste sábado (3) e domingo (4) no Ceará. O professor de mecânica automotiva Wilson Aguiar pretende voltar a estudar para aumentar o salário e se dedicar melhor às aulas que ensina em uma escola de Fortaleza. “Fui convidado para ser professor em uma escola pública e quero estudar para ser melhor nisso. Ganho pouco como um professor que não é formado, precisa ter o anel para ganhar bem, por isso vou fazer o Enem para pedagogia”, conta o senhor de 73 anos.

Na terceira vez fazendo o Enem, seu Wilson disse que participava das provas nos anos anteriores para testar seu conhecimento. Sem se recordar do desempenho, a participação no exame servia como um “medidor de conhecimento”, segundo o professor. “Queria saber se eu estava por dentro dos assunto e se minha carga de conhecimento era boa. Eu fiz a prova despreocupado, mas não me lembro do meu desempenho”, conta, rindo.

Mesmo com experiência no Enem e em vestibulares, o professor não esconde a preocupação com a prova. “Eu não vou mentir. Estou preocupado sim com essa prova. O vestibular não é mais o mesmo da época em que eu fiz. Eu acho que para mim vai ser difícil, mas eu confio no meu conhecimento que adquiri esses anos todos”, arrisca

Wilson Aguiar participou com 400 alunos de um aulão do Enem nesta sexta-feira (2) da Universidade Estadual do Ceará (Uece). Estudando somente em casa, o professor acredita que o aulão serve para acalmar mais os estudantes. “Esse aulão é bom para a gente se acalmar e ganhar confiança para a prova”, acredita o senhor de 73 anos.

Fátima Rodrigues, 40 anos, faz enem pela primeira vez no Ceará (Foto: Luana Andrade/G1)Fátima Rodrigues, 40 anos, faz enem pela primeira vez no Ceará

Em meio a tanto estudantes jovens, algumas pessoas que passaram da fase de estudos se arriscavam a encarar novamente essa fase. Após 18 anos sem estudar, a autônoma Fátima Rodrigues, de 40 anos, vai fazer a prova do Enem pela primeira vez e sonha em passar em agronomia e trabalhar na área na sua cidade natal em Irauçuba, a 151 km de Fortaleza.

Há dois anos estudando em casa, Fátima se prepara para ser agrônoma e futuramente prestar concurso público para trabalhar em Irauçuba, no interior do Ceará. “Na região está faltando agrônomo e eu queria passar em um concurso público para trabalhar na minha cidade”, conta . O preparo para o exame foi dentro de casa com livros, apostilas e muita dedicação aos estudos. “São dois anos estudando muito em casa. O aulão é só para refrescar minha memória”, confessa Fátima. Passar no Enem para a trabalhadora autônoma seria a realização de um sonho. “Trabalhar com o que eu gosto e na minha cidade seria um sonho”.

Fotos: Luana Andrade/G1

Quadrinhos podem ajudar vestibulandos a conhecer clássicos da literatura

0
Capa de "Dom Quixote" e "Odisseia" publicados em quadrinhos pela L&PM Editores

Capa de “Dom Quixote” e “Odisseia” publicados em quadrinhos pela L&PM Editores Foto: Reprodução

Publicado originalmente no Extra Online

Uma das dicas mais recorrentes para se sair bem no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), nos vestibulares e nas redações é ler bastante. Alguns estudantes, entretanto, não cultivam este hábito. Os dados da pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil” mostra que o número de leitores recuou: em 2007, eram 95,6 milhões de leitores, mas, em 2011, houve recuo para 88,2 milhões.

Apesar do recuo, os dados mostram que 48% dos estudantes são leitores. Já quando pesquisamos o ensino médio, 30% dos alunos destas séries têm o hábito de ler. Estes, portanto, costumam ter uma vantagem em relação aos vestibulandos que correm dos livros. Para quem não curte muito os clássicos da literatura podem encontrar nos quadrinhos bons aliados.
A L&PM Editores está lançando alguns clássicos da literatura mundial com adaptação para os quadrinhos.

– Não é uma concorrência com o mercado editorial dos livros. Os quadrinhos são uma maneira lúdica de o professor chegar ao coração do aluno. A partir daí, esse leitor pode buscar a versão original ou até mesmo outros livros, como acontece muitas vezes, ou seja, os quadrinhos podem apresentar o universo da leitura – comenta Ivan Pinheiro Machado, editor da L&PM Editores.

A L&PM passou a investir na adaptação de clássicos para quadrinhos quando percebeu que esse esse tipo de leitura já não era mais rejeitado pelo Ministério da Educação (MEC) que, inclusive, já faz compras dos livros, assim como algumas secretarias de educação estaduais, para abastecer bibliotecas.

– Até o fim da década de 90, o MEC não aceitava bem adaptação de obras e histórias em quadrinhos. A medida que este conceito foi mudando, percebemos que este era um bom mercado. Fizemos uma longa pesquisa e recebemos o apoio da UNESCO, o que mostra que mantivemos a ideia central do autor, ou seja, que fomo fieis ao tema da obra. Aproveitamos que já sabíamos fazer histórias em quadrinhos, já que a empresa nasceu editando quadrinhos – revela.

Para o editor da L&PM Editores, um dos pontos fortes é a forma lúdica de apresentar a história.

– Justamente por apresentar a história de uma maneira lúdica, o quadrinho acaba criando uma ponte entre o mundo real e o virtual, cada vez mais presente na realidade dos adolescentes e jovens. Dessa maneira, é possível fazer uma ligação entre grandes autores e um público que talvez estivesse afastado deles.

Clássicos brasileiros também viraram quadrinhos

 

Capa de “O Triste Fim de Policarpo Quaresma” da série Literatura Brasileira em Quadrinhos, da Escala Educacional

Capa de “O Triste Fim de Policarpo Quaresma” da série Literatura Brasileira em Quadrinhos, da Escala Educacional Foto: Reprodução

 

A Editora Escala, por meio do selo Escala Educacional, também transformou em quadrinhos alguns dos clássicos da literatura nacional, como O Ateneu (Raul Pompéia), Memórias Póstumas de Brás Cubas (Machado de Assis) e O Triste Fim de Policarpo Quaresma (Lima Barreto).

Esse é mais uma opção para quem quer ler os clássicos. Muitas dessas obras, inclusive, são cobradas por universidades que ainda realizam vestibular. Apesar dos aspectos positivos, há um medo de que os livros tradicionais sejam substituídos pelos quadrinhos.

Mesmo com a polêmica para os educadores, há alunos que acreditam que os quadrinhos possam ajudar. Estudante do terceiro período de Engenharia de Produção na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Felipe Lima nunca gostou muito de ler, mas tinha que encarar algumas obras para o vestibular.

– Acabei não lendo. Sempre optava pelos resumos na internet. Talvez se soubesse dos quadrinhos teria me interessado mais. Como há ilustração, a leitura pode ser mais dinâmica para quem não curte muito ler um livro, como é o meu caso – argumenta.

De qualquer maneira, o importante é ler! Isso vai aguçar a sua mente e te ajudar a ter uma capacidade de interpretação maior, o que pode ser importante na hora do Enem. Então, que tal pegar um livro ou quadrinho e embarcar agora em alguma aventura?

Go to Top