State Ibirapuera

Posts tagged vida pessoal

Conto de Hemingway é publicado pela primeira vez

0

Publicado no UOL

Um conto escrito por Ernest Hemingway já nos seus últimos anos de vida e que se passa na Paris recém-libertada da ocupação nazista será publicado pela primeira vez na revista britânica The Strand Magazine, anunciou nesta quinta-feira (02/07) a própria publicação.

“A Room on the Garden Side” (“Um Quarto Que Dá Para o Lado do Jardim”, em tradução livre) foi escrito por Hemingway em 1956 e é pouco conhecido fora dos círculos de estudiosos da obra do escritor, um dos mais populares e influentes do século 20 e que ganhou o Prêmio Nobel em 1954.

“O profundo amor de Hemingway pela sua cidade favorita quando ela está começando a emergir da ocupação nazista está em plena evidência, assim como as marcas distintivas da sua prosa”, afirmou o editor da Strand Magazine, Andrew F. Gulli.

A guerra é um tema recorrente na obra de Hemingway, que trabalhou como motorista de ambulância durante a Primeira Guerra Mundial. Suas experiências foram aproveitadas no clássico “Adeus Às Armas”. Já a Guerra Civil Espanhola é o pano de fundo de “Por Quem os Sinos Dobram”.

O escritor foi correspondente de imprensa durante a Segunda Guerra Mundial e estava em Paris em agosto de 1944, quando a cidade foi finalmente libertada da ocupação nazista.

“A Room on the Garden Side” se passa no hotel Ritz e é narrado em primeira pessoa pelo escritor Robert, um alter-ego de Hemingway que compartilha com este até mesmo o apelido de Papa. Robert e seus amigos bebem vinho, citam Baudelaire e debatem “o negócio sujo da guerra.”

Hemingway deixou várias histórias e relatos não publicados depois de sua morte por suicídio, em 1961, aos 61 anos. O mais conhecido, publicado três anos depois, é “Paris É Uma Festa”, suas memórias de quando viveu na cidade-luz, nos anos 1920.

Em agosto de 1956, ele contou ao editor Charles Scribner Jr. que havia concluído cinco histórias, entre elas “A Room on the Garden Side” e “The Cross Roads”, a única delas até agora publicada, com o título de “Black Ass at the Crossroads”.

Hemingway era um autor de frases curtas, claras e precisas, influenciadas pelo seu trabalho como jornalista. Seu estilo foi melhor definido por ele mesmo na famosa Teoria do Iceberg, segundo a qual o significado profundo de um conto deve ficar oculto e ser apenas insinuado de forma implícita – assim como o topo do iceberg não revela o real tamanho da parte submersa.

Ele também é um dos primeiros escritores cuja vida pessoal é tão venerada e admirada quanto seus livros, devido à sua personalidade impetuosa, seu estilo de vida aventuroso – o que inclui a participação nas duas Grandes Guerras e na Guerra Civil Espanhola – e sua fascinação por caçadas, pescarias, safáris e touradas.

Copa do Mundo: 5 jogadores do Brasil que possuem livros lançados

0

MIGUEL SCHINCARIOL/AFP/Getty Images)

Gabu Camacho, no Beco Literário

Você sabia que além de jogadores de futebol, muitos esportistas do Brasil possuem livros lançados? São biografias em sua maioria, que contam desde sua trajetória até lições valiosas que aprenderam na difícil jornada até o estrelato.

Não é comum que estes livros, assim como outras biografias, possuem o que chamamos de ghost-writers, isto é, jornalistas que ouvem todo o relato do perfilado e escrevem a história dando o tom que desejam. O dom da escrita não é para qualquer um, apesar de todos terem boas histórias para contar.

1- Um olho na bola, outro no Cartola (Romário)

As revelações do ex-jogador Romário sobre o crime organizado no futebol brasileiro. Ele foi ídolo do Vasco, Flamengo, Barcelona, de todos os times que jogou. Eleito o melhor jogador do mundo por duas vezes, foi o herói da seleção brasileira que conquistou a Copa do Mundo em 1994, nos Estados Unidos. O “baixinho”, grande responsável pelo tetra, virou um gigante na política. Primeiro, como deputado federal. Em seguida, como o senador com o maior número de votos no estado do Rio de Janeiro, o político Romário vem fazendo tanto barulho no Congresso como fazia nos gramados. Foi ele quem brigou pela criação da CPI que investigou as suspeitas de irregularidades na gestão financeira da CBF e do Comitê Organizador da Copa do Mundo no Brasil, em 2014. Foram dois anos de muitos depoimentos, provas e discussões que levaram ao Fifagate e à prisão de vários cartolas. Neste livro, o agora escritor Romário lembra os grandes momentos de sua carreira, conta como o nascimento de sua filha caçula, Ivy, portadora da síndrome de Down, mudou a sua vida e o levou à política. E revela em detalhes todo o processo da CPI cujo objetivo, segundo ele, era colocar na cadeia quem enriqueceu ilicitamente às custas do esporte de maior apelo popular no planeta.

2- Raí: Auto-Fotobio (Raí)

Raí foi um dos melhores jogadores do mundo ao longo da década de 1990. É ídolo supremo do São Paulo, e também do Paris Saint-Germain, clubes onde fez carreira, em uma trajetória repleta de títulos, incluindo a Copa de 1994, o Mundial de Clubes, duas Libertadores, Copa da Europa, Campeonatos Brasileiros, Franceses, Paulistas e muitos outros. Conquistou tudo o que podia. No livro ‘Raí Auto-Fotobio’, o craque, que acaba de completar 50 anos, conta da infância, da família e da descoberta da vocação e início de carreira, aos 17 anos, no Botafogo de Ribeirão, com a responsabilidade de ser irmão do Dr. Sócrates, grande – e o mais controvertido – jogador da época. Em seguida, repassa a carreira e sua vida pessoal em paralelo, avaliando os privilégios e restrições que essa vida dupla oferece. E chega ao pós-carreira, em que também tem colecionado realizações relevantes como a Fundação Gol de Letra, a Ong Atletas pelo Brasil e a empresa Raí+Velasco. No livro, cada relato é acompanhado de um conjunto de imagens, somando cerca de 100 fotos e reportagens, que permitem ao leitor visualizar a história em campo, nas narrativas da época e em momentos da vida privada de Raí, sendo conduzido por essa sequência integrada de textos e imagens.

3- Casagrande e seus demônios (Walter Júnior Casagrande)

Ricamente ilustrado, com um caderno recheado de fotos, a publicação tem prefácio de Marcelo Rubens Paiva, amigo de sempre, que endossa a hipótese de que tantas coisas boas, e outras tantas ruins, que permearam a vida do ex-jogador dariam um bom roteiro para um livro. “Casão faz questão de contar o inferno que viveu quando era viciado em drogas e sua internação, pois para ele é fundamental passar adiante a experiência, dividir as dores da dependência e alertar para os perigos de um vício frenético, sem preconceitos, desvios ou mentiras. A verdade ajuda a sanidade”.

4- Neymar Jr. de A a Z (Neymar Jr.)

‘Neymar Jr. de A a Z’ é o primeiro livro oficial do ídolo brasileiro. Além de registrar os principais acontecimentos, o livro traz detalhes da vida e da carreira de Neymar de um jeito moderno e irreverente, repleto de fotos. Um gol de placa para os fãs de um dos principais jogadores do mundo na atualidade.

5- Pelé: Minha vida em imagens (Pelé)

Com um sincero depoimento autobiográfico, pontuado por mais de 70 imagens, entre raras e inéditas, o livro ‘Pelé – Minha Vida em Imagens’ condensa a narrativa mítica do garoto franzino de Três Corações, que se transformou no maior jogador de futebol de todos os tempos. Em formato de scrapbook, o volume traz uma série de ítens de colecionador que podem ser destacados e guardados pelo leitor, como ingressos dos principais jogos, o cartaz da Copa do Mundo de 1958, recortes de jornais da época e até um ofício da Casa Branca que trata da visita de Pelé ao presidente Nixon. As imagens são um espetáculo à parte e retratam lances memoráveis do jogador: a seqüência do gol de número 1.000, o retrato de Pelé feito pelo artista Andy Warhol, em 1977, e o abraço no amigo Muhammad Ali na cerimônia de sua despedida definitiva do futebol. A edição traz ainda um apêndice que elenca todos os gols que Pelé marcou no decorrer da carreira, divididos por ano, data, time e adversário.

11 curiosidades sobre Machado de Assis

0
(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Giuliana Viggiano, na Galileu

Machado de Assis (1839-1908) entrou para a história da língua portuguesa— e também para a história pessoal de muitos de seus leitores —, mas fez muito mais que isso. Na lista abaixo, a GALILEU conta histórias menos conhecidas e nada banais da sua vida pessoal e profissional.

1. O avô de Machado de Assis foi escravo em uma chácara no morro do Livramento, no Rio de Janeiro, onde o escritor nasceu e foi batizado pela dona da casa, Maria José de Mendonça Barroso. Aliás, foi lá que ele aprendeu a ler.

2. Machado foi responsável por uma das primeiras traduções do conto O Corvo, de Edgar Allan Poe. O autor brasileiro falava francês — alguns acreditam que ele aprendeu a língua com um padeiro — e também traduziu Os Trabalhadores do Mar, de Victor Hugo.

3. Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras e ocupou a cadeira 23 — na época, a primeira cadeira foi designada a José de Alencar. Machado foi o primeiro presidente da instituição.

4. Foi apelidado pelos vizinhos de “Bruxo do Cosme Velho”, pois teria queimado cartas em um caldeirão em sua casa que ficava na Rua Cosme Velho. O apelido, entretanto, só pegou quando o poeta Carlos Drummond de Andrade fez o poema A um bruxo, com amor, que reverencia o escritor.

5. Em seu livro Anjo Rafael, Machado de Assis previu a existência da doença folie à deux antes de ela ser descrita. Isso porque na obra é contada a história de uma filha que é “contagiada” pela loucura do pai, enlouquecendo também. Anos depois da publicação, o mal foi descoberto por pesquisadores. Como se não bastasse, o brasileiro também descobriu a cura para a doença: afastar a pessoa saudável de quem tem o problema mental.

6. O autor era enxadrista e participou do primeiro campeonato brasileiro do esporte mental, ficando em terceiro lugar. As peças que utilizou estão expostas até hoje na Academia Brasileira de Letras.

7. Ele foi casado por 35 anos com Carolina Machado, que era quatro anos mais velha, mas não tiveram filhos. Alguns especialistas dizem que Carolina era muito inteligente e ajudava na revisão dos textos. Com a morte da mulher, Machado entrou em profunda depressão e escreveu para o amigo Joaquim Nabuco: “Foi-se a melhor parte da minha vida, e aqui estou só no mundo”.

8. No prefácio da segunda edição de sua obra Poesias Completas, publicada em 1902, a palavra “cegara” foi substituída, na expressão “lhe cegara o juízo”, por um inusitado “cagara”. Calma, a história é ainda pior. Entenda aqui por que a gafe foi ainda maior. Diz a lenda que o próprio Machado teria participado de um mutirão para corrigir os exemplares antes de chegarem ao público. O que se sabe é que alguns escaparam e saíram com o erro.

9. Machado escreveu nove textos teatrais e foi crítico desta forma de arte desde os 21 anos. Também trabalhou como jornalista e, no início da juventude, vendeu doces feitos pela madrasta e engraxou sapatos. Alguns especialistas acreditam que ele chegou a ser coroinha em uma igreja, mas não há confirmações.

10. Em 1888, foi condecorado pelo então imperador Dom Pedro 2º com a Ordem da Rosa e, meses depois, foi indicado para fazer parte da Secretaria da Agricultura. Anos depois, chegou a ocupar o cargo de diretor-geral da viação da Secretaria da Indústria, Viação e Obras Públicas.

11. Era epilético e apresentava sinais de gagueira, o que contribuiu para formação de sua personalidade insegura e reclusa. Além disso, Machado de Assis, por ser mulato, enfrentou muito preconceito para conseguir reconhecimento.

5 livros para se tornar um profissional de elite

0

mh_home_capa_livros-carreira-areah-1

O homem que não lê bons livros não tem nenhuma vantagem sobre o homem que não sabe ler.

Dalila Ribeiro, no Administradores

Já dizia Mark Twain, o homem que não lê bons livros não tem nenhuma vantagem sobre o homem que não sabe ler.

A leitura de bons livros são portas abertas para o conhecimento, para um profissional que deseja crescer na carreira e se destacar no mercado de trabalho, tão importante quanto investir em conhecimento técnico é investir em desenvolvimento pessoal e quando falamos em desenvolvimento pessoal falamos, entre outras coisas, em:

• Tornar-se alguém com uma visão de mundo mais abrangente e mais estratégica;
• Exercitar o autoconhecimento, saber gerir suas emoções e estar consciente do poder que a sua mente exerce sobre a sua vida;
• Aprender a usar a sua mente a favor do seu sucesso e bem-estar, construindo dia após dia uma mentalidade positiva que preze pelo prazer dos resultados a longo prazo;
• Buscar meios de equilibrar todas as áreas da sua vida, como por exemplo saber ser estratégico para conciliar a carreira profissional com a vida financeira e familiar;

E chamamos tudo isso de desenvolvimento pessoal porque para conseguir agir de acordo com esses princípios não é suficiente ter o conhecimento intelectual sobre esses assuntos, é necessário que você compreenda como a sua mente e seu corpo podem assimilar tudo isso de modo a tornar essas premissas parte da sua rotina. Para isso existem cinco livros incríveis que todo profissional de elite precisa ler, são livros que vão levar você para um próximo nível de compreensão e atitudes na sua vida pessoal, profissional e financeira.

01 – Poder Sem Limites – Anthony Robbins

Escrito por Anthony Robbins quando ele tinha apenas 25 anos, figura entre os seus melhores junto com “Liberte o Gigante Interior”. Nesse livro você consegue aprender muito sobre como mudar a sua vida de acordo com a realização dos seus sonhos, você poderá entrar em contato com poderosa metodologia da PNL (Programação Neurolinguística) ensinada por Tony nos seus seminários, cuja participação chegam a custar 6mil dólares.

02 – Liberte o Gigante Interior – Anthony Robbins

660 páginas que você não consegue parar de ler, também com base na metodologia da PNL, esse livro é uma porta aberta para o autoconhecimento e para a configuração de uma mente (Mindset) poderosa. Se você quer compreender porque tem determinados comportamentos que vêm atrapalhando o seu sucesso e quer encontrar meios para superar as dificuldades e mudar de uma vez por todas, instalando hábitos vencedores e eliminado hábitos que atrasam você, se você quer conviver melhor com as pessoas a sua volta, se você quer melhorar a sua capacidade de liderança, se você quer aprender a configurar a sua mentalidade para alcançar o sucesso, então você precisa ler esse livro.

03 – Pai Rico Pai Pobre – Robert Kyiosaki

Gostaria de transformar os seus ganhos em uma fortuna? Gostaria de deixar de viver para pagar as contas? Quer aprender a fazer o dinheiro trabalhar para você? Robert Kyiosaki traz tudo isso em uma leitura leve e gostosa, sem complicações e com um poder transformador. Embora Pai Rico Pai Pobre seja uma obra que se dedica muito a dizer porque as pessoas devem trabalhar para elas mesmas, você enquanto assalariado pode aprender muito sobre como não deve se comportar diante da sua vida financeira enquanto trabalhador e também lança um olhar muito esclarecedor sobre como devemos lidar com a questão do dinheiro em si. Uma grande leitura para quem deseja melhorar a administração financeira.

04 – Pense e Enriqueça – Napoleon Hill

Napoleon Hill (1883-1970) passou 20 anos de sua vida estudando o comportamento de pessoas de sucesso, analisando o que essas pessoas faziam que as proporcionavam a realização de grandes sonhos, foram entrevistados por ele mais de 16mil pessoas, entre eles os 500 milionários mais importantes da época, que mostraram a ele a fonte de sua riqueza. No livro Pense e Enriqueça ele lança luz sobre os principais traços comportamentais dos grandes vencedores e divulgou o conceito de Master Mind da forma como ele é conhecido hoje, se mostra uma leitura leve e daquelas que não conseguimos parar de ler. Gostaria de saber os segredos do sucesso de nomes como Thomas Edison, Henry Ford, Theodore Roosevelt e John D. Rockefeller? Então não perca tempo e corre atrás do seu exemplar.

05 – Inteligência Emocional – Daniel Goleman

Escrito em 1995 pelo psicólogo americano Daniel Goleman, esse livro vai instalar na sua mente os mecanismos para que você consiga melhorar e desenvolver a cada dia a sua Inteligência Emocional, com bases científicas muito bem fundamentadas Goleman consegue explicar de um jeito leve a importância fundamental das emoções humanas em todas as esferas da vida deixando bem claro, como e porque, todos nós devemos nos dedicar a esse aprendizado se quisermos de fato sermos pessoas de sucesso.

Filme mostra vida pessoal de Malala, ganhadora do Prêmio Nobel

0
malaa

A maioria das pessoas sabe quem é a paquistanesa Malala Yousafzai, ganhadora do prêmio Nobel da Paz, que foi baleada pelo Taliban em 2012 por exigir o direito das meninas à educação, mas poucos ouviram falar da heroína afegã do século 19 na qual sua família se inspirou ao escolher seu nome.

Segundo a tradição pashtun, Malalai de Maiwand estimulou seus compatriotas a vitória contra as tropas britânicas em 1880, indo ao campo de batalha para unificar uma força afegã desmoralizada com um verso sobre o martírio. Ela mais tarde foi atacada e morta.

A lenda é contada em “He Named Me Malala” (Ele me deu o nome de Malala), um novo documentário sobre Malala Yousafzai, agora com 18 anos, cujo ataque quando estava em um ônibus escolar chocou o mundo.

“Você lhe deu o nome de uma menina que falou e foi morta. É quase como se você dissesse que com ela seria diferente”, disse o diretor Davis Guggenheim sobre o pai de Malala, Ziauddin, no filme. “Você está certo”, ele responde.

Filmado ao longo de 18 meses, o retrato íntimo mostra uma adolescente mais à vontade no palco mundial -falando, por exemplo, na sede da ONU em Nova York – ou abordando estudantes em campos de refugiados sírios, do que com os colegas de sala de aula na Grã-Bretanha, para onde foi levada para uma cirurgia após o atentado.

“Nesta nova escola, é difícil”, diz ela, admitindo a falta de experiências compartilhadas com as outras meninas. Embora se saiba muito sobre o trabalho de Malala, o documentário levanta o véu sobre a sua vida familiar no centro de Inglaterra, com muito humor da parte de seus dois irmãos.

“Ela é um pouco desobediente”, diz o irmão mais novo de Malala, que ela apresenta como “um bom menino”, em contraste com seu outro irmão, que ela chama de “o mais preguiçoso”.

No exterior, o filme deve estrear em 2 de outubro. No Brasil, a previsão é 19 de novembro.

Go to Top