Arquiteta explica quais são os cuidados que se deve tomar ao montar uma biblioteca em casa

Se você está com planos de criar uma biblioteca em casa, fique atento às dicas da arquiteta Carla Chy.

Como deve ser a disposição de uma biblioteca?
Tudo depende do objetivo do proprietário. Se a intenção for somente armazenar livros, muitos livros, é preciso aproveitar ao máximo o espaço. Neste caso, o ideal é ocupar cada centímetro das paredes e deixar a circulação no centro (nem sempre é possível, depende de vários fatores, entre eles, o tamanho do ambiente).

Se a intenção é, além de armazenar livros, usar o ambiente para leitura, o importante é criar um clima aconchegante e delimitar as áreas. Se o morador for colocar livros por toda parte, o ambiente pode ficar caótico, dificultando a concentração, além de não ser funcional. Quando se delimita os espaços, além de conseguir uma organização visual e funcional melhor, cria-se um ambiente mais agradável.

Há alguma medida mínima?
Não. No geral, prateleiras com 35 cm de profundidade tendem a comportar todos os tipos de livros (inclusive de artes e fotografia, por exemplo). Prateleiras estreitas, de 20 cm, comportam livros de leitura. O ideal é que, caso você tenha muitos livros grandes, meça-os para ter certeza da profundidade da prateleira.

Há algum material mais indicado para compor o armário que irá abrigar os livros?
O importante é que a estrutura seja resistente e comporte o peso dos livros. Às vezes, as prateleiras são finas e, com o peso dos livros elas acabam envergando. As prateleiras podem ser de madeira (o ideal é que a espessura seja de de 4 centímetros e a largura não seja não maior do que 2 metros. Se for o caso, é melhor reforçar a estrutura com uma mão-francesa de a cada 1 metro) ou em estrutura metálica (a espessura da prateleira pode ser menor).

Há alguma dica para evitar o mofo no local?
O mais importante é que o local seja arejado, tenha uma boa ventilação natural. Mas, mesmo assim, algumas medidas devem ser tomadas: não adianta ter janela se ela não for aberta diariamente por, pelo menos, de 1 a 2 horas, permitindo trocas de ar. Além disso, os livros acumulam muita poeira: é muito importante tirar o pó regularmente com uma espanador e, de tempos em tempos, tirá-los do lugar para limpar as prateleiras e os próprios livros, com um pano com álcool.

Há alguma dica relacionada à arquitetura que pode ajudar na conservação dos livros?
Quanto mais fácil for o acesso aos livros, mais fácil será a limpeza e com certeza mais frequente. Se a estante for muito alta, portanto, é preciso ter uma escada apoiada nela. Outra coisa é escolher um local para a estante que receba ar: melhor em frente à janela que ao lado, por exemplo.

Como deve ser o ambiente que abriga uma biblioteca? Deve haver cantinhos para a leitura?
O ambiente deve ser bem aconchegante e confortável, pois é um espaço de introspecção e concentração. Quanto mais confortável e agradável for, mais tempo você conseguirá ficar no ambiente. O ideal é ter uma poltrona em que você sente menos ereto do que na mesa de refeições, ter braços para apoio e um pufe de apoio para os pés.

Há algum revestimento de piso mais indicado para o local?
Para revestimento de piso, é importante ser um de fácil limpeza e manutenção. Como os livros tendem a acumular poeira e umidade, um carpete, por exemplo, acaba absorvendo e o ambiente pode ficar com aquele cheiro de “guardado”. Já um piso de madeira, além de ter ótima manutenção deixa o ambiente aconchegante.

A biblioteca pode ser integrada a outro ambiente? Se sim, qual e o que você acha dessa proposta?
A biblioteca pode ser integrada a vários outros ambientes. Tudo depende da proposta e do uso. O mais comum é ela ser integrada ao escritório ou à sala, mas pode funcionar com outros ambientes. No entanto, devemos ter em mente que a biblioteca está associada à leitura e, portanto, deve ser um local que permita concentração. Ficar integrada a um home theater, por exemplo, não tem problema desde que os ambientes não sejam usados por diferentes pessoas ao mesmo tempo. Outra coisa é que o outro cômodo propicie as condições higiênicas necessárias a uma biblioteca: por exemplo, a cozinha exala gordura, que não é muito propícia de se ter em contato com os livros, pois podem ser danificados.

Fonte: O Globo

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *