Namore um cara que lê

Publicado originalmente em Acepipes escritos.

Namore um cara que se orgulha da biblioteca que tem, ao invés do carro, das roupas ou do penteado. Ele também tem essas coisas, mas sabe que não é isso que vai torná-lo interessante aos seus olhos. Namore um cara que tenha uma pilha de três ou quatro livros na cabeceira e que lembre do nome da professora que o ensinou as primeiras letras.

Encontre um cara que lê. Não é difícil descobrir: ele é aquele que tem a fala mansa e os olhos inquietos. Ele é aquele que pede, toda vez que vocês saem para passear, para entrar rapidinho na livraria, só para olhar um pouco. Sabe aquele que às vezes fica calado porque sabe que as palavras são importantes demais para serem desperdiçadas? Esse é o que lê.

Ele é o cara que não tem medo de se sentar sozinho num café, num bar, num restaurante. Mas, se você olhar bem, ele não está sozinho: tem sempre um livro por perto, nem que seja só no pensamento. O rosto pode ser sério, mas ele não morde, não. Sente-se na mesa ao lado, estique o olho para enxergar a capa, sorria de leve. É bem fácil saber sobre o quê conversar.

Diga algo sobre o Nobel do Vargas Llosa. Fale sobre sobre as novas traduções que andam saindo por aí. Cuidado: certos best-sellers são assunto proibido. Peça uma dica. Pergunte o que ele está lendo –e tenha paciência para escutar, a resposta nunca é assim tão fácil.

Namore um cara que lê, ele vai entender um pouco melhor seu universo, porque já leu Simone, Clarice e –talvez não admita– sabe de memória uns trechos de Jane Austen. Seja você mesma, você mesmíssima, porque ele sabe que são as complicações, os poréns que fazem uma grande heroína. Um cara que lê enxerga em você todas as personagens de todos os romances.

Um cara que lê não tem pressa, sabe que as pessoas aprendem com os anos, que qualquer um dos grandes tem parágrafos ruins, que o Saramago começou já velho, que o Calvino melhorou a cada romance, que o Borges pode soar sem sentido e que os russos precisam de paciência.

Um namorado que lê gosta de muita coisa, mas, na dúvida, é fácil presenteá-lo: livro no aniversário, livro no Natal, livro na Páscoa. E livro no Dia das Crianças, por que não? Um cara que lê nunca abandonará uma pontinha de vontade de ser Mogli, o menino lobo.

E você também ganhará um ou outro livro de presente. No seu aniversário ou no Dia dos Namorados ou numa terça-feira qualquer. E já fique sabendo que o mais importante não é bem o livro, mas o que ele quis dizer quando escolheu justo esse. Um cara que lê não dá um livro por acaso. E escreve dedicatórias, sempre.

Entenda que ele precisa de um tempo sozinho, mas não é porque quer fugir de você. Invariavelmente, ele vai voltar –com o coração aquecido– para o seu lado.

Demonstre seu amor em palavras, palavras escritas, falas pausadas, discursos inflamados. Ou em silêncios cheios de significados; nem todo silêncio é vazio.

Ele vai se dedicar a transformar sua vida numa história. Deixará post-its com trechos de Tagore no espelho, mandará parágrafos de Saint-Exupéry por SMS. Você poderá, se chegar de mansinho, ouví-lo lendo Neruda baixinho no quarto ao lado. Quem sabe ele recite alguma coisa, meio envergonhado, nos dias especiais. Um cara que lê vai contar aos seus filhos a História Sem Fim e esconder a mão na manga do pijama para imitar o Capitão Gancho.

Namore um cara que lê porque você merece. Merece um cara que coloque na sua vida aquela beleza singela dos grandes poemas. Se quiser uma companhia superficial, uma coisinha só para quebrar o galho por enquanto, então talvez ele não seja o melhor. Mas se quiser aquela parte do “e eles viveram felizes para sempre”, namore um cara que lê.

Ou, melhor ainda, namore um cara que escreve.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

25 thoughts on “Namore um cara que lê

  • 18 de agosto de 2011 em 10:54
    Permalink

     ” um cara que lê, ve o mundo a sua frente, se indgna com alguns certos feitos, se modifica pra modificar o mundo,

    um cara que lê jamais tera sua mente ao tamanho que era, porque se permite sempre a buscar o novo e as verdades, 

    um cara que lê não é perfeito, tem seus defeitos,

    defeitos que as vezes são bobos por achar que todos endenteriam sua mente complexa

    e suas explicações ate sem logica sobre o logico,

    um cara que lê pode ser você “

    Resposta
    • 25 de agosto de 2011 em 21:40
      Permalink

      Impressionante como, com poucas palavras, você conseguiu descrever MELHOR o cara que lê do que quem escreveu o texto acima!

      Resposta
  • 18 de agosto de 2011 em 12:19
    Permalink

    Como eu já tenho o meu cara (e ele não lê e ainda reclama que eu leio demais, vive dizendo que é pra eu ler a “mente dele”), estou tentando criar 3 caras que leem para que alguma garota encontre , sentando em um café daqui a uns 10 anos. rsrsrsrsr

    Resposta
  • 18 de agosto de 2011 em 13:04
    Permalink

    Nossa meu corpo todo ficou arrepiado ao ler esse texto, esse poema.

    As palavras tem um poder maravilhoso de emocionar os que leem com o coração.Parabéns.E com certeza ‘um cara que lê’ sempre será um maravilhoso pretendente…

    PS.Essa semana eu li História sem Fim, e fiquei imaginando como seria gostoso ter um namorado que gostasse tanto de livros como eu gosto. <3

    Resposta
  • 18 de agosto de 2011 em 16:06
    Permalink

    é…dessa vez resolveram falar de mim sem meu consentimento….rsrs

    Resposta
  • 19 de agosto de 2011 em 1:33
    Permalink

    Puts, se eu  disser que esse foi um dos motivos de eu ter terminado uma vez, vocês acreditam? Quero um cara que lê, que me indique livros bons… Enfim!

    Resposta
  • 19 de agosto de 2011 em 20:56
    Permalink

    rapaz, acho que lembro dos nomes de quase todas as professoras por quem passei, pelo menos até o 3º ano, pois na faculdade eu era meio que turista (acreditem), eu até gosto de ler, dependendo do livro, mas minha cama não possui cabeceira… rsrsrsrsrsrs
    bjs!

    Resposta
  • 24 de agosto de 2011 em 0:26
    Permalink

    Quer saber,
    garota? Namore um cara que te ame. E te respeite. E te trate como você merece.
    O que adianta o cara ler, ser fomado em letras (grego e latim), saber o nome da
    professora da alfabetização, saber recitar trechos de Saramago, Neruda, Vargas
    Llosa, Tóstoi etc e sair por aí usando as poesias e palavras dos outros para
    seduzir a primeira que encontra pela frente? Caráter é a palavra da honra. Quem
    tem caráter não precisa de livros para mudar sua cabeça. Aliás, livro nenhum
    muda a cabeça de um canalha. Quer namorar um escroto que sabe todas as frases
    de um livro de Ernest Hemingway ou um cara que espera, ansioso, você chegar em
    casa para poder matar a saudade de um dia sem te ver, que vai te beijar com
    paixão e desejo e que, depois daquele sexo apaixonado e carinhoso, vai sentar
    no sofá, não para arrotar a sua impáfia sobre a “péssima tradução daquele livro
    do Garcia Marquez” e, sim, para assistir a Palmeiras X Corinthians? Beleza não
    põe mesa, nem leitura faz um homem. A matemática é muito mais complicada. Isso
    pra mim é papo de pseudo-intelectual que buscou o nome dos autores no google.
    Isso a internet fez por muitos: transformou a ignorância endêmica em
    genialidade no click de um botão.

     

    Resposta
    • 26 de agosto de 2011 em 1:48
      Permalink

      Karak! Este comentário foi muito melhor do que este texto pretencioso e pedante. Concordo… concordo… concordo e concordo. Não faço apologia à ignorância, mas não posso aceitar que, apenas por que o cara lê, ele seja gente boa. A maioria dos psicopatas serial killers de plantão são leitores inveterados. Sou muito mais simpático ao Luis Gonzaga rei do baião, sertanejo que  tem muito a dizer, a um Saramago idiotado, recalcado, amargo, infeliz, mau humorado e que, apenas por que recebeu um nobelzinho de literatura, é aplaudido apesar das aneiras que disse.

      Caráter independe de religião, opção sexual, formação cultural e mesmo de quantos livros alguém lê por mês.

      Pronto falei!

      Resposta
    • 6 de dezembro de 2011 em 13:29
      Permalink

      Cara, mandou muito bem! Acho que disse tudo, ler é legal, mas de nada adianta se não vier acompanhado de todo o conjunto!

      Resposta
  • 25 de agosto de 2011 em 16:41
    Permalink

    Eu até acho que autor tem razão, mas… aqui entre nós, ele tá mesmo é vendendo o peixe dele pra alguma pretensa namorada. Ah, malandro!! rsrsrsrsrs!

    Resposta
  • 27 de agosto de 2011 em 0:56
    Permalink

    Ler devia ser proibido. Você sabia que 20% dos adultos do planeta são analfabetos? E que 75% dos
    analfabetos do mundo estão reunidos em 12 Países? O Brasil é um deles. “Um livro é como uma janela. Quem não lê é como alguém que ficou distante da janela, e só pôde ver uma pequena parte da paisagem”. Pensando à respeito, eu acho que ler deveria ser mesmo  proibido. Nada contra quem lê, mas de certas coisas não se duvida , e ler não é nada bom. A leitura nos torna incapazes de suportar a realidade. A leitura tira o homem de sua vida pacata, e o transporta a lugares nada convencionais. Para uma criança o perigo é ainda maior pois ela pode crescer inconformada com os problemas do mundo, e pode querer até muda-lo. Dá prá imaginar? Outra coisa. Ler pode desenvolver a criatividade. E você não quer uma criança bancando o geniozinho por aí, quer ?
    Além disso, a leitura pode deixar o homem mais consciente, e ia ser uma confusão se todo mundo resolvesse exigir o que merece. Nada de vagar pelos caminhos da imaginação, só porque leu um bom livro. Quer um conselho ? Silêncio… Ler só serve aos sonhadores… e sua vida não é uma brincadeira. CUIDADO!!!! Ler pode tornar as pessoas “perigosamente” mais humanas…

    Texto tirado da internet.

    Resposta
  • 24 de setembro de 2011 em 18:28
    Permalink

    Um cara que lê é egoísta frustrado não toma decisões sozinho, ta sempre na espera dos outros. Tem dificuldade de se relacionar achando que são superiores as outras pessoas. Um cara que lê nunca esta rodeado de amigos, esta lendo e captando idéias escritas por outros, Um cara que lê é egoísta sai por ai dizendo palavras e poesias dos outros. Quer saber nunca vi um tema tão idiota na minha vida, você que lê faça um favor a si mesmo, procure um psiquiatra ou compre um cachorro, como disse o colega ai em cima. Quem
    Tem caráter não precisa de livros.

    Resposta
  • 29 de novembro de 2011 em 12:51
    Permalink

    Apoiado…eu sou leitor e comecei a dar meus primeiros passos como escritor. 🙂

    Resposta
  • 29 de novembro de 2011 em 12:59
    Permalink

    Nossa, que post lindo! Nao tem o que dizer,lindo escrito,adorei! Me fez lembrar de professores, me fez lembrar meu pai(que contribuiu muito para o meu amor pela leitura) e,mais ainda, me fez ter certeza de que namoro um cara maravilhoso. Meninas solteirars, dica de quem e muito feliz com um deles:se forem namorar, namorem um cara que le!

    Resposta
  • 30 de novembro de 2011 em 14:52
    Permalink

    Não tenho muito o que comentar, fiquei sem palavras….
    Viajei total em todas as cenas rsrs é bm sonhar!

    beijãozão*

    Resposta
  • 5 de dezembro de 2011 em 14:53
    Permalink

    Realmente este é um texto muito bom. Fala do que realmente precisamos, uma boa leitura para poder viajar a outros lugares sem sair da cadeira, conhecer pessoas que já se foram etc… É por isso que eu gosto de ler.

    Resposta
  • 6 de dezembro de 2011 em 2:17
    Permalink

    Não consigo para de ler!!!
    fantástico!!!

    Resposta
  • 12 de dezembro de 2011 em 23:09
    Permalink

    Tenho esse cara a seis anos na minha vida , e pretendo ter ele pela eternidade !! Esses caras existem !!

    Resposta
  • 13 de dezembro de 2011 em 6:49
    Permalink

    Ler Clarice e Jane Austen já é viadagem.
    Saint Exupery via SMS também, fala sério… vocês vão vomitar em cima.

    Resposta
  • 15 de fevereiro de 2012 em 13:23
    Permalink

    Parece que o tema gerou bastante polêmica e parece que os que gostam de ler concordaram com o texto e os que ñ gostam de ler discordaram, bem natural. O que me apavora, entretanto, é perceber que as pessoas que discordaram do texto, classificando-o de pedante e egoísta, o fizeram exatamente por falta de leitura, foram incapazes de perceber que uma coisa ñ exclui a outra, ou seja,: um grande leitor ñ precisa necessariamente ser pseudo-intelectual ou fechado para o mundo mais epidérmico, ele pode ser sim, sensível ao mundo do trivial. E muito pelo contrário, ele está munido de recursos que o farao compreender o outro. Ver as coisas a partir de um ponto de vista maniqueísta apenas contribui para a construcao de novos estereótipos e escravisa as pessoas sob o jugo da ignoráncia. A leitura é antes de mais nada um ato de libertacao, emancipatório, dizer que de nada servirá é aceitar resignadamente e de forma até agradecida, a imposicao dos donos do poder de nos manter na ignoráncia para que sirvamos sempre de massa de manobra mansos e vassaláveis. Voce que criticou o leitor, voce é perigoso para a sociedade, sua ignorancia produziu a escória política que governa esse país, liberte-se enquanto é tempo de sua limitacao intelectual e tente entender o que se afigura a seus olhos como obscuro e ininteligível, o problema pode estar em voce.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *