Como se tornar um grande escritor? (por Laurentino Gomes)

Texto escrito por Laurentino Gomes, ganhador do prêmio Jabuti para autores de não-ficção, em seu blog.

Muitos leitores me escrevem pedindo conselhos. Sonham ser escritores. Alguns são bastante jovens, estudantes com idades entre 12 e 14 anos. Que conselhos poderia eu dar a pessoas de idade tão tenra, na qual a vida é ainda um oceano de possibilidades repleto de escolhas tão difíceis?

O primeiro conselho: leia muito.

Bons escritores são antes de tudo bons leitores. Só a leitura nos ajuda a dominar as ferramentas que a língua portuguesa oferece para que possamos escrever bem. Leia de tudo que puder, mas especialmente literatura brasileira: Machado de Assis, João Guimarães Rosa, Carlos Drummond de Andrade, Érico Veríssimo, Jorge Amado, Dalton Trevisan – há uma infinidade de grandes escritores que dominaram a língua portuguesa como ninguém e podem ser nossos professores, mesmo que alguns já tenham morrido.

Se puder, leia também os autores portugueses. José Saramago pode ser difícil para um leitor iniciante? Então, comece, por exemplo, por Miguel Sousa Tavares, autor do magistral “Equador”. Experimente os autores das ex-colônias portuguesas na África, em especial o moçambicano Mia Couto e o angolano José Eduardo Agualusa, meus amigos pessoais. A leitura dos autores de Portugal e África pode ser uma aventura fascinante, que nos ajuda a decifrar as sutilezas existentes nos dois lados do Atlântico no uso desse tesouro que é a nossa língua portuguesa.

A leitura também vai ensinar o gosto pela pesquisa. Estudar e pesquisar é um prazer inigualável. A pesquisa é a etapa mais lenta, mas também e mais divertida e fascinante no trabalho de construção de um livro. Gosto mais de ler do que de escrever. É uma experiência indescritível desvendar detalhes de um personagem ou acontecimento que eu desconhecia até iniciar a pesquisa sobre o tema. Às vezes sinto-me como um garimpeiro que, pacientemente, remexe o cascalho em busca de uma pepita de ouro. É assim que funciona a pesquisa. Às vezes, o detalhe mais interessante está escondido no meio de um parágrafo obscuro na segunda metade de um livro antigo.

Outra sugestão importante: procure ser organizado e disciplinado no trabalho como escritor. O processo de pesquisa e fechamento da edição dos meus livros é semelhante ao de uma redação de jornal ou revista, só com prazos mais alongados. O segredo da boa reportagem, e também do bom livro, está no planejamento. Jornalista ou escritor que não se planeja corre dois riscos opostos: ou trabalha demais ou trabalha de menos. Se você vai para a rua sem saber se a sua matéria será reportagem de capa, de apenas uma página ou uma coluna de uma revista, acaba apurando ou mais informação do que deve ou voltando para a redação com menos material do que o necessário. Aprendi isso a duras penas nesses trinta anos de carreira.

Ao começar a escrever um novo livro, eu planejo com detalhes todos os passos da pesquisa: quantas e quais obras e fontes terei de consultar, quem poderá me dar orientação sobre o tema, que lugares visitarei, quanto tempo cada uma dessas etapas do trabalho vai exigir. Para fazer o próximo livro, o 1889, sobre a Proclamação da República, já tenho pela frente uma bibliografia de mais de 150 livros sobre o Segundo Reinado e a Proclamação da República. Li até agora pouco mais de trinta. Estabeleci um prazo de um ano e meio para ler o restante. Em seguida, mais seis meses para escrever e outros três meses para editar o livro. E em geral cumpro esses prazos à risca. Acho uma pena que escritores se comprometam em prazos com as editoras e não consigam cumpri-los.

São conselhos simples, até óbvios, mas acho que podem ajudar muito esses jovens candidatos a escritores ao longo dessa bela caminhar que se propõem a realizar.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

14 thoughts on “Como se tornar um grande escritor? (por Laurentino Gomes)

  • 16 de dezembro de 2011 em 16:01
    Permalink

    Acima de tudo, o LAURENTINO GOMES esqueceu de dizer, seja jornalista famoso, com trânsito na mídia, que você pode escrever quealquer porcaria que será reconhecido como boa pelos seu pares e fará grande sucesso de venda e crítica. Me poupe, pelo amor de Deus! Se os autores famosos brasileiros fossem realmente bons, Paulo Coelho não seria o único com reconhecimento e popularidade no exterior. Basta de sonhar, Alice!

    Resposta
    • 19 de dezembro de 2011 em 23:11
      Permalink

      Desculpe mas, chamar de “qualquer porcaria” os livros do Laurentino é, no mínimo, uma sandice. No entanto, sei que não foi exatamente isso que disse mas, para mal entendedor, é o que basta.
      Quanto a Paulo Coelho eu acredito que ele deve ter uma bruxa como conselheira que, por mágica, faz com que as pessoas que leem as besteiras que escreve acreditem que estão lendo obras de qualidade. É a única explicação que encontro para justificar tal sucesso, principalmente porque é mundial, o que não nos dá a chance de dizer que é oriundo da pouca qualidade dos leitores brasileiros que poderiam se encantar, simplesmente por aquilo.

      Resposta
      • 20 de dezembro de 2011 em 2:37
        Permalink

        Não acho o Laurentino o supra-sumo, não. Pelo contrário… Acho seus livros históricos tremenda enganação. Dizer que D. João era Gay (ele afirma isso apontando sua relação com o camareiro)? E pelo que eu entendi do que o leitor Carlos disse Paulo Coelho é o único autor lido no mundo inteiro. Querer dizer então ue só os leitores brasileiros tem baixo nível cultural é forçar a barra. Concordo com o Carlos. A qualidade da literatura brasileira exaltada pela mídia nacional é de qualidade ruim mesmo porque é fruto de panela que escreve muito mal.

        Resposta
        • 19 de janeiro de 2012 em 8:14
          Permalink

          Concordo contigo Jeferson.
          infelizmente no Brasil o que se vende é o nome e não a estória.

          Resposta
  • 27 de dezembro de 2011 em 15:55
    Permalink

    Eu realmente fico impressionado é com a qualidade destes comentários, que mais parecem “dor de cotovelo” que uma crítica. Fala sério. Quem são vocês para criticar?? Pensem nisso.

    Resposta
  • 27 de dezembro de 2011 em 22:21
    Permalink

    Não acho que exista a fórmula perfeita para que um candidato se torne um grande escritor. Acho, porém, que ler muito é fundamental, ter cultural geral e se preocupar em dar o melhor de si no que escreve, proporcionar ao leitor, prazer, e não canseira. Buscar desenvolver um estilo, fundamental. Acho que o candidato iniciante deva escolher uma temática, e buscar ser um especialista na área. depois, de experiente, partir para outras fórmulas, temáticas, modos e meios. Criticar, é muito fácil, fazer é que é difícil. No geral, os grandes escritores não sonhavam em serem grandes, por trabalhar com seriedade, se fizeram grandes. Conta ainda o talento e muito, muito trabalho.
    Sou desenhista e escrevo, tenho mais de 30 livros para crianças e adolescentes, alguns ja em acertos com editoras. Faço ilustrações para autores independentes e para editoras. E, pretendo fazer carreira como escritor. Tenho muitos livros na gaveta.
    Um abraço para todos.
    Meu blog: QUADRINHOSLIVROS.BLOGSPOT.COM
    Posto meus contos. Podem conferir.

    Resposta
  • 28 de dezembro de 2011 em 18:56
    Permalink

    Tudo o que se lê e se escreve é importante. Mesmo as “porcarias”. Podemos aprender muito dos textos e aproveitar o que é bom e descartar o que é irrelevante.
    Quanto ao Paulo Coelho, acredito que ele tenha uma grande equipe que o ajudam nas edições e publicações dos livros. É como Bill Gates e a Microsoft. Tarefas distribuidas e publicação em grande escala. Uma verdadeira indústria literária.

    Resposta
  • 19 de janeiro de 2012 em 8:24
    Permalink

    Concordo com voce, Leonidas.
    Realmente há bons autores brasileiros que dispoe de excelentes obras dos mais diversos temas.
    O problema é que as boas editoras são imediatistas e não levam a sério textos de novos autores brasileiros, ou até nem os analizam… A Lei Rowanet deveria dispor de um artigo, obrigando as editoras a publicarem um percentual minimo de obras literárias brasileiras, no intuito de incentivar a publicação de obras nacionais. Já seria um bom avanço. Abraços.

    Resposta
  • 13 de novembro de 2012 em 22:21
    Permalink

    bom eu tenho 13 anos e meu sonho é ser escritora eu invento historias,poemas e varias coisas.Escrevo varias historias boas será que posso ser uma bela escritora?

    Resposta
  • 18 de novembro de 2012 em 20:38
    Permalink

    Lucimara;

    Você mesma diz que escreve boas histórias.Corra atrás de seu sonho.
    Se com 13 anos sabe o que gosta de fazer? Pesquise, estude, corra atrás, porque tem geste que chega aos 40 anos e ainda não sabe o que gosta de fazer.

    Quanto a matéria acima achei super válida.
    Para mim foi útil e isto é o que porta.

    Resposta
  • 25 de junho de 2014 em 12:09
    Permalink

    Sou a Denise,tenho 20anos,sonho em ser uma grande escritora,sou angolana,e já comecei a escrever uma novela.

    Resposta
  • 23 de julho de 2014 em 20:59
    Permalink

    Meu nome é Andressa, tenho 9 anos.Eu e 2 amigas minhas gostaríamos de ser escritora,mas também ainda precisamos de mais um pouco de conhecimento sobre isso.Eu e essas 2 amigas gostamos muito de escrever, e principalmente ler.Sou apaixonada por leitura,por enquanto só experimentei ler livros da Ana Maria Machado, se der, vou tentar ler alguns livros desse autores.Quem sabe, eles me ajudem a ter um pouco mais de conhecimento.

    Resposta
  • 25 de dezembro de 2014 em 12:51
    Permalink

    Tenho 11anos e vou ser escritora queria permissao pra publicar ums livros que eu e minha amiga estamos fazemdo mas como? Vcssabem? Bs!♥♥

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *