Concurso Cultural Literário (38)

capa nada dramática

LER O TRECHO

Camilla Pinheiro conseguiu passar sua vida escolar praticamente ilesa, sem se envolver em dramas adolescentes. Isso é uma grande vitória para ela, que sempre foi muito aplicada nas aulas. E pretende continuar assim, agora que está no terceiro ano do ensino médio do colégio Coliseu, um dos mais puxados e concorridos de Goiânia. Sempre organizada, seus planos para o último semestre se resumem a um só objetivo: passar no vestibular com as melhores notas. Porém, graças a uma confusão amorosa envolvendo seu melhor amigo, Camilla vê seus dias calmos de estudos se transformarem, em meio a revoluções escolares, brigas familiares, intrigas na turma, dúvidas sobre o futuro e até uma inesperada paixão, que ela insiste em negar para si mesma. Para se abstrair do mundo real, agora virado de cabeça para baixo, ela posta em seu blog as aventuras da “Agente C”, sua identidade nada secreta para quem a conhece e sabe o que é viver um dos períodos mais intensos da vida.

Vamos sortear 3 exemplares de “Nada dramática“, da blogueira Dayse Dantas. Para participar, basta responder: Qual o maior “drama” que você viveu (ou vive) durante o período do ensino médio?   O resultado será divulgado dia 19/12 neste post e também no perfil do Twitter @livrosepessoas. Se participar pelo Facebook, não se esqueça de deixar seu e-mail de contato.

***

Parabéns: Thanny, Fabiola Barbosa e Fernanda Karen.

Por gentileza enviar seus dados completos para [email protected] em até 48 horas.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

26 thoughts on “Concurso Cultural Literário (38)

  • 1 de dezembro de 2013 em 20:22
    Permalink

    Não ter prestado a FUVEST por não ter escolhido o curso a tempo das inscrições terminarem.

    Resposta
  • 2 de dezembro de 2013 em 23:36
    Permalink

    Acho que meu maior drama foi em tentar ser menos dramática, principalmente com as notas e problemas rotineiros do complicado universo do ensino médio.

    Resposta
  • 3 de dezembro de 2013 em 9:09
    Permalink

    Meu maior drama foi o seguinte: Em pleno dia de aula normal, a turma toda estava numa muvuca total pra sair do colégio logo,ai me deu na cabeça pular a janela da minha sala pra chegar no portão mais rápido,rsrs só que não havia reparado que estava vindo a diretora do colégio,ai ela me pegou no flagra, levei advertência.

    Resposta
  • 3 de dezembro de 2013 em 11:47
    Permalink

    Ter me declarado pra um colega num cartão e presente de aniversário que dei. Nem preciso dizer que o fulano se fez de samambaia e eu fiquei com coração partido… 🙂

    Resposta
  • 3 de dezembro de 2013 em 13:33
    Permalink

    Nossa, quando se é adolescente é tudo um drama! Durante toda a minha adolescência eu fui extremamente dramática e acho que esse era meu maior drama. Eu tinha o poder de transformar um coisa pequena no fim do mundo ¬¬.

    [email protected]

    Resposta
  • 3 de dezembro de 2013 em 16:48
    Permalink

    No ensino médio eu sentia uma atração FÍSICA pelo meu professor de INGLÊS e estava ansiosa para mostrar minha GEOGRAFIA mas entre nós a QUÍMICA não rolava e esta é uma longa e triste HISTÓRIA que eu nem gosto de lembrar.

    Resposta
  • 3 de dezembro de 2013 em 17:27
    Permalink

    Ficar de recuperação pela primeira vez e chorar horrores. Sei lá, não precisava chorar tanto.

    Resposta
  • 3 de dezembro de 2013 em 17:58
    Permalink

    Foi viver num mundo paralelo em que colocava e guardava todas as minhas expectativas e sonhos referentes ao vestibular – passar em primeiro lugar no curso, uma carreira brilhante e ter um amor correspondido (que bom que passei em sua vida deixando o livro ‘O Príncipe’ de Maquiavel), algo construtivo deve ter ficado…hehe

    Resposta
  • 4 de dezembro de 2013 em 0:15
    Permalink

    Decidi qual profissão seguir. Foi um drama, pois eu tive o maior medo de me arrepender.

    Resposta
  • 4 de dezembro de 2013 em 2:25
    Permalink

    Estar numa turma onde só tinham caras sacanas e valentões eu era um nerd, sofria com as investidas desses caras. E por isso, tive que mudar de turma.

    Resposta
  • 4 de dezembro de 2013 em 9:54
    Permalink

    Oh gente, drama mesmo é o que eu passo, sofro demais na escola, pelo “simples” motivo: MINHA MÃE SER DIRETORA DA MINHA PRÓPRIA ESCOLA. Dai então, não posso fazer bagunça como um aluno normal, tenho que ser sempre exemplar e quando faço alguma coisa de errado, é claro que a minha mãe já esta sabendo. Isso pra nem é drama, é terror.

    Resposta
  • 4 de dezembro de 2013 em 15:03
    Permalink

    O drama do meu ensino médio foi assumir tantas responsabilidades e decisões difíceis, como a escolha da profissão. Carregar o peso das cobranças, não só as dos outros, mas principalmente as minhas. Todos esses conflitos com uma idade repleta de descobertas em que apenas uma escolha (boa ou ruim) parece mudar a nossa vida inteira.

    Resposta
  • 4 de dezembro de 2013 em 18:39
    Permalink

    O maior drama da época do Ensino Médio foi ter me apaixonado por um nerd e ele nunca decidir se gostava de mim ou não, e quando ele me pediu em namoro eu disse “não”. Pelo menos a gente voltou a se falar e hoje namoramos a 3 anos *-*

    Resposta
  • 4 de dezembro de 2013 em 18:41
    Permalink

    O maior drama que já sobrevivi e ainda sobrevivo é de assumir diversas responsabilidades, ter que estudar, fazer provas, ajudar em casa, correr atrás de um bom emprego e curso. Sem contar a parte emocional, muitos problemas de família e amigos que nem sempre podemos sair por ai contando para os outros. Quando chegamos numa certa idade, não dá mais para ficarmos parados e esperar que as coisas cheguem até nós, é preciso corre atrás. E por mais que não pareça, ser adolescente é muito difícil. Mas para tentar superar todo esse drama, o bom mesmo é estar sempre com um livro do lado, pois quando o livro não está bom, você pode fechar e pronto, mas na vida real não é assim.

    Resposta
  • 5 de dezembro de 2013 em 15:22
    Permalink

    Meu maior drama foi ser melhor amiga do cara mais disputado do colégio. Além de aturar as meninas querendo saber como conquista-lo, tinha que lidar com as frases irônicas do tipo: “vocês só são amigos?”.

    Resposta
  • 5 de dezembro de 2013 em 15:35
    Permalink

    Meu maior drama foi chegar em uma aula de Artes Plásticas e ouvir do professor “Então… essa é a nossa última aula do bimestre” e ser a primeira aula em que eu aparecia. Resultado: semanas de sofrimento correndo o risco de reprovar o último ano por precisar de nota demais em Artes Plásticas.

    Resposta
  • 6 de dezembro de 2013 em 9:43
    Permalink

    Vish…Como eu fui até que calminha na época do colégio, acho que meu maior drama foi quando minhas amigas começaram a zoar que eu ia ficar com o meu professor (ele era japonês e, na época, eu era louca por japa). Na brincadeira, eu e ele sempre dávamos risada e tal. Até que ele começou a me dar carona pra casa e me convidou pra jantar. Eu, achando que era zoeira, aceitei rindo. No dia senguinte, depois da aula, ele tava me esperando na sala dos professores pra jantar e, cara,…meu coração disparou. E eu fugi que nem uma louca dele até o fim do ano (sem contar a surpresa que ele me aprontou antes da minha última fuga)! Mas é uma lembrança engraçada e vivo rindo da minha ingenuidade.

    Resposta
  • 8 de dezembro de 2013 em 21:09
    Permalink

    O meu maior drama no ensino médio foi quando minha avó sofreu um acidente e quase ficou paraplégica. Eu ia pra escola, mas minha cabeça não estava realmente lá. E quando eu estava em casa, eu fazia de tudo para ajudar a minha mãe a cuidar dela. Quase fiquei reprovada, porém meus professores e coordenadores foram compreensíveis e me deram uma segunda chance, a qual eu não desperdicei, é claro!

    Resposta
  • 10 de dezembro de 2013 em 10:26
    Permalink

    Minha vida no ensino médio foi um tanto quanto caótica, eu diria conturbada, indo de menina prodígio à aluna problemática. Eu era a típica CDF sem graça que os garotos pediam cola. Analise: em todo colégio as meninas do ensino médio andam em grupo, mais precisamente em dupla. Uma feia, outra bonita (a bonita sempre vai andar com a feia para que pareça ainda mais bonita). Bem, eu era a amiga feia.
    Depois de me apaixonar por um carinha do segundo ano e levar um fora histórico, ainda tive que assistir ele se declarando pra menina mais bonita da minha sala. Ele tocou a minha música favorita, eu eu acho que ele sabia disso.
    Eu me fiz de forte, cantei, ri e no fim…. Não aguentei e chorei.
    Depois ela veio me pedir desculpa (porque sim, ela era uma das amigas bonitas), me disse que queria ter me falado antes e blá,blá,bá… E ainda pediu que eu copiasse a música pra ela.
    Quer saber o pior? Eu copiei!
    Foi o início do meu declínio! Mudei de cidade…
    Me recuperei.
    Superei…
    Ou não.

    Dava um livro…

    Resposta
  • 12 de dezembro de 2013 em 19:54
    Permalink

    Meu maior drama do ensino médio, com direitos a muita tensão e horror, foi ter toda a escola em estado de alerta, porque um dos alunos criou uma conta anônima no Orkut e ameaçou abrir fogo contra os alunos, professores e direção. Imagina ter que ser revistada durante uma semana inteira? (Com direito a detector de metais e tudo!) Sentir medo da própria sombra e se jogar no chão ao ouvir o barulho da lixeira sendo derrubada no fim do corredor? Mas o pior de tudo era suspeitar que o aluno X seria responsável por tudo isso. As fofocas se espalharam: “Ele é psicopata!”, “Ah, aquele nerd idiota”, “Ouvi falar que ele pegou as armas com o pai!” “Não, ele comprou pela internet!”. Não foi fácil pra gente e não foi fácil pra ele. A polícia e a escola nunca revelaram o nome do culpado.

    Resposta
  • 13 de dezembro de 2013 em 11:29
    Permalink

    Meu maior drama no ensino médio é minha relação com as minhas amigas, é muito complicada e cheia de tanto drama……

    Resposta
  • 17 de dezembro de 2013 em 16:38
    Permalink

    Passar todo o ensino médio apaixonado por dois amigos. Eram irmãos. E héteros. Mas a escola um dia acabou e a paixão foi junto.

    Resposta
  • 19 de dezembro de 2013 em 9:57
    Permalink

    Simplesmente fui pro ensino médio com apenas 13 anos, muito magra e cabelão. E todos diziam: vc está na escola certa? Kkkkkkk

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *