Concurso Cultural Literário (48)

capa vestido de noiva

Leia um trecho

Sophie, uma jovem mulher que leva uma vida pacata, começa a cair lentamente na loucura: milhares de pequenos e inquietantes sinais se acumulam e, de repente, tudo se acelera. Seria ela a responsável pela morte da sua sogra e de seu marido enfermo?

Pouco a pouco ela se encontra envolvida em vários assassinatos, dos quais ela não tem a menor lembrança. Então, desesperada, porém lúcida, ela organiza sua fuga, muda de nome, de vida, se casa, mas o seu terrível passado a alcança.

As sombras de Hitchcock e de Brian de Palma pairam sobre esse thriller diabólico.

Vamos sortear 3 exemplares de “Vestido de noivo“, lançamento da Vertigo escrito por Pierre Lemaitre, vencedor do prêmio Goncourt.

Para participar, comente esta frase de Schopenhauer: “O destino embaralha as cartas, e nós jogamos”. Use no máximo 3 linhas.

Se participar via Facebook, por gentileza deixe seu e-mail de contato.

O resultado será divulgado dia 13/3 às 17h30 neste post e nas redes sociais da Vertigo.

Boa sorte!

***

Parabéns aos ganhadores: Fabio de Toledo, Ricardo C. Nascimento e Monique Bispo.

Por gentileza enviar seus dados completos para [email protected] em até 48 horas.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

28 thoughts on “Concurso Cultural Literário (48)

  • 11 de fevereiro de 2014 em 11:39
    Permalink

    A partir da realidade que nos é dada escolhemos que caminho seguir. O destinos coloca os problemas a nossa frente, mas cabe a cada um escolher o que fazer para solucioná-lo, ignorá-lo ou, até mesmo, piorá-lo.

    Resposta
  • 11 de fevereiro de 2014 em 15:33
    Permalink

    Nos somos os responsáveis por apenas ter as cartas na mão ou podemos elaborar as melhores jogadas para nossas vidas.

    Resposta
  • 12 de fevereiro de 2014 em 1:11
    Permalink

    Mesmo com as cartas em jogo podemos escolher sabiamente a melhor jogada na vida! =]

    Resposta
  • 12 de fevereiro de 2014 em 10:31
    Permalink

    Viver é uma incógnita. Sobreviver é questão de sorte.

    Resposta
  • 12 de fevereiro de 2014 em 10:40
    Permalink

    “O destino embaralha as cartas, e nós jogamos”. (Schopenhauer)

    Esta frase revela o grande mistério dessa vida. A razão em vivermos está justamente em termos que DESEMBARALHAR essas cartas. Pois de nada adiantaria viver sem ter o que contestar, competir, desafiar, desvendar… A vida é um jogo, vence quem está mais treinado, habilitado!

    Resposta
  • 12 de fevereiro de 2014 em 10:57
    Permalink

    A vida é um jogo: com derrotas e vitórias, cabe a nós escolher os melhores parceiros para dar um xeque mate nos obstáculos que irão surgir.

    Resposta
  • 12 de fevereiro de 2014 em 11:14
    Permalink

    Tudo já está escrito e definido. O que temos que fazer é conduzir nossas escolhas e fazer a regra do jogo.

    Resposta
  • 12 de fevereiro de 2014 em 11:21
    Permalink

    Podemos até acreditar em destino, e que as coisas que acontecerão já estavam escritas, mas, cabe a nós tomarmos as decisões sobre como reagir a cada acontecimento que a vida nos apresenta.

    Resposta
  • 12 de fevereiro de 2014 em 18:13
    Permalink

    De fato, tudo o que temos agora, no presente, é uma consequência do destino. Nos resta apenas ter sabedoria para utilizar bem os caminhos (ou as cartas) que o destino oferece e vencer a partida que nomeamos “vida”.

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2014 em 22:28
    Permalink

    Temos que estar prontos para enfrentar o que quer que seja colocado à nossa frente, seja qual for a situação que o destino definiu.

    Resposta
  • 14 de fevereiro de 2014 em 18:37
    Permalink

    “O destino embaralha as cartas, e nós jogamos” quer dizer que na nossa vida, tudo que acontece, temos a liberdade de escolher os caminhos a seguir e como agir diante das adversidades da vida, cabe somente a nós decidir o que fazer!

    Resposta
  • 15 de fevereiro de 2014 em 19:13
    Permalink

    Meros jogadores coadjuvantes, aflitos sobre a incerteza do que virá. Não nos é permitido conhecer as cartas ou mesmo ter controle sobre o jogo. Nesse tabuleiro, o destino é incerto e o caminho coberto de dor . Confiança, não. O destino te cobra muito sem lhe dar nada, as cartas embaralhadas são apenas distrações, confiei apenas em você.

    Resposta
  • 15 de fevereiro de 2014 em 19:55
    Permalink

    Nós temos as cartas e a sorte em nossa vida, cabe a nós saber usar as cartas e lidar com a sorte!

    Resposta
  • 16 de fevereiro de 2014 em 14:15
    Permalink

    É preciso saber blefar. Tapear o destino. é como escrevemos nossa história. Ela pode ser curta ou longa vai depender do jogador no final vai sempre parecer que perdemos, mas o espólio será de quem sobreviver e espero que sejam os meus.

    Resposta
  • 18 de fevereiro de 2014 em 10:27
    Permalink

    O destino pode até embaralhar as cartas, mas no final das contas, jogamos sozinhos. Vencem aqueles que souberem lidar melhor com as possibilidades.

    Resposta
  • 19 de fevereiro de 2014 em 9:16
    Permalink

    O destino embaralha as cartas, mas elas ainda estão todas lá. Cabe a cada um de nós, jogadores, lutarmos para ficar o maior tempo possível no jogo e fazermos o melhor possível com as cartas que nos são dadas.

    Resposta
  • 20 de fevereiro de 2014 em 15:21
    Permalink

    O segredo é saber jogar as cartas corretas na hora certa!

    Resposta
  • 25 de fevereiro de 2014 em 13:14
    Permalink

    Na vida, temos vários caminhos a escolher; resta-nos saber qual é o certo .

    Resposta
  • 3 de março de 2014 em 20:59
    Permalink

    Toda escolha tem suas renúncias e suas consequências, a cada lance novo você tem de jogar uma carta até encontrar a que precisa assim como uma decisão tente a deixar algo para acrescentar o novo sendo ele bom ou não.

    Resposta
  • 9 de março de 2014 em 10:35
    Permalink

    O final do jogo vai mostrar a face (ou as faces) do destino.

    Resposta
  • 9 de março de 2014 em 21:37
    Permalink

    O destino pode até fazer com quem as coisas não saem da forma que planejamos sempre, porém a forma de lidar “fora do percurso” somos nós que sabemos e muitas vezes esses pequenos “erros” do destino, pode ser maravilhoso se olharmos de outra forma.

    Resposta
  • 13 de março de 2014 em 9:51
    Permalink

    O destino embaralha as cartas, e eu também. Quem começa o jogo é você!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *