Concurso Cultural Literário (54)

revivente_210214_Eduardo.indd

LEIA UM TRECHO

Jeff Winston é um jornalista de rádio de 43 anos, que está preso em um casamento fracassado e um emprego sem futuro. Ao sentir uma forte dor no peito, morre instantaneamente. Momentos depois, acorda em 1963, em seu quarto da época de faculdade, com 18 anos novamente, e lembrando-se perfeitamente de tudo o que aconteceu. Sem entender o que está ocorrendo, a única coisa que sabe são os fatos de sua vida e do mundo que se repetirão, inclusive o dia de sua morte. As dúvidas invadem sua mente: o que fazer dessa “nova” vida? Cometer os mesmo erros ou fazer tudo diferente? Deixar que os grandes desastres da história aconteçam ou tentar interferir? Nesta surpreendente e premiada obra, que foi inclusive inspiração para o filme “Feitiço do tempo” (Groundhog Day), é uma aventura emocionante que desafia os limites do tempo.

Vamos sortear 3 exemplares de “Revivente“, lançamento espertíssimo da  Gutenberg.

Para participar é só responder: O que você mudaria em sua vida se tivesse a oportunidade de voltar no tempo? (use no máximo 3 linhas)

Se participar pelo Facebook, por gentileza deixe seu e-mail de contato.

O resultado será divulgado dia 27/3 às 17h30 neste post.

Boa sorte! 🙂

***

Parabéns aos ganhadores: Isabel David AlvesAline DubocRodrigo Yabiku.

Por gentileza enviar seus dados completos para [email protected] em até 48 horas

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

40 thoughts on “Concurso Cultural Literário (54)

  • 7 de março de 2014 em 13:17
    Permalink

    Amaria mais, odiaria menos, mostraria mais as pessoas amadas o quanto são importantes para mim. Faria mais o bem.

    Resposta
  • 7 de março de 2014 em 17:15
    Permalink

    Aproveitaria coisas e pessoas que hoje em dia não podem mais estar comigo…

    Resposta
  • 7 de março de 2014 em 17:29
    Permalink

    Acho que não mudaria nada. Independente das perdas e dos erros, foram eles que contribuíram para o que sou hoje. Talvez se houvesse uma mudança no meu passado, consequentemente meu presente seria afetado.

    Resposta
  • 7 de março de 2014 em 17:33
    Permalink

    Acho que não mudaria nada. Independente das perdas e dos erros, foram eles que contribuíram para o que sou hoje. Talvez se houvesse uma mudança no meu passado, consequentemente meu presente seria afetado.

    Resposta
  • 8 de março de 2014 em 19:49
    Permalink

    Se eu pudesse voltar no tempo eu me preocuparia menos em pensar no futuro e me concentraria mais em aproveitar o presente, porque nem todos temos o mesmo privilégio do personagem do livro de viver de novo, então temos que fazer valer a pena.

    [email protected]

    Resposta
  • 9 de março de 2014 em 10:03
    Permalink

    Não mudaria nada. A vida tem um curso. Eu não o destruiria. Pois que garantias eu teria que o melhor para mim seria tentar mudar o que eu já tinhha feito? O passado não volta por algum motivo. E o presente tem esse nome por outro também. Temos o hoje não o ontem.

    Resposta
  • 9 de março de 2014 em 10:44
    Permalink

    Teria mudado de emprego, tive a oportunidade, mas não tive a coragem necessária. Pensei mais em uma pessoa do que em mim.

    Resposta
  • 9 de março de 2014 em 11:52
    Permalink

    Eu iria passar mais tempo no fórum de Harry Potter onde fiz tantas amizades e conheci tantas pessoas incríveis.

    Resposta
  • 9 de março de 2014 em 12:51
    Permalink

    Não mudaria nada, porque coisas horríveis aconteceram com bruxos que mexeram com o tempo

    Resposta
  • 9 de março de 2014 em 12:55
    Permalink

    Mudaria comportamentos que trouxeram sofrimentos . Usaria o que aprendi como benefícios em todos aspectos possíveis

    Resposta
  • 10 de março de 2014 em 13:35
    Permalink

    Não mudaria nada, pois na vida coisas boas superam expectativas, e as más servem de lição aprendizado. A vida é uma rota de mão única, ao escolher algo, consequentemente tem seu lado bom e ruim. Não há um meio termo.

    Resposta
  • 10 de março de 2014 em 13:39
    Permalink

    pensaria menos pra fazer as coisas que deixei de fazer e sinto como se fossem oportunidades perdidas na época em que [não] aconteceram.

    Resposta
  • 11 de março de 2014 em 17:16
    Permalink

    Somos apenas uma das incógnitas na equação da vida. Só em sabermos do futuro, já mudaria a “linha do destino”, assim não poderíamos relutar, então estudaria mais para uma boa base remunerada, e dominaria melhor um instrumento musical, pois a musica é o “mapa da alma”!

    Resposta
  • 11 de março de 2014 em 19:47
    Permalink

    Os livros transformam o mundo interior e exterior.

    Resposta
  • 12 de março de 2014 em 15:04
    Permalink

    Creio que mudaria algumas escolhas que fiz, as quais fui conduzido pelas ideias dos outros. E é isso, e amo livros, com os livros sempre se aprende algo, os livros são meus amigos. E com certeza esta obra “Reinvente” deve ser nota DEZ!

    Resposta
  • 13 de março de 2014 em 9:55
    Permalink

    Nada mudaria, pois tudo o que aconteceu, creio eu, foi para meu crescimento espiritual. Aprendi e aprendo com meu erros e acertos – mais erros que acertos – mas se não fosse isso, não seria e não me tornaria quem sou hoje.

    Resposta
  • 13 de março de 2014 em 10:48
    Permalink

    Não mudaria nada, não sou rico ou tenho emprego dos sonhos, mas tenho uma esposa e filhos que amo muito.

    Resposta
  • 13 de março de 2014 em 12:16
    Permalink

    Não demoraria 42 anos para me permitir apaixonar!!!

    Resposta
  • 14 de março de 2014 em 12:52
    Permalink

    Eu iria voltar e escrever um bilhete para meu eu no passado bem assim: viva o momento e faça todas as coisas que deseja pois assim quando chegar no futuro não vai ficar desejando voltar para o passado e mudar algo de sua história. Seja feliz e viva no PRESENTE.

    [email protected]

    Resposta
  • 14 de março de 2014 em 18:36
    Permalink

    Eu teria passado mais tempo com meu pai, teria dito que o amava enquanto ele ainda estava por aqui, antes dele morrer.

    Resposta
  • 14 de março de 2014 em 21:34
    Permalink

    Deixaria pra trás os medos que me impossibilitaram de arriscar e colocaria fim às dúvidas traidoras que me impediram de alcançar meus sonhos.

    Resposta
  • 15 de março de 2014 em 10:38
    Permalink

    Dizeria o último “Eu te amo” para as pessoas da minha família que se foram.

    Resposta
  • 16 de março de 2014 em 16:25
    Permalink

    Eu teria aproveitado mais o tempo que morei com os meus pais porque agora moro em outra cidade em outro estado e sinto muita falta dos meus pais e minha família durante os almoços principalmente os de domingo.

    Resposta
  • 18 de março de 2014 em 8:44
    Permalink

    Hm, vejamos… Eu teria mudado algumas decisões que consequentemente evitariam alguns erros que por sua vez poderiam ter me tornado uma pessoa melhor

    Resposta
  • 18 de março de 2014 em 9:03
    Permalink

    Estudaria mais, me importaria menos com a opinião alheia e definitivamente, aproveitaria mais as oportunidades que tive e planejaria melhor o meu futuro.

    Resposta
  • 18 de março de 2014 em 10:15
    Permalink

    Não mudaria nada, pois somos o resultado da soma das nossas experiências. Então, viver sem arrependimentos e aprender com o que se vive hoje é o meu pensamento.

    Resposta
  • 18 de março de 2014 em 15:25
    Permalink

    Eu tentaria entender mais meus pais, pois eles também tem seus conflitos internos e hoje vejo que causei preocupação desnecessária para eles que sempre foram meus heróis.

    Resposta
  • 20 de março de 2014 em 21:38
    Permalink

    Eu tentaria aproveitar bem mais o ensino médio e fazer mais amigos. E talvez se eu não tivesse passado no primeiro vestibular, teria mais perspectiva do que eu realmente queria.

    Resposta
  • 21 de março de 2014 em 2:19
    Permalink

    Não mudaria nada, pois isso abriria um buraco no continuum espaço-tempo.

    Resposta
  • 22 de março de 2014 em 17:05
    Permalink

    Eu devia ter amado mais, ter chorado mais, ter visto o sol nascer. Devia ter arriscado mais e até errado mais, ter feito o que eu queria fazer *.*

    Resposta
  • 22 de março de 2014 em 21:05
    Permalink

    Eu com certeza não abandonaria o ballet. Parece até um pouco fútil, mas tê-lo abandonado foi uma das poucas coisas que me arrependi em toda a minha pequena vida.

    Resposta

Deixe um comentário para José Alves Pereira de Araújo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *