Prisioneiros italianos têm pena reduzida por leitura de livros

Prisioneiros italianos têm pena reduzida por leitura de livros
Foto: SXC.hu

Prisioneiros na Itália serão recompensados pela leitura, de acordo com uma nova lei, baseada em medida brasileira.

Publicado no Voz da Rússia

Segundo a revista The Independent, o conselho regional da Calábria, região no sul da Itália, aprovou a lei que reduz a pena de um preso em três dias para cada livro lido.

A medida tem um teto de 48 dias descontados em um ano, ou seja, valem no máximo 18 livros lidos em 12 meses.

“Ler é um extraordinário antídoto à tristeza, promove conscientização e redenção social e pessoal”, disse o representante do Ministério da Cultura local, Mario Caligiuri. Para ele, a nova lei vai, além de incentivar a leitura, diminuir a quantidade de pessoas nas prisões.

A Itália é o segundo país com maior número de presidiários na Europa, ficando atrás apenas da Sérvia.

A medida foi aprovada pelo governo regional da Calábria e agora deve ser debatida no parlamento nacional, para valer em todo o território.

No Brasil, medidas semelhantes já são adotadas em alguns estados.

— Folha Online

 

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

One thought on “Prisioneiros italianos têm pena reduzida por leitura de livros

  • 27 de maio de 2014 em 19:43
    Permalink

    Li uma matéria parecida, só que daqui do Brasil mesmo. Eu acho uma ótima ideia, porque eles não apenas leem. Eles realmente devem prestar atenção na leitura porque ao final devem fazer uma resenha que será analisada por uma equipe pronta pra isso depois, além de que não é qualquer livro, são livros “inteligentes”, previamente lidos e analisados antes de serem passados à eles. Com isso, acredito que saírão das celas pessoas mais cultas, conscientes.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *