Os autores mais inventivos no Twitter

Cinco escritores que usam o microblog de forma original

Publicado em O Globo

01

Jennifer Egan (@Egangoonsquad)
Em 2012, a autora americana surpreendeu ao escrever “Caixa preta”, um conto completo dividido em tweets diários de 140 caracteres. Com oito mil palavras, o texto foi publicado originalmente no Twitter e só depois ganhou as páginas da “New Yorker”. Prêmio Pulitzer em 2011 com o romance “A visit from the Goon Squad”, Egan começou a experiência com o seguinte tweet: “People rarely look the way you expect them/to, even when you’ve seen pictures.” (As pessoas raramente se parecem com a ideia que fazemos delas, mesmo quando já as vimos em foto).

Márcia Foletto/05-07-2012
Márcia Foletto/05-07-2012

02

Teju Cole (@tejucole)
O escritor nigeriano foi ainda mais longe do que Jennifer Egan: escreveu um conto apenas retuitando tweets de outros usuários. Ele também usou o Twitter para criar uma versão contemporânea do “Dicionário de ideias feitas”, de Flaubert. Fora isso, tem feito comentários divertidos sobre a copa do mundo no Brasil. Vejam esse sobre a mordida do Suárez: “Uma suspensão do futebol é apenas férias para Suárez. A melhor maneira de afetá-lo seria bani-lo de todos os restaurantes italianos”.

Márcia Foletto/05-07-2012
Márcia Foletto/05-07-2012

03

Tao Lin (@tao_lin)
Epigramas, artes visuais, palavras perdidas e muito nonsense fazem da conta de Tao Lin um dos lugares mais estranhos do Twitter. O poeta e romancista encontrou uma dicção própria em 140 caracteres, transformando o corriqueiro em absurdo. Exemplos: “Cleaning my floor w watermelon” (“Limpando meu chão com melancia”); “Poetry collection titled ‘officially waiting for Indian food'” (“Por uma coleção de poesia intitulada ‘esperando oficialmente por comida indiana'”); ou ainda “Every holiday seems like a darker version of any other holiday” (“Cada feriado parece com uma versão mais sombria de qualquer outro feriado”).

Reprodução
Reprodução

04

Mira Gonzalez (@miragonz)
Para a poeta californiana, poesia e Twitter têm o mesmo propósito: retratar uma rotina de melancolia narcótica, solidão virtual e muito álcool. “Tuitar é como atirar em um muro”, escreveu. Segundo a revista “Dazed and confused”, Mira é a única presença literária tão “prolífica e intensa na mídia social” quanto Tao Lin: “Suas duas contas no Twitter compõem um tipo de poesia de si e sobre si, muito representativa de sua primeira coletânea de poemas”, definiu a revista.

Reprodução
Reprodução

05

Horse ebooks (Horse_ebooks)
Durante muito tempo, pensou-se que uma das contas mais divertidas e misteriosas do Twitter era um spambot – ou melhor: um programa projetado para enviar spam automaticamente. Os tuites aleatórios formavam frases dadaístas que encantavam pela falta de nexo, como “everything happens to much” (“tudo acontece demais”) ou “You will undoubtedly look back on this moment with shock and” (Você irá sem dúvida olhar para trás neste momento com choque e”). Em setembro do ano passado foi revelado que a conta na verdade não era administrada por um robô, e sim por Alexei Kouznetsov Kouznetsov, um web designer e spammer russo. Desde então, parou de ser atualizada.

Reprodução
Reprodução

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *