Alunos da UnB lançam vídeo #EstudaLuciana para rebater argumentos de Luciana Genro pró-socialismo

1

Diego Iraeta, no Brasil Post

A entrevista da presidenciável Luciana Genro (PSOL) concedida a Danilo Gentili na semana passada continua repercutindo. Após ser aplaudida nas redes por mandar o apresentador ‘estudar mais’ sobre comunismo, agora ela é alvo de deboche de um grupo de estudantes da Universidade de Brasília (UnB).

[youtube width=”620″ height=”385″]http://youtu.be/at4FpH9PKyI[/youtube]

 

Os alunos, que participam do Instituto Liberal do Centro-Oeste, gravaram o vídeo acima para rebater um a um os argumentos de Genro pró-socialismo, apresentados no programa The Noite, de Gentili.

Para quem quer um resumo do vídeo, seguem as principais defesas do grupo em prol do #EstudaLuciana:

Taxar as grandes fortunas é pior

Luciana Genro quer a taxação das grandes fortunas — acima de R$ 50 milhões.
Segundo os estudantes, essa medida não deu certo nos países em que foi adotada.

Eles explicam que essa tributação levou à fuga de dinheiro de países como França e Estados Unidos.
Como exemplo, citaram Eduardo Saverin, ex-Facebook, e o ator Gerard Depardieu, que abriram mão das respectivas cidadanias para que o Estado não mexesse em seus cofres.

“É uma ingenuidade achar que milionários vão ficar parados esperando o Estado tomar seu dinheiro”, ironiza um estudante.

Com dinheiro saindo do País, há o risco de cair o nível de empregos.

Investir na Bolsa financia a produção

Os alunos afirmam que é uma falácia Genro dizer que o dinheiro hoje vai para o mercado de capitais, em vez de ir para a produção.
Enumeram uma série de empresas de alimentos e tecnologia que têm ações na Bolsa.
E explicam que investir na Bolsa é financiar a produção dessas companhias.

Também dizem que “não existe dinheiro certo” no mercado financeiro, como defende Luciana Genro.
Ainda alfinetam o pai dela, o governador Tarso Genro (PT-RS), candidato à reeleição, que tem grana em fundo de investimentos.

Países livres e capitalistas são mais tolerantes aos gays

Os jovens do Instituto Liberal do Centro-Oeste defendem que socialismo e liberdade, substantivos que figuram no nome do PSOL, são excludentes.

Lembram que países capitalistas e livres são mais tolerantes aos gays — minoria acolhida pelo PSOL em suas bandeiras fundamentais.

Renda dos pobres é maior em países capitalistas

Os estudantes usam o ranking mundial de liberdade econômica para comparar como está a renda das pessoas mais pobres em países capitalistas e socialistas.

Os dados mostram que, quanto mais empreendedorismo e comércio, os pobres de um país são mais ricos.
Portanto, segundo eles, a renda das famílias pobres é maior em países mais livres.

O socialismo não deu certo

Tratado como “utopia concreta” por Luciana Genro, o socialismo não logrou êxito — defendem os jovens do vídeo.
Para eles, é praxe os militantes socialistas se referirem a ditadores comunistas pelo nome do regime do ditador, na tentativa de mascarar uma experiência de socialismo que deu errado.

É o caso do “stalinismo”, na União Soviética, “castrismo”, em Cuba, e “chavismo”, na Venezuela.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *