Concurso Cultural Literário (97)

capa vingança

LEIA UM TRECHO

Não há trégua para Diane Silver…

A profiler do FBI Diane Silver continua sua caça aos serial killers. Ela se associou a Rupert Teelaney – também conhecido como Nathan Hunter –, um dos homens mais ricos do planeta, para eliminar esses carrascos, protegendo assim suas futuras vítimas. Mas o que ela deseja, acima de tudo, é encontrar a mulher que conduziu sua filha Leonor, de onze anos, até seu torturador. Diane sabe, no entanto, que, aliando-se a Nathan/Rupert, escolheu o caminho da ilegalidade, da extrema solidão.

Enquanto isso, em Paris, Yves Guéguen tenta proteger Sara Heurtel, cuja filha satanista foi assassinada por Nathan nos Estados Unidos. Na zona rural de Boston, uma cena digna dos piores pesadelos é descoberta em uma encantadora casa de campo, cujo porão foi transformado em um calabouço onde jazem três cadáveres. Diane tem agora uma nova presa, um novo predador a caçar.

concurso-amarga

Em parceria com o Livrólogos, vamos sortear 4 exemplares de “Amarga vingança“, de Andrea H. Japp, lançamento da Vestígio.

Para participar, basta responder à pergunta: “Uma vingança pode ser doce ou é sempre amarga?

Tenha o dobro de chances ao participar também no Livrólogos. Serão 2 livros em cada blog.

O resultado será divulgado no dia 21/10 neste post.

Boa sorte. 🙂

***

Parabéns: Lilla Araújo e Elisabeth Machado de Salles \o/

Por gentileza enviar seus dados completos para [email protected] em até 48 horas.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

11 thoughts on “Concurso Cultural Literário (97)

  • 27 de setembro de 2014 em 20:13
    Permalink

    Vinga-se é o ato de retribuir o mal que nos foi feito, pagando na mesma moeda ou até em moedas a mais, dando em triplo a dor recebida. A vingança começa na mente, quando não adianta gritos ou silêncios para nos fazer justiça. Aí vem o rancor que a toda lembrança do sofrimento faz remoer as mágoas, e assim vem o ódio que cega, tirando qualquer possibilidade de perdão e reconciliação. A vingança nunca é doce, pois ela por si só já uma atitude amarga que apodrece o coração e a alma. Doce ela seria se propusesse alguma trégua, se possuísse um caráter de vontade de reconstituir a paz, mas isso não é possível na maior parte dos casos, as pessoas querem mesmo é torturas, dores, choros, ainda mais quando alguém da família foi manipulada e levava para o caos, nisso não há nada mais que importa do que ter seu ódio em atos ruins, o gosto do vingativo pode ser de açúcar, porém não terá uma alma açucarada.

    Curtindo no Facebook da minha irmã Kavellin Leal (Porque tive que apagar o meu)
    @tindaciana
    [email protected]

    Resposta
  • 29 de setembro de 2014 em 11:18
    Permalink

    Vingança é um prato doce com um final amargo. Quando cometemos o ato da vingança, mostramos aos outros e a nós mesmos o quão negativo o ser humano pode se tornar ao guardar mágoas e querer “retribuir na mesma moeda”

    Resposta
  • 6 de outubro de 2014 em 10:34
    Permalink

    A vingança pode ser doce, dependendo de como ela é arquitetada.

    Resposta
  • 8 de outubro de 2014 em 10:10
    Permalink

    No sentido exato da palavra vingança, ela sempre será amarga.

    Resposta
  • 12 de outubro de 2014 em 18:52
    Permalink

    Como diria seu Madruga, “a vingança nunca é plena, mata a alma e envenena”. Fico com as suas palavras.
    [email protected]

    Resposta
  • 17 de outubro de 2014 em 10:05
    Permalink

    A vingança é algo agridoce com um gosto variante, no momento, no ato em si é quente e doce como uma bebida requintada pela qual se ansiou durante todo o dia, sorvendo-a sem culpas, mas se torna amarga a medida com que o arrependimento nos vem, e o que era doce se torna o puro fel descendo por nossa garganta até nos apodrecer por dentro.
    [email protected]

    Resposta
  • 18 de outubro de 2014 em 14:26
    Permalink

    Depende do que o motivar ou do que você sofreu e sentiu ao te fazerem mau. Se você se deixar se levar pela dor e raiva… você terá um grande prazer ao revidar o que te fizeram. Pode-se dizer que você apreciará e irá saborear docemente sua vingança. Essa vitória e sabor poderá durar um certo tempo. Mas depois nos perdemos. Nossa alma se enfraquece e se perde na dor e se envenena.

    Resposta
  • 21 de outubro de 2014 em 20:02
    Permalink

    na hora da vingança ela é doce, mas traz consequencias amargas para o vingador. A justiça pertence a Deus e Ele sabe o que fazer em cada situação, cabe a cada um esperar nEle.

    Resposta

Deixe um comentário para Andressa Nunes Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *