Resenha: A Extraordinária Garota Chamada Estrela

Lucy, em Por essas páginas

Assim que anunciaram o lançamento desse livro, eu o solicitei para leitura. Infelizmente, ele demorou um pouco para chegar e eu demorei muito para ler… Imprevistos acontecem e acabou que levei mais tempo do que pretendia para terminar essa leitura. Uma pena, porque esse é o tipo de livro que você consegue ler em até um dia.

A_EXTRAORDINARIA_GAROTA_CHAMADA_ESTRELA
Sinopse:
A garota chamada Estrela. Ela é tão mágica quanto o céu do deserto. É tão estranha quanto seu rato de estimação. É tão misteriosa quanto seu próprio nome. Com um simples sorriso, ela captura totalmente o coração de Leo Borlock. Com sua alegria, ela incendeia uma revolução de liberdade e autenticidade no espírito de sua escola. No começo, os colegas encantam-se com ela por tudo o que a faz ser diferente. Mas isso começa a mudar, e Leo, apaixonado e apreensivo, percebe que a única coisa que pode salvá-la das críticas é a mesma que pode destruí-la: ser alguém comum. Nesta celebração do inconformismo, o premiado Jerry Spinelli tece um conto tenso e emocional sobre os percalços de precisar ser popular e da emoção e inspiração do primeiro amor. Fonte

 
 
O livro é narrado em primeira pessoa por Leo Borlock, aluno de 16 anos, com uma vida normal e comum na Escola Estadual Mica. Aliás, todos ali da escola tem uma vida normal e comum, sem grandes novidades. Até que surge Estrela.

Ela já começa chamando a atenção pelo nome. As pessoas não sabem ao certo de onde ela vem, só que antes estudava em casa. Ela é diferente de tudo o que os alunos estavam acostumados a ver: tem um rato de estimação chamado Canela, tem um modo excêntrico de se vestir e gosta de tocar seu ukulele no refeitório. Além disso, sempre distribui sorrisos e cartões para as pessoas e canta parabéns em seus aniversários. Ela é extremamente cativante e seu nome condiz com seu espírito, porque ela tem realmente uma luz própria.

É com essa luz que ela consegue fascinar e também surpreender as pessoas.

“Ela era fugaz. Ela era hoje. Ela era amanhã. Ela era o aroma mais suave da flor de um cacto, a sombra fugidia de uma coruja marrom. Nós não sabíamos o que fazer com ela. Em nossa mente, tentávamos fixá-la em um quadro de cortiça como uma borboleta, mas o alfinete simplesmente se soltava e ela voava para longe”. (página 24)

Embora no início ela tenha sido querida por todos e também incentivado a mudança em várias pessoas, mesmo que indiretamente, com algumas atitudes incomuns e controversas ela passou de a garota mais popular para a garota mais odiada da escola. Ela passou a ser alvo de gracinhas e bullying e, posteriormente, passou a ser ignorada e se tornou “invisível” para as pessoas.

Enquanto isso, Leo observava tudo de longe. Mas sua curiosidade foi maior e ele foi aos poucos descobrindo quem era Estrela e também seu modo peculiar de pensar. Ele se encantou de tal modo que mal percebeu que estava apaixonado. Sua sorte é que ele era correspondido. Os dois então começaram a namorar.

O único problema foi que a impopularidade de Estrela passou a afetá-lo. As pessoas passavam a ignorá-lo também e, embora ele gostasse muito de Estrela, ele começou a se sentir incomodado com o fato de ser ignorado. Ele não almejava ser popular, mas ele queria ao menos que as pessoas tomassem conhecimento dele. E quando ele expôs isso à Estrela, não pensou nas consequências de seus atos.

“Eu nunca tinha me dado conta de que precisava da atenção dos outros para confirmar minha própria presença”. (página 133)

Não quero contar mais da história, mas esse livro me trouxe sentimentos bem conflitantes: eu gostei, ao mesmo tempo que me deprimiu um pouco. Foi realmente um lembrete de como os seres humanos que se julgam “normais” não conseguem se adaptar ao diferente e forçam o diferente a se adaptarem ao seu universo “normal”, “comum”, “insosso”. Você acaba achando necessário se anular, fingir ser outra pessoa, para ter aceitação. Mas será que é realmente necessário ter a aceitação dos outros? Até que ponto você precisa dela? E desde quando você precisa da aceitação dos outros para ser feliz?

“… Tudo se resume a isso (…): você dá mais valor ao afeto de quem? Ao dela ou aos dos demais? (…) Tudo acontecerá a partir daí”. (página 111-112)

O livro nos faz refletir sobre isso: Não temos que ser iguais e rotulados; pessoas que ousam ser diferentes são mais felizes, porque elas não se importam com a opinião dos outros, embora sejam julgadas e muitas vezes colocadas em patamares muito baixos na nossa sociedade.

A leitura não foi tão rápida para mim, porque quando eu percebi o que Leo estava fazendo, eu acabei me decepcionando com ele e quase me fez parar de ler. Mas eu voltei à leitura aos poucos, mesmo porque Estrela é uma personagem tão marcante que ficamos curiosos com o que vai ser dela.

Recomendo a leitura. O livro é muito bem escrito e narrado e, pelo que andei vendo por aí, existe uma continuação do ponto de vista de Estrela. Uma ótima oportunidade de desvendar essa garota mais um pouco.

Esse livro foi gentilmente cedido para resenha pela Editora Gutenberg.
gutenberg

Ficha técnica:
Nome: A Extraordinária Garota Chamada Estrela
Autor: Jerry Spinelli
Páginas: 192
Editora: Gutenberg
Onde Comprar:Livraria Cultura
Minha avaliação:

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *