Descontos de no mínimo 50% levam milhares à Festa do Livro na USP

Compradores no estande da Editora 34 no segundo dia de Festa do Livro da USP, na quinta (11)
Compradores no estande da Editora 34 no segundo dia de Festa do Livro da USP, na quinta (11). Gustavo Epifanio/Folhapress

Angela Boldrini, na Folha de S.Paulo

“Tem que aproveitar,” diz o doutorando em história João Paulo Berto, 24, puxando uma mala lotada pelo prédio da engenharia mecânica da Escola Politécnica da USP.

Dentro dela estão “mais ou menos vinte livros”, que ele comprou na 16ª Festa do Livro da USP nesta quinta-feira (11).

O evento, que acontece uma vez por ano, atraiu cerca de 120 mil pessoas durante três dias em 2013 –cerca de 260 mil livros foram vendidos no total.

Até a conclusão desta edição, os números de 2014 não haviam sido divulgados, mas a organização estima aumento de 10 mil frequentadores em relação ao ano passado.

“O preço vale muito a pena, a gente acaba comprando muitos livros de apoio da nossa área”, afirma Berto, que veio da Unicamp com a também doutoranda em história Ana Carolina Souza, 26, para aproveitar os descontos de no mínimo 50% sobre o preço de capa das publicações.

Ela, mais comedida, comprou “apenas” cinco livros.

Já o estudante de letras Pedro Brener, 19, saiu do primeiro dia de feira, na quarta (10), com 25 livros nos braços.

“Guardei dinheiro o ano todo para isso”, diz ele, que gastou “uns R$500” em títulos como o clássico grego “Eneida”, lançado em versão bilíngue pela Editora 34.

É o segundo ano que o estudante vem à feira. Em 2013, levou cerca de vinte obras que, segundo ele, foram quase todos lidos. Valmir Rattes, 43, professor de filosofia, também diz que conseguirá ler os 12 livros que comprou na feira antes da edição 2015.

“Como professor, é até obrigação, né?”, explica ele, que havia trazido uma lista de dez títulos e acabou levando dois a mais. A feira trouxe ao menos 145 editoras –entre os estandes mais disputados, estavam a Editora 34, Companhia das Letras e Cosac Naify.

Nem só de livros vive a feira. O local estava repleto de “food trucks”, que vendiam de paletas mexicanas a lula com legumes.

No entanto, a comida não acompanhou os descontos dos livros –os preços eram bastante salgados.

No caminhão do restaurante Ruaa, um sanduíche de fraldinha no pão francês com alface saía por R$ 15.

Pelo mesmo preço, era possível comprar “Carta ao Pai”, de Franz Kafka. Já um pastel, que na ECA (Escola de Comunicação e Arte) custa por volta de R$5, saía por R$8. A feira terminou nesta sexta (12).

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *