‘Casal vestibular’ do interior de SP acumula 21 aprovações em medicina

O casal Larissa e Matheus celebram juntos a aprovação em 21 universidades. Maurício Glauco/EPTV
O casal Larissa e Matheus celebram juntos a aprovação em 21 universidades. Maurício Glauco/EPTV

Larissa se qualificou em 11 vestibulares um ano após Matheus passar em 10. Jovem de Franca (SP) escolheu estudar na USP e será caloura do namorado.

Publicado no Midia News

Primeiro foi ele. Recém-saído do ensino médio, ainda com 16 anos, Matheus de Freitas foi aprovado em dez vestibulares para o curso de medicina – seis em universidades estaduais e federais. Um ano depois, é a vez de sua namorada, Larissa Rodrigues Garcia, de 18 anos, que comemora a aprovação em 11 vestibulares, sendo sete em instituições públicas. E o destino dos dois é a Universidade de São Paulo (USP), onde Larissa será caloura do namorado.

A história do casal começou em 2013, um ano e meio antes das 21 aprovações, em um colégio de Franca (SP), onde o clima de romance já dividia espaço com a pressão do vestibular. Foram muitas horas de estudo e poucas de diversão.

“No começo estudávamos juntos, já que eram os dois prestando vestibular. Íamos até juntos para as provas. Já sabíamos que queríamos medicina e estávamos nos esforçando por isso”, conta Matheus.

Aprovação

Para ele, a recompensa veio rápido: assim que terminou o terceiro ano do ensino médio, foi aprovado em dez universidades, entre elas a Universidade Estadual Paulista (Unesp), Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal de Viçosa (UFV), Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) e Universidade de São Paulo (USP).

Como preferia ficar perto de casa e da namorada, o estudante escolheu a USP, cujo campus é em Ribeirão Preto (SP), a 90km de Franca. Só que mesmo antes de escolher, a sorte já estava ao lado dos namorados: a família de Larissa se mudou para a mesma cidade.

“Além de ele ser uma inspiração para mim, ver o Matheus lá dentro da universidade aumentou a minha vontade de conseguir [a vaga]”, lembra Larissa. As longas horas de estudo, que muitas vezes chegaram a 14 horas diárias, colocou à prova a força da relação dos dois, que, por mais que vivessem momentos diferentes, queriam estar juntos. Enquanto ele fazia novos amigos e era apresentado ao mundo das festas universitárias, ela só tinha como companhia os livros.

Matheus conta que não foi fácil. “Eu tive que sacrificar muitas coisas para manter o relacionamento bom e ajudar ela. Eu quis mantê-la o mais estável possível e equilibrada, para que ela passasse na faculdade esse ano”. O resultado foi ainda melhor que o esperado.
A vez dela

Universidade de Campinas (Unicamp), Universidade Estadual de Maringá (UEM), Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp), USP, Unesp e UFTM, além de outras quatro particulares. Foi na lista de todas essas faculdades que Larissa viu seu nome aparecer entre os aprovados de 2015.

“Não foi milagre, não foi inteligência extrema. Foi sentar e estudar. Mas, mesmo assim, eu nunca esperava esse resultado. Para mim, uma só já seria esplêndido, mas 11 foi inacreditável”, afirma.

Além da realização de um sonho, o resultado tem duplo motivo de comemoração. Assim como Matheus, Larissa optou pela USP, onde já fez até matrícula e será caloura do namorado, que foi para o segundo ano. “Eu já tenho vida em Ribeirão, minha família aqui, e meu namorado, até dentro da USP. Está tudo indicando que aqui é meu lugar”, comemora Larissa.

Matheus também não podia estar mais satisfeito. “É muito bom pensar que ela vai estar lá também. Espero que a gente fique mais junto, possa sair mais e curtir”, destaca.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *