Resenha: It – A Coisa

Mariana Dal Chico, no Psychobooks

Olá, pessoal!

Hoje vou comentar sobre o livro It do autor Stephen King, relançado no Brasil em 2014 pela Editora Suma de Letras.

Confira as resenhas de outros livros do autor no site:

Capa_It - A coisa

It – A Coisa

Stephen King

Tradutor: Regiane Winarski
Editora: Suma de Letras
Páginas: 1104
ISBN: 8560280944
Publicação: 2014

Sinopse:

Durante as férias escolares de 1958, em Derry, pacata cidadezinha do Maine, Bill, Richie, Stan, Mike, Eddie, Ben e Beverly aprenderam o real sentido da amizade, do amor, da confiança e… do medo. O mais profundo e tenebroso medo. Naquele verão, eles enfrentaram pela primeira vez a Coisa, um ser sobrenatural e maligno que deixou terríveis marcas de sangue em Derry. Quase trinta anos depois, os amigos voltam a se encontrar. Uma nova onda de terror tomou a pequena cidade. Mike Hanlon, o único que permanece em Derry, dá o sinal. Precisam unir forças novamente. A Coisa volta a atacar e eles devem cumprir a promessa selada com sangue que fizeram quando crianças. Só eles têm a chave do enigma. Só eles sabem o que se esconde nas entranhas de Derry. O tempo é curto, mas somente eles podem vencer a Coisa.

Comentários

Sempre começo meus comentários sobre um livro do Stephen King avisando que sou superfã do autor, todas as vezes que vejo o anúncio de algum relançamento de sua obra fico toda empolgada e desejando ter tempo para poder ler todos os seus livros.
Em agosto de 2014 a Editora Suma de Letras relançou o livro It – A Coisa com nova tradução e diagramação, fiquei eufórica ao receber meu exemplar em casa com mais de 1.100 páginas, no mesmo dia comecei minha saga por essa história.
It foi lançado originalmente em inglês no ano de 1986, a autor passou o período de 1981 a 1985 para escrever sua história.

it_a-coisa

Enredo

No verão de 1958, em Derry localizado no Maine, Bill, Richie, Stan, Mike, Eddie, Ben e Beverly aprenderam o verdadeiro sentido das palavras amizade, confiança e amor. Juntos eles fundaram o Clube dos Otários. Unidos pela vontade de combater o medo e acabar com o mal que assombra a cidadezinha há séculos, eles enfrentam A Coisa nos subterrâneos da cidade. Quase trinta anos depois, uma nova onda de horror ataca Derry e os amigos unidos por uma promessa do passado voltam a se reencontrar. Apenas eles são capazes de enfrentar A Coisa, mas para isso, irão encarar seus piores medos, reviver momentos dolorosos do passado e ir até as últimas consequências para livrar Derry de uma vez por toda das garras da Coisa.

it-a-coisa-1024x658

Narrativa

A obra é dividida em 5 partes, a última tem seus capítulos alternados entre presente e passado de uma forma tão fluida e orgânica, que só mesmo um mestre das palavras poderia ter criado tão incrível.
Stephen King é um autor MUITO prolixo, nessa obra ele ultrapassou todas as barreiras criando plots para cada um dos sete amigos, subplots de personagens secundários, subplots dos subplots e ainda transforma a própria cidade em um personagem com suas particularidades.
Tive a oportunidade de ler 14 obras do autor, de períodos diferentes e o que pude perceber é que seus livros mais antigos têm o ritmo de leitura instável com momentos de lentidão alternados com trechos frenéticos, o início dos livros são mais voltados para a ambientação e construção da tensão, com os anos o autor foi lapidando sua escrita e os livros mais recentes apresentam um ritmo de leitura mais constante desde as primeiras páginas.

it-a-coisa1-1024x323

Personagens

Não vou falar da característica de cada um deles, basta dizer que os sete personagens principais são incrivelmente bem desenvolvidos, tanto o background de cada um como a parte psicológica que embasa cada atitude tomada por eles. Os personagens secundários também são importantes e bem desenvolvidos. Quem já leu um livro do autor, sabe o quanto ele é habilidoso para criar personagens verossímeis e assustadoramente comuns.

A tal da Coisa

Esse é um dos vilões mais sensacionais e aterrorizantes já criados na literatura. A Coisa assume a forma dos seus piores medos. Alguns enxergam um palhaço, enquanto outras uma múmia, um lobisomem e até mesmo o frankstein. Como se não bastasse isso, A Coisa é capaz de assombrar mais de um local ao mesmo tempo e se infiltrar nas mentes das pessoas. E sim, você terá muitos pesadelos com ela.
Desculpe se acabei com sua ilusão de que esse seria um livro sobre um palhaço assassino.

a-coisa-1024x682

A grande jornada pelas 1.104 páginas

Comecei ler It em agosto de 2014 e terminei em fevereiro de 2015. Não foi uma leitura direta e constante, logo na primeira leitura cheguei à página 150 sem nem perceber o tempo passar. Por causa da correria no trabalho, acabei deixando a leitura um pouco de lado e fiquei algumas semanas sem conseguir ler. Fui avançando aos poucos na leitura, pegava o livro durante os finais de semana e intercalava com leituras mais ‘leves’. Foi só quando passei de 65% da leitura que cheguei no ponto que fica impossível deixar de lado a leitura de It.
Acho importante contar sobre a minha experiência de leitura com essa obra para deixar o leitor ciente de que esse é um livro para ser lido com calma, algumas passagens são lentas e morosas, alguns subplot de subplot acabam dispersando a atenção do enredo principal e arrastando a leitura. E esse é o principal motivo por eu não ter classificado esse livro com 5 estrelas, outro motivo é uma cena polêmica quando as crianças estão para sair dos túneis. A primeira impressão que tive é que estava um pouco fora do contexto, depois achei completamente doentio e se a intenção do King era de chocar ele teve sucesso.
King é um gênio, a qualidade de It é incontestável, mas para mim, o segundo terço do livro foi moroso e poderia ter sido mais ágil se retirasse os excessos.

Concluindo

“It – A Coisa” é uma obra prima icônica do mestre do terror, referência no gênero e leitura obrigatória para os fãs do autor. Ao começar sua jornada por suas 1.104 páginas, esteja ciente de que vai encontrar muitas aventuras, humor e momentos de tensão inesquecíveis. Também esteja preparado para a prolixidade do autor no seu auge. Com calma e degustando a leitura, você chegará ao desfecho da história prendendo a respiração.
Em tempo, O Iluminado ainda está no topo das leituras mais assustadoras que já fiz na vida.
O trabalho de tradução feito pela Regiane Winarski nesse livro está sensacional!

Então ele desceu os quatro degraus até a prateleira do porão, com o coração como um martelo quente batendo na garganta, o cabelo da nuca em pé, os olhos ardendo, as mãos frias, certo de que a qualquer momento a porta do porão se fecharia sozinha, bloqueando a luz branca que entrava pelas janelas da cozinha e ele ouviria A Coisa (…), rosnando profundamente; ele ouviria o rosnado naqueles segundos lunáticos antes de ser atacado e ter as entranhas arrancadas.
Página 17

(…) Ele tinha cortado a parte interna dos antebraços do pulso até a altura do cotovelo, e fez outro corte prependicular a cada um na altura do pulso, criando um par de três maiúsculos. Os cortes brilhavam vermelho-arroxeados na luz branca e forte. Ela pensou que os tendões e ligamentos pareciam cortes de carne barata.
Uma gota de água se formou na boca da torneira cromada reluzente. Engordou. Engravidou, podia-se dizer. Cintilou. Caiu. Plink.
Página 65

O que é você?
-sou a Tartaruga, filho. eu fiz o universo, mas não me culpe por ele; eu estava com dor de barriga.
Página 1022

4 Estrelas

Playlist

  • The Doors – Light My Fire
  • Led Zeppelin – Black Dog
  • Rolling Stones – Wild Horses

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *