‘Ele quase desistiu’, diz professora que incentivou 1º lugar geral no IFRN

Professora de Matemática de Thompson, Ana Lúcia incentivou ele a não desistir (Foto: Fernanda Zauli/G1)
Professora de Matemática de Thompson, Ana Lúcia incentivou ele a não desistir (Foto: Fernanda Zauli/G1)

Ana Lúcia dos Santos apoiou Thompson na decisão de tentar o IF pela 2ª vez.
Filho de catadora de lixo e pasteleiro, Thompson Vitor, se sente exemplo.

Fernanda Zauli, no G1

A professora de Matemática Ana Lúcia dos Santos teve um papel decisivo na aprovação de Thompson Vitor no Instituto Federal do Rio Grande do Norte: foi ela quem incentivou o aluno a não desistir e fazer o exame de seleção pela segunda vez. Em 2014 ele não alcançou a nota necessária para a aprovação no IFRN, mas, depois do apoio da professora, tentou novamente e foi o primeiro lugar geral no exame.

“Ele me procurou e perguntou o que eu achava que ele devia fazer. Ele pensou em desistir, mas eu disse que se era o sonho dele ele tinha que tentar de novo”, contou Ana. Professora de Matemática de Thompson por 5 anos, ela diz que ele sempre foi um aluno muito inteligente e dedicado e que na escola ninguém tinha dúvida do potencial dele.

A escola também teve um papel fundamental na aprovação do garoto. Thompson Vitor sempre foi bolsista e tinha 50% de desconto na mensalidade. Os outros 50% eram pagos por um padrinho do menino. Quando ele terminou o nono ano, não tinha mais quem pagasse a escola. “O presidente da cooperativa então sugeriu que a escola desse 100% de bolsa para Thompson e foi dado para ele continuar estudando. Na escola todo mundo sempre acreditou no potencial dele”, disse Ana.

A mãe de Thompson Vitor é catadora de lixo. O pai trabalha fazendo salgados. Nenhum dos dois concluiu o ensino fundamental. A família mora em uma casa simples no Paço da Pátria, na Zona Leste de Natal. O bairro é carente, tem alto índice de criminalidade, falta saneamento básico e o tráfico de drogas é um dos maiores problemas. Comemorando a aprovação no IFRN, ele diz que se sente um exemplo na comunidade. “Eu não estudo por obrigação. Pra mim o estudo é uma arte. Eu estudo pra alimentar minha mente de conhecimento. Eu me sinto um exemplo aqui na comunidade e achoe que os jovens devem fazer essa escolha pelo estudo”, disse.

Mas, para se dedicar apenas aos estudos, o garoto muitas vezes teve que contrariar a vontade dos pais que, segundo o próprio, queriam que ele trabalhasse para ajudar a família. “Eles querem que eu tenha um trabalho cedo. Eu sempre falo que eu preciso me dedicar aos estudos. Eu até ajudo minha mãe no trabalho dela, mas desde que não atrapalhe meus estudos”, disse Thompson.

A aprovação no IFRN parece ser apenas o começo para o menino que sonha em melhorar a vida da família. Após o curso de Multimídia, o sonho é fazer faculdade de Direito. O objetivo é priorizar o estudo enquanto puder para dar uma vida melhor aos pais. “Eu tenho muito orgulho dos meus pais. Sei o quanto eles sofreram para me criar. Não só a mim, mas também meus irmãos. Eles superaram as adversidades da vida, os problemas financeiros e abriram mão de seus momentos de prazer pra cuidar de todos nós com amor e zelo. Eu quero ser o orgulho da família. Acredito que através dos estudos vou conseguir melhorar a minha vida e a deles”, afirmou.

A professora, que lá atrás aconselhou o aluno a não desistir do sonho, comemora. “A melhor coisa para um professor é esse resultado positivo, o sucesso do aluno. Eu tenho certeza que o Thompson tem um futuro brilhante”, disse Ana Lúcia.

Thompson Vitor fez a matrícula no IFRN nesta terça-feira (24) (Foto: Matheus Magalhães/Inter TV Cabugi)
Thompson Vitor fez a matrícula no IFRN nesta terça-feira (24) (Foto: Matheus Magalhães/Inter TV Cabugi)

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *