Livro de colorir para adulto tem proposta antiestresse

Em "Jardim Secreto", cada página tem uma paisagem em branco, convidando o leitor a interagir. Reprodução | Editora Sextante
Em “Jardim Secreto”, cada página tem uma paisagem em branco, convidando o leitor a interagir. Reprodução | Editora Sextante

Debora Rezende, no A Tarde

O que você faz para aliviar o estresse? Algumas pessoas praticam lutas, outras meditam. Agora, também, você pode voltar à infância e colorir um livro. Essa é a proposta de Jardim Secreto – Livro de Colorir e Caça ao Tesouro Antiestresse, debut da escocesa Johanna Basford na literatura interativa.

A publicação, lançamento da Editora Sextante, é curiosa. São 96 páginas com desenhos dos mais variados jardins – todos em branco, esperando que o leitor pare e dê cor às paisagens.

Assim, o livro de pintura para adultos ganha vida e os leitores podem relaxar enquanto interagem com Jardim Secreto. Ao mesmo tempo, precisam encontrar animais e pequenos objetos escondidos entre as paisagens, além de descobrir o caminho certo para pequenos labirintos – tudo, claro, colorindo.

Mania de cores

Nas últimas semanas, o livro encabeçou a lista dos mais vendidos de não ficção de A TARDE. Traduzido para mais de dez países, tem tido destaque por conta de sua proposta.

Nana Vaz de Castro, gerente de aquisições da Editora Sextante, explica que o interesse em trazer o livro para o Brasil vem da proximidade do mesmo com a linha editorial da Sextante. “Buscamos sempre publicar livros que ajudem o leitor a terminá-lo melhor do que quando começou”, comenta.

A ideia da obra é que não haja lugar para o estresse durante a interação. Assim, enquanto colore e procura por animais escondidos, o leitor abandona seus problemas e relaxa – ao mesmo tempo em que retorna à infância e relembra os tradicionais livros de colorir.

Vivaldo Gomes, psicólogo, salienta que a proposta de um livro como Jardim Secreto não é propriamente terapêutica, mas que o entretenimento causado pela obra pode aliviar o estresse.

“Muito provavelmente vai haver um momento de relaxamento, de absorção”, explica Gomes. O exercício artístico na vida adulta, comenta, “vai sendo deixado para trás, e essa manipulação é fundamental para o desenvolvimento cognitivo”.

Lápis à mão

“O que me parece mais atraente no Jardim Secreto é que mesmo quem acha que não tem muito talento artístico consegue criar um resultado maravilhoso”, comenta Nana Vaz de Castro.

Com um conjunto de lápis de cor à mão, as flores, folhas, árvores e animais tornam o livro único para cada leitor – um jardim muito dificilmente vai ser igual ao outro.

A jornalista e pesquisadora Carolina Pinho, 34, já concluiu 80% do livro e guarda as páginas restantes para não ficar sem nada para colorir.
“As horas passam e eu nem reparo, é um relaxante ótimo, é aquela pausa necessária para refrescar a cabeça”, afirma. “Pegar uma caixa de lápis de cor, selecionar como se vai pintar e se perder no processo é fantástico”.

A autora, Johanna Basford, que, de licença maternidade, não deu entrevista, explica em seu blog que sua relação com a natureza vem de sua criação na fazenda da família, na área rural da Escócia.

O Jardim é a estreia oficial de Johanna na literatura interativa – antes disso, ela havia publicado uma edição limitada do livro Wonderlands, com algumas peças favoritas do seu acervo de ilustrações.

Seu trabalho, predominantemente em preto e branco, é todo feito à mão. A razão, explica a ilustradora em seu blog, é que Johanna acredita que desenhos assim captam mais a energia do artista do que aqueles criados através do computador.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *