Cresce o número de calouros da USP oriundos de escolas públicas

Número de ingressantes vindos da rede pública cresceu de 32% para 35%.
Índice de pretos, pardos e indígenas matriculados também aumentou.

ag_2690

Publicado em G1

A Universidade de São Paulo anunciou, nesta quarta-feira (22), que o número de ingressantes oriundos de escolas públicas na USP cresceu 8% em relação a 2014, passando de 32,3% para 35,1%. Segundo a USP, o número representa um recorde desde a criação do Programa de Inclusão Social (Inclusp) – criado em 2006 para incentivar o ingresso de alunos de escola pública na universidade por meio de bônus nas notas do vestibular da Fuvest.

Ao todo foram 3.847 calouros vindos da rede púbilca, do total de 10.955 novos alunos matriculados este ano.

Ainda segundo o relatório, o número de calouros que se autodeclararam pretos, pardos e indígenas aumentou, de 17,2% em 2014 para 18,8% em 2015.

Desses, 32% vieram de escola pública e utilizaram o bônus do programa.

A maior porcentagem dos matriculados declarou ter renda familiar de três a cinco salários mínimos — 19,6% dos alunos matriculados em 2015 (em 2008, essa porcentagem era de 15,7%).

Para a renda familiar de até sete salários mínimos, o índice chega a 56,7%. Em 2008, esse índice era de 41,5%.

Tipos de bônus
No ano passado a USP mudou o sistema de bonificação no vestibular para dar mais oportunidades a alunos de escolas públicas.

Pelo Inclusp, quem cursou o ensino médio em escola pública tem direito a 12% de bônus. Quem cursou tanto o ensino fundamental quanto o ensino médio na rede pública tem direito a 15% sobre a pontuação na prova.

Os candidatos que participam também do Programa de Avaliação Seriada (Pasusp) – que cursaram o ensino fundamental na rede pública e ainda estejam cursando o 2º ou 3º ano do ensino médio em escola pública – têm direito a 20% de bônus.

Já os candidatos pretos, pardos e indígenas que cursaram ensino fundamental e médio em escola pública recebem ainda 5% de bônus adicional (neste caso, o bônus pode chegar a um teto de 25%).

Outra mudança foi que a nota de corte deveria ser calculada depois do acréscimo do bônus, o que poderia fazer com que ela aumentasse de um a dois pontos.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *