‘Eu quis provocar todos’, diz escritor de 17 anos de Juruaia no Flipoços

Caetano Lacerda lançou o livro “Um Breve Momento” no festival.
Estudante mesclou inglês, francês e português na mesma obra.

img_1105

Publicado no G1

“Eu quis provocar todos”. Essa é a frase do jovem Caetano Lacerda, de 17 anos, que é parte da programação do Festival Literário de Poços de Caldas (MG), o Flipoços, deste ano e falou sobre ‘Como publicar seu primeiro livro na adolescência’, embora ele mesmo não pareça um adolescente pela postura e bagagem.

Fluente em inglês e francês – idiomas que ele misturou ao português no primeiro livro, “Um Breve Momento – Caetano poderia ser classificado como “prodígio”, já que é profundo conhecedor do cinema francês, se diz inspirado por Jean-Luc Godard e já leu mais de uma vez o complicado Ulisses, de James Joyce.

Por causa desta bagagem, as provocações a que ele se refere fazem sentido, já que o jovem se inspirou no filme francês, também de Godard, “Pierrot Le Fou” para escrever a primeira obra, que propositalmente vai e volta nos capítulos, sem obedecer a uma ordem, e vai e volta também nos temas.

caetanolacerda

“Eu escrevo em primeira pessoa, mas quem lê nunca vai saber se é uma ação, um diálogo ou um pensamento. Ou se são as três coisas. A dúvida é completa”, disse.

Questionado sobre publicar o livro tão jovem, Caetano revelou que sempre quis publicar e nunca escreveu pensando em guardar os escritos. “Meus ídolos, meus heróis publicaram. Sempre penso que alguém pode gostar”, comentou.

Na sequência, ele destacou que ninguém lê no Brasil e que isso não é uma exclusividade dos jovens. “As pessoas criticam a juventude, dizem que os jovens não leem, que só se interessam pelas futilidades, mas na minha visão nunca houve interesse. A leitura sempre foi elitizado. Ninguém lê e não é algo só de hoje em dia. O analfabetismo diminuiu, mas as pessoas ainda não leem”, falou.

E para driblar isso, ele está se afastando cada vez mais do computador e escrevendo à mão, enquanto trabalha para o próximo romance. “Devo mesclar poesia abstrata com o romance”, finalizou.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *