Concurso Cultural Literário (126)

1228-20150601161613Entre o amor e a vingança

Sarah MacLean

O que um canalha quer, um canalha consegue

Uma década atrás, o marquês de Bourne perdeu tudo o que possuía em uma mesa de jogo e foi expulso do lugar onde vivia com nada além de seu título. Agora, sócio da mais exclusiva casa de jogos de Londres, o frio e cruel Bourne quer vingança e vai fazer o que for preciso para recuperar sua herança, mesmo que para isso tenha que se casar com a perfeita e respeitável Lady Penélope Marbury.

Após um noivado rompido e vários pretendentes decepcionantes, Penélope ficou com pouco interesse em um casamento tranquilo e confortável, e passou a desejar algo mais em sua vida. Sua sorte é que seu novo marido, o marquês de Bourne, pode proporcionar a ela o acesso a um mundo inexplorado de prazeres.

Apesar de Bourne ser um príncipe do submundo de Londres, sua intenção é manter Penélope intocada por sua sede de vingança – o que parece ser um desafio cada vez maior, pois a esposa começa a mostrar seus próprios desejos e está disposta a apostar qualquer coisa por eles…

…até mesmo seu coração.

***

Vamos sortear 3 exemplares de “Entre o amor e a vingança“, lançamento da Gutenberg.

Para concorrer, responda à pergunta abaixo na área de comentários.

Você estaria disposto(a) a apostar qualquer coisa para realizar seus desejos?

Se participar via Facebook, por gentileza deixe seu e-mail de contato.

Para ficar sempre por dentro das novidades e promoções, sugerimos que curta as páginas dos envolvidos neste concurso cultural:

O resultado será divulgado dia 6/8 neste post.

Boa sorte! 🙂

 

Vamos aos sorteados?

Thiago Felício

Luma Silva

Patricia Queiroz

Parabéns!

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

20 thoughts on “Concurso Cultural Literário (126)

  • 7 de julho de 2015 em 10:10
    Permalink

    Não se isso fosse contrário à vontade da pessoa que mais amo, Jesus. Isso tanbém não se faz necessário porque Ele mesmo diz que “cumprirá os desejos do meu coração se eu o buscar” e que se eu “buscar o reino dEle e sua justiça em primeiro lugar, tudo o mais me será acrescentado”. (Salmo 37:4/Mateus 6:33).

    Resposta
    • 7 de julho de 2015 em 10:12
      Permalink

      Ops, erro de digitação.
      *também

      Resposta
  • 8 de julho de 2015 em 14:21
    Permalink

    Eu não sacrificaria tudo para realizar meus desejos , por que sei que por mais que eu os queira tem coisas na vida que conquistamos ao longo do tempo que são um preço alto de mais para sacrificar , independente de qual seja meu desejo!

    Resposta
  • 11 de julho de 2015 em 22:07
    Permalink

    Não, pois se dissesse que sim, poderia me arrepender depois.

    Resposta
  • 12 de julho de 2015 em 1:08
    Permalink

    Depedendo muito do meu dezejo, eu apostaria afinal nunca iria saber o que iria acontecer, se eu iria ganhar ou perder, o prrsente é seu mais o futuro é as suas escolhas..

    Resposta
  • 12 de julho de 2015 em 11:04
    Permalink

    Não, não estaria disposta. Até porque, meus desejos não são tão impossíveis nem tão valiosos à ponto que o tempo e a vida não possam me presentear..

    Resposta
  • 12 de julho de 2015 em 16:51
    Permalink

    eu estaria disposta a realizar qualquer coisa. se isso nao prejudicasse alguem porque tudo que envolve o amor sempre vale a pena.

    Resposta
  • 17 de julho de 2015 em 14:42
    Permalink

    Alguns “desejos” nos penalizam quando o realizamos a qualquer custo, enquanto outros valem a pena serem realizados…É vida que segue!Quando respeitamos os nossos valores, tudo acontece naturalmente! Tudo a seu tempo!

    Resposta
  • 21 de julho de 2015 em 9:31
    Permalink

    Sim, se realmente valesse a pena e não fosse passar por cima dos meus princípios nem nos de outras pessoas, tudo é válido na hora de realizar seus sonhos.

    Resposta
  • 22 de julho de 2015 em 10:24
    Permalink

    Não, pois se prejudicasse uma pessoa, eu estaria sendo um mostro, deixando meus princípios de lado, acabando com os sonhos de meus pais, de que um dia seu filho lhes traria orgulho. Não consigo nem imaginar eu sendo o carrasco da história 😉

    Resposta
  • 26 de julho de 2015 em 15:12
    Permalink

    Quase tudo, só não roubaria e nem mataria pois tudo de ruim que fazemos, volta em dobro. De resto no amor e na guerra vale tudo.

    Resposta
  • 27 de julho de 2015 em 22:53
    Permalink

    Os desejos sao frutos passageiros de nossa alma, depois que passam sempre vamoz sm busca de outros, entao Se o desejo incluir coisas em que causem ferimentos, eles devem ser suprimidos por outras coisas, porque senao eles poderao ser as portas da maldade. Entao nao estou disposto a estragar a eternidade por um apice momentaneo de desejo…

    Resposta
  • 1 de agosto de 2015 em 9:14
    Permalink

    Não, nenhum sonho conquistado atropelando minha ética e consciência me traria satisfação.

    Resposta
  • 1 de agosto de 2015 em 12:17
    Permalink

    Se fosse um desejo que salvasse vidas ou salvasse o mundo… Sim,!!!

    Resposta
  • 1 de agosto de 2015 em 12:52
    Permalink

    Apostar é sempre um jogo: Você pode ganhar ou perder e nunca se sabe o que vai acontecer. E certas apostas só te tornam escravo de um desejo passageiro, que nunca irá sair da sua vida, mesmo que você não o queira mais. Mas quando esse desejo é algo que vai fazer bem para você e para o mundo ao seu redor, vale a pena apostar o que você tem de melhor. Por isso, só apostaria para realizar os desejos que vão fazer do mundo um lugar melhor. Mas tomaria cuidado com o que iria apostar, porque quando se aposta tudo, se pode perder tudo, e apostar o mal dos outros só vai fazer mal a mim mesma.

    Resposta
  • 3 de agosto de 2015 em 13:27
    Permalink

    Não,jamais!! E se demorar é bom que já chego preparado.

    Resposta
  • 3 de agosto de 2015 em 13:31
    Permalink

    Ah,e eu não recebi o livro “os dois mundos de Astrid Jones”…

    Resposta
  • 5 de agosto de 2015 em 10:31
    Permalink

    Difícil..porque temos a tendencia em lançar mão de algo muito caro por nada. Falar sobre a realização de desejos e sonhos acaba sendo um assunto delicado, pois aquilo que parece impossível para mim e algo possível para o “beltrano”.E entrar num jogo de aposta requer um desprendimento de algo muito caro. Para concretizar um sonho eu responderia que sim para a aposta.

    Resposta
  • 7 de agosto de 2015 em 8:27
    Permalink

    Luiz, você tem outro email p/ que possamos entrar em contato? Já tentamos enviar várias vezes mas dá erro e o email não vai. Escreva para [email protected] por gentileza. Abraço.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *