Educação seleciona 10 filmes que ajudam aluno a estudar durante as férias

 Clássicos do cinema fazem parte da rotina dos estudantes da rede estadual de ensino, como 'Diários de Motocicleta' (Foto: Reprodução)
Clássicos do cinema fazem parte da rotina dos estudantes da rede estadual de ensino, como ‘Diários de Motocicleta’ (Foto: Reprodução)

Série de produções, ao mesmo tempo, dialoga com os currículos dos ensinos fundamental e médio, na disciplina de história, e diverte crianças e adolescentes

Publicado no IFronteira

As aulas de História não estão restritas aos livros. Para saber mais sobre a trajetória de grandes personagens ou conhecer os episódios de uma guerra, um eficiente aliado é o cinema. São inúmeras as produções nacionais e estrangeiras que, além de entreter, ensinam. Pensando nisso, a Secretaria da Educação de São Paulo, por meio da equipe curricular de História, elaborou uma lista com 10 títulos que podem ser vistos em casa ou com amigos durante o recesso do mês de julho.

Para montar a seleção, os educadores levaram em conta: a temática, a faixa etária do público, o acesso ao material e o tipo de linguagem. Todos os selecionados fazem parte da videoteca que dá suporte para as aulas de diversas disciplinas na rede. As escolas que atendem alunos do Ensino Médio contam com um acervo moderno de filmes, mantido pelo programa “O cinema vai à escola” da Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE).

Entre os títulos, está a produção inglesa “Billy Elliot”. O filme narra a história de um menino de 11 anos que desiste das aulas de boxe para aprender balé. O pano de fundo, porém, é a Inglaterra do início dos anos 80, quando o punk explodia nas rádios e os operários foram às ruas para exigir melhores condições de trabalho. Já em “Sob a névoa da guerra”, o tema central é o Vietnã e a fracassada ocupação norte-americana no país asiático. O documentário resgata imagens de arquivo e gravações da Casa Branca entre os anos de 1961 e 1968.

Outro exemplo é o brasileiro “Cinema, Aspirinas e Urubu”, de Marcelo Gomes e mostra a imigração europeia ao nordeste nos anos 30 e o governo Vargas. Ainda entre os nacionais, o kit traz “Vida de Menina”, filme inspirado do diário de Helena Morley e retrata as Minas Gerais do final do século XXI e a relação entre brancos e escravos. O cinema nacional também é representado com “O pagador de promessas”. O longa mostra o sincretismo religioso a partir da história de Zé do Burro, um homem pobre que tem como promessa carregar pelo sertão nordestino uma pesada cruz de madeira.

“O cinema tem a habilidade de tratar temas delicados e complexos, como o preconceito, violência e exclusão social em uma linguagem de fácil entendimento jovens. Por isso, utilizamos os filmes na rede estadual como importantes aliados na educação e que também podem ser utilizados nos períodos de recesso. Além de compor a biblioteca e acervo das unidades, o material auxilia os professores a propor alternativas para o aprendizado”, explicou Maria Margarete dos Santos, da equipe curricular de História da Secretaria da Educação.

Filmes e Temas

– “Crianças Invisíveis” (trabalho infantil/tráfico)
– “Crash, no Limite” (preconceito racial/ violência nos EUA)
– “Diários de Motocicleta” (América do Sul/comunismo)
– “O Pagador de Promessas” (sincretismo religioso/reforma agrária)
– “Bem-vindo a São Paulo” (sociedade paulista/urbanização)
– “Gran Torino” (imigração asiática e mexicana)
– “Sob a Névoa da Guerra” (Guerra Fria/Guerra do Vietnã)
– “Sombras de Goya” (inquisição espanhola/guerras napoleônicas)
– “Uma Noite em 67” (bossa nova/tropicália)
– “O Visitante” (refugiados/xenofobia)

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *