Refugiado da Síria é aprovado para engenharia elétrica na Unicamp

Kamel Zinou, de 20 anos, conseguiu entrar pelo programa de transferência.
Estudante e família fugiram da guerra civil que país enfrenta há 5 anos.

kamel-zinou-estudo

Publicado no G1

O estudante e refugiado sírio Kamel Zinou, de 20 anos, conseguiu ingressar no curso de Engenheria Elétrica na Unicamp, após mais de um ano em que ele e sua famíla desembarcaram em Campinas (SP). A aprovação aconteceu na sexta-feira (31), após a realização de uma prova de transferência.

O estudante teve que interromper a graduação para fugir da guerra civil que o seu país natal enfrenta há cinco anos. O número de refugiados daquele país chega a 4 milhões no mundo, segundo a ONU.Kamel e sua família chegaram em Campinas em abril do ano passado, sem falar português, eles abriram um restaurante de comida árabe e tentam retomar os planos que foram adiados.

Kamel se preparou durante três meses para a prova de transferência. O universitário contava com o auxílio de três doutorandos da Unicamp, nas disciplinas de física e matemática. Além dessas aulas, Kamel estuda português desde agosto do passado.

“Quando iniciar as aulas, continuarei a estudar português no Centro de Ensino de Línguas da Unicamp”, afirma o universitário. O curso de engenharia elétrica na estadual de Campinas é bem conceituado e no vestibular de 2015 tinha 20,9 candidatos por vaga no período integral. E 15,9 para no período noturno.

O processo de transferência começou em julho do ano passado. “Foi demorado, e somente em janeiro desde ano a universidade me respondeu e pediu para que fizesse a prova em março. Expliquei que precisava de mais tempo e então fiz a prova em julho”, explica Kamel.

Email de aprovação

A resposta da prova de transferência sairia no dia 7 de agosto, mas para surpresa de Kamel e da família, a aprovação foi confirmada no mesmo dia do exame.

“Estava no restaurante com a minha família, quando recebi um email do cordenador do curso de engenharia elétrica. A notícia de que fui aprovado deixou toda a minha família feliz e orgulhosa”, diz Kamel.

Em uma rede social a família agradeceu o apoio e felicitou o universitário. “Depois de todos esses anos de sofrimento,[…] hoje nos temos um grande razão para ficar feliz”, relata a postagem.

Família Zinou
A família vivia na cidade de Aleppo, segunda maior cidade da Síria, localizada a 350 km da capital Damasco.

O pai de Kamel, M.Suhib Zinou, de 59 anos, e sua esposa Chaza Alturkman, de 51 anos, abriram o restaurante batizado de Castelo – uma referência ao Castelo de Aleppo, um dos mais antigos do mundo.

No restaurante trabalham além de Kamel, suas duas irmãs Bana, de 31 anos, e Ayla, de 26 anos.

Ayla é a mais fluente na língua portuguesa da família, tem a intenção de ingressar no programa “Mais Médicos” do governo federal – que abre a possibilidade para profissionais estrangeiros atuarem no Sistema Único de Saúde (SUS). Para isso, contou, estuda diariamente e pretende fazer residência.

img_8526

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *