O que você faria se um menino de rua te pedisse um livro?

Fabio Mourão no Dito pelo Maldito

Na correria das nossas rotinas, mal temos tempo para nós mesmos, quem dirá para estranhos que nos abordam na rua pedindo coisas. Não importa o que peçam, pode ser apenas uma ‘informação’ ou somente alguns minutinhos da sua atenção, mas a situação sempre parece causar um enorme transtorno em nossas vidas. Com respostas automáticas, as vezes mesmo sem escutar a pergunta corretamente, instintivamente fazemos o possível para nos esquivar e driblar esses “imprevistos”.

O vídeo abaixo é uma versão nacional do quadro “What Would You Do?” (‘Vai fazer o quê?’ aqui no Brasil), que foi ao ar no programa do Fantástico já à algum tempo atrás, mas que vale uma reflexão mais detalhada sobre esse episódio em específico. Nele é retratado a reação das pessoas ao serem abordadas em plena Avenida Paulista por um menino de rua com um pedido bem incomum. Em vez de esmola ou comida, ele quer apenas que lhe comprem um livro. E acrescenta dizendo que “pode ser o mais baratinho da livraria”. O comportamento das pessoas diante desta cena são bem variadas, e por vezes até emocionante.

Confira o vídeo abaixo, e diga em nossos comentários o que você faria perante esta situação.

https://www.youtube.com/watch?v=-HKnoBWfRcg

A ideia foi inspirada no livro infantil Fábula Urbana (Editora Edições de Janeiro), escrito por José Rezende Jr. e ilustrado por Rogério Coelho. A obra apresenta a releitura de uma cena bastante comum nos centros urbanos: a de crianças e jovens pedintes.

O preconceito de um “homem de terno” torna-se conflituoso quando o pedido feito pelo menino, em vez de dinheiro, é de um bem cultural inquestionável: “Moço, me paga um livro?”.

Com uma narrativa densa, o livro passa a questionar nossos valores e os preconceitos da classe média, instigando grande reflexão social para crianças e jovens de todas as idades.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *