Bienal do Livro do Rio investe em jovens e reúne estreantes e veteranos

A escritora Thalita Rebouças, uma das autoras de maior sucesso entre o público juvenil, vai lançar dois livros na Bienal do Rio (Foto: Bárbara Raso/Divulgação)
A escritora Thalita Rebouças, uma das autoras de maior sucesso entre o público juvenil, vai lançar dois livros na Bienal do Rio (Foto: Bárbara Raso/Divulgação)

Evento homenageará a Argentina em sua 17ª edição.
Obra de Maurício de Sousa terá exposição especial.

Cristina Boeckel, no G1

A 17ª edição da Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro abre as portas nesta quinta-feira (3), reunindo mais de 200 autores autores brasileiros e estrangeiros, estreantes e experientes, de diversos estilos. Entre os principais destaques está a atenção dada à literatura jovem, que reúne nomes consagrados como Thalita Rebouças, até estreantes como Pathy dos Reis, que ficou conhecida no YouTube.

Thalita Rebouças lançará dois livros no evento. “Fala sério, irmão! Fala sério, irmã!”, é o sétimo da série que a consagrou como uma das principais autoras para adolescentes do país. Ela também lança “Um ano inesquecível”, em parceria com as autoras Paula Pimenta, Bruna Vieira e Babi Dewet. Contando com os lançamentos, já são 20 livros na carreira. Ela se considera uma “rata de Bienal” e acredita que boa parte de seu sucesso se deve ao evento.

“Eu amo ir à Bienal porque é uma oportunidade de conhecer os leitores. Porque geralmente eles nos conhecem, mas nós não os conhecemos. É o momento de receber o carinho deles, de olhar no olho,” afirma Thalita, que lançou seu primeiro livro na edição de 2001 da Bienal do Rio.

Thalita estará no evento no sábado (5), na segunda-feira (7), no sábado (12) e no domingo (13). Para ela, a Bienal tem, cada vez mais, um público adolescente.

“Acho que os leitores já estão se renovando há algum tempo. Desde que comecei, vi o público adolescente crescer e ter uma presença cada vez mais maciça. Eles leem cada vez mais”, disse.

No outro extremo está Pathy dos Reis, de 26 anos, dona de um canal no YouTube com mais de um milhão de inscritos, que aposta na ficção policial na sua primeira incursão pelo mundo da literatura. Ao lado de Maria Carolina Passos, também de 26 anos, que é roteirista do programa na internet, ela assina a autoria de “Blasfêmia”.

O canal de Pathy na internet tem um público formado por jovens adultos, em sua maioria, com idade entre 18 e 25 anos. Ela acredita que o livro tem uma maior abrangência e deva atingir pessoas entre 16 e 30 anos.

Pathy tenta disfarçar o nervosismo da estreia, mas não consegue esconder a ansiedade do encontro com o público.

“Estamos bem ansiosas. Não consigo imaginar como vai ser. É um evento muito grande. Ir como participante e compartilhar a nossa história é muito empolgante”, disse ela.

Pathy e Maria Carolina estarão na Bienal do Livro do Rio no domingo (13), às 13h.

Pathy Reis, à esquerda, e Maria Carolina Passos estreiam romance policial na Bienal do Livro do Rio (Foto: Pathy Reis/Arquivo pessoal)
Pathy Reis, à esquerda, e Maria Carolina Passos estreiam romance policial na Bienal do Livro do Rio (Foto: Pathy Reis/Arquivo pessoal)

Argentina homenageada
O país homenageado é a Argentina, que tem um estande de 400 metros quadrados e um auditório batizado como Manuel Puig, em homenagem ao autor de “O beijo da mulher-aranha”, que foi transformado em filme por Hector Babenco, com Sônia Braga, Raul Julia e William Hurt no elenco.

A delegação argentina tem 15 autores, que mostrarão um pouco da literatura que é feita pelo país vizinho. Entre eles destaca-se Eduardo Sacheri, autor de “O segredo dos seus olhos”, que ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro em 2010. Outros destaques são Martín Kohan, Tamara Kamenszain, Claudia Piñero, Mariana Enríquez, Mempo Giardinelli e Sérgio Olguín.

Entre os nomes internacionais de outros países estão Jeff Kinney, autor da série de livros “Diário de um banana”, e Sophie Kinsella, autora da série de livros que consagraram a personagem Becky Bloom. Ambas as obras têm versões cinematográficas.

Mauricio de Sousa ganha exposição
A Bienal também vai homenagear Maurício de Sousa, que comemorará 80 anos no evento e ganhará uma exposição especial com 190 metros quadrados. Os visitantes poderão ver uma retrospectiva com a evolução dos desenhos de seus principais personagens e terão um canto de leitura com vários lançamentos do autor, entre eles uma versão de “O pequeno príncipe”. Mauricio de Sousa receberá o Prêmio José Olympio, por seu trabalho na promoção da leitura.

O Café Literário, espaço para discussões sobre cultura, debaterá as relações do Rio de Janeiro com as letras, entre outros assuntos. Serão 33 debates ao longo de todo o evento, que termina no domingo (13).

As crianças também terão atrações especiais durante a Bienal, com brincadeiras que envolvem a cultura de vários países. Os pequenos poderão participar dos Jogos Literários da Bienal com as famílias, em disputas sobre a língua portuguesa, que envolvem atores circenses. Crianças e adultos também poderão se transformar em contadores de histórias com a ajuda de acessórios em cabines de leitura.

SERVIÇO
17ª Bienal do Livro Rio
Onde
Riocentro
Avenida Salvador Allende 6555, Barra da Tijuca

Quando
De 3 a 13 de setembro
Dia 3, de 13h às 22h
Dias de semana, de 9h às 22h
Fins de semana, 10h às 22h

Preços
Inteira, R$ 16; meia-entrada, R$ 8
Estacionamento, R$ 22 para 12 horas de permanência

Mais informações
Site da Bienal, clique aqui

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *