Artista de 17 anos ganha exposição em Paris, mas Enem ‘impede’ viagem

‘Telas vão embarcar sozinhas’, lamenta adolescente de Itapetininga (SP).
Mostra será no mesmo dia do Enem; obras ficarão no Museu do Louvre.

paris1

Publicado em G1
A artista Clara Bandeira, de 17 anos, ganhou a chance de expor seus trabalhos no Museu do Louvre, em Paris, na França, um dos mais importantes do mundo. As obras farão parte da exposição “Paris & Elas – Vertendo Luz”, com outros 12 artistas brasileiros. Mas a euforia durou pouco tempo, pois a jovem não conseguirá embarcar para a exposição devido ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O período da exposição, de sexta-feira (23) a domingo (25), coincide com o fim de semana em que é aplicada a prova. “Frustou. Porque as telas vão embarcar sozinhas. Mas, mesmo assim, estou feliz por ter meu trabalho reconhecido”, comenta a jovem de Itapetininga (SP).

Clara é uma das 7,7 milhões de inscritos para o Enem. “Estou concluindo o ensino médio e para ingressar em uma universidade preciso fazer o exame. Estudei muito o ano inteiro e não dá para deixar de fazer a prova agora”, afirma. A adolescente diz que quer estudar direito, design ou artes plásticas. “Estou indecisa ainda, mas provavelmente vou optar por design”. Ela tentará faculdades públicas e particulares em São Paulo.

Já a exposição a qual suas obras participarão é parte do evento Salon Art Shopping, que reunirá mais de 300 galerias do mundo todo no famoso museu de Paris.

Os quadros
Esta é a primeira vez que Clara vai expor internacionalmente seu trabalho. Um dos quadros foi pintado quando ela morou na Europa e, segundo ela, reflete um momento de mudanças. “Fui estudar na Inglaterra e morei sozinha por um bom tempo. Essa transição na minha vida gerou muita alegria e mudanças que nunca vou esquecer. Tentei transferir esses sentimentos na tela e o resultado foi este, um rosto colorido, que representa a alegria, mas com um ar preocupado”, comenta (veja a obra abaixo).

A outra obra foi pintada para uma exposição sobre moda dos anos 70. “Pintei uma mulher que representa a época. Cabelo armado e um óculos bem retrô”, diz.

‘Pintura vem de sangue’
Mesmo sem acompanhar a exposição, a artista é só orgulho para a família. Segundo a mãe, Sandra Bandeira, desde os 7 anos, a artista pinta quadros. Antes disso, já dava indícios de que seguiria a arte. “Clara é uma menina muito especial, não se contenta com respostas incompletas. Vai atrás, lê muito, pesquisa, é muito curiosa sobre seus interesses. Recebi um presente”, conta a orgulhosa mãe.

ilustracao_de_clara_bandeira_2

Para Clara, a oportunidade é única. “Desde muito pequena eu fazia esculturas inspiradas em programa infantil, fazia tudo que ensinavam. Minha mãe comprava os materiais e eu imitava. Depois, aos sete anos, comecei a desenhar e não parei mais. Tenho necessidade de desenhar e faço isso com muito prazer”, conta a adolescente.

Para a jovem, o gosto pela pintura é algo natural, já que é descendente de artistas. “Sou neta de uma artista plástica e bisneta de um desenhista que fazia desenhos com carvão. Então a pintura vem de sangue”, conclui Clara.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *