Escoteira doa coleção de gibis para incentivar leitura em escola municipal

Isabela Cardia, de Sorocaba, aprendeu a ler com as revistas em quadrinhos.
Além da coleção, de 400 exemplares, jovem ainda arrecadou mais 200.

gibitecaescola-duljara-l-oliveira-ft-assis-cavalcante-018

Publicado em G1

Páginas que um dia ensinaram a junção das sílabas a uma jovem de Sorocaba (SP) agora poderão formar novos leitores na cidade. Isabela Cardia, de 17 anos, doou 600 gibis para a escola municipal “Duljara Fernandes de Oliveira”, no Jardim Santo Amaro, para que a unidade pudesse montar uma gibiteca. “Me sinto feliz. Vai dar a chance para as crianças se encantarem e criarem o gosto pela leitura, entrarem nesse mundo assim como eu entrei: através dos gibis”, diz a jovem.

Dos 600 exemplares doados, 400 pertenciam à coleção particular de Isabela. Os outros 200 foram arrecadados pela jovem em menos de dois meses. Ela também teve o cuidado de providenciar um tapete e pintar caixas para armazenar o material.

“Aprendi a ler com os gibis e colecionei-os dos 6 aos 12 anos. Desde então, já tinha a ideia de repassa-los e meus pais incentivaram isso. O único exemplar que guardei foi o primeiro [gibi] que tive.”

A oportunidade de dar um novo uso ao material surgiu de um desafio proposto pelo grupo escoteiro, o qual Isabela participa há oito anos. “Para conseguir o distintivo de escoteiro da pátria, era necessário desenvolver um projeto que beneficiasse a comunidade. Eu já tinha a ideia de doar os gibis para uma instituição de ensino pública, então escolhi essa escola que fica em uma rua próxima da onde eu moro”, conta Isabela.

Gibiteca
A escola “Duljara Fernandes de Oliveira” atende cerca de 900 alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental. A inciativa da doação foi bem recebida e a previsão é que os estudantes possam frequentar a Gibiteca já no início do ano que vem. “A equipe não esperava e ficou bastante feliz com a proposta. Quando o espaço for inaugurado, irei conversar com as crianças para incentivá-las sobre a leitura, a doação e apresentar o local”, comemora Isabela.

A jovem conta que não pensa em seguir carreira na área educacional, mas acredita no poder de criar novos leitores. “Leitura é uma coisa que todos deviam ter o hábito, não só pela questão linguística, mas também porque ajuda a formar caráter, a conhecer o mundo e abrir a cabeça para novas possibilidades”, finaliza.

O responsável pelas salas de leituras e bebetecas da Secretaria da Educação (Sedu) instaladas na cidade, Pedro Luiz Rodrigues, elogiou a atitude da escoteira e ressaltou a importância do contato das crianças com esse tipo de leitura. “São textos sem o compromisso literário, mas que desenvolvem o hábito da leitura. E isso é o mais importante”, enfatiza.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *