Jovem distribui livros para usuários do metrô de SP

Fernando deixa obras em bancos de vagão do metrô
Fernando deixa obras em bancos de vagão do metrô

Publicado no Quem Inova

“Tenho a filosofia de vida de transformar o ambiente que estou em um lugar melhor: em casa, no trabalho, no futebol com os amigos.” Foi assim que o especialista em sistemas de informação Fernando Tremonti, 27 anos, teve a ideia de mudar para melhor o dia a dia de quem usa o metrô em São Paulo.

Em agosto de 2014, o desenvolvedor de softwares reuniu livros e os deixou em um vagão. Se ele, fazendo ida e volta o trajeto Barra Funda – República – Vila Madalena, que soma sete estações, tinha condição de ler dois livros por semana, por que não proporcionar o mesmo benefício aos outros usuários?

Fernando fez um folder, em que explicava a proposta do projeto Leitura no Vagão. Nele, dizia que a pessoa poderia levar o livro e, quando terminasse de ler, o deixasse novamente em um dos bancos, acompanhado do folder.

O que começou com uma obra aqui e outra lá se multiplicou. Nas contas de Fernando, foram cerca de 10 mil livros deixados nos vagões. E inclui agora ações especiais, em que um trem recebe um exemplar por banco.

Boa parte, explica ele, vem de doações. “Há muitas pessoas que gostam de ler e se propõem a ajudar”, diz ele, destacando que todo apoio é bem-vindo.

O jovem acompanha os resultados pelas redes sociais. No panfleto que inclui no livro, ele incentiva os leitores a postarem a experiência com a hashtag #leituranovagão.

“Tento proporcionar a mudança de hábito de leitura e impactar para melhor a vida das pessoas”, resume.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *