Concurso Cultural Literário (147)

1284-20151019143416

O Pequeno Príncipe

Antoine de Saint-Exupéry (autoria), Gabriel Perissé (tradução)

Há mais de 70 anos encantando gerações de leitores de todas as idades, O Pequeno Príncipe sai agora pela Autêntica, em tradução que buscou uma linguagem – tanto verbal quanto visual – mais próxima do leitor brasileiro de nossos dias. A intenção era criar coloquialidade e, ao mesmo tempo, respeitar o tom clássico de uma das obras literárias mais importantes da literatura universal para o público infantil e juvenil, mas também para todos os adultos que conseguem enxergar a essência humana.

O livro narra o encontro, no deserto do Saara, de um piloto francês, cujo avião sofrera uma pane, com um menino “de cabelos de ouro”. Num longo diálogo, o narrador descobre um pouco da vida do pequeno príncipe, percebe seu olhar infantil sobre a vida e o mundo; o pequeno príncipe, por sua vez, se vê diante de questões da vida dos adultos, e aquele encontro se transforma numa ligação forte, um dependendo do outro, compreendendo a importância que têm todos aqueles que cruzam nossa vida.

Considerado uma das maiores obras do século XX, O Pequeno Príncipe é um dos livros mais traduzidos do mundo, não se sabe exatamente para quantos idiomas – o site oficial da obra Le Petit Prince fala em cerca de 253 idiomas e dialetos –, e revela uma visão filosófica e poética do mundo, da vida e da morte, das relações.

***

Em parceria com a Autêntica, vamos sortear 2 exemplares capa dura de “O Pequeno Príncipe”, livro de Antoine de Saint-Exupéry.

Para concorrer, responda na área de comentários:

Cite ao menos uma lição que os adultos podem aprender por meio da leitura deste livro infanto-juvenil.

Se participar via Facebook, por favor deixe seu e-mail de contato.

Para ficar sempre por dentro das novidades e promoções, sugerimos que curta as páginas dos envolvidos neste concurso cultural:

O resultado será divulgado dia 8/3 neste post.

Boa sorte! 🙂

 

ATUALIZAÇÃO

E as ganhadoras são Ana Beatriz Miranda e Kika Monteiro. Parabéns! Entraremos em contato. 🙂

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

13 thoughts on “Concurso Cultural Literário (147)

  • 16 de fevereiro de 2016 em 11:40
    Permalink

    Os adultos podem aprender com o pequeno príncipe a cultivar uma amizade, cuidar do outro, se importar não só consigo mesmo.

    Resposta
  • 16 de fevereiro de 2016 em 13:09
    Permalink

    Que melhor forma de expressar algo é por gestos de carinho e simplicidade, olhando para o que é essencial no ser.

    Resposta
  • 17 de fevereiro de 2016 em 1:35
    Permalink

    muita gente gosta de usar as frases deste livro, mas eu tenho receio de que não as deem a devida atenção. como foi bem dito, os adultos podem aprender muito com a simplicidade deste livro. acredito que a citação de maior impacto, se realmente nos importamos, é que “o essencial é invisível aos olhos”.
    não se aprende isso de uma hora pra outra. desapegar do materialismo e da superficialidade é fundamental quando queremos “enxergar” o que nos é invisível.

    preciso ler de novo esse livro.

    Resposta
  • 1 de março de 2016 em 21:58
    Permalink

    Pra um Adulto ler o Pequeno Príncipe e não voltar a ser criança e pq ele nunca foi uma.

    Resposta
  • 2 de março de 2016 em 13:17
    Permalink

    Aprendemos a aprender com as situações que nos são apresentadas, aprendemos a ter sensibilidade e vontade viver como o Pequeno príncipe viveu, amando as coisas simples, invisíveis, ímpares mesmo que tão comuns. E que no meio dos adultos temos que ter sempre um tempo para olharmos para a criança há dentro de cada um. ❤

    Resposta
  • 2 de março de 2016 em 17:07
    Permalink

    “O essencial é invisível aos olhos”
    O que realmente precisamos não são bens materiais ou belezas externas, mas sim tudo aquilo que não vemos como amor, companheirismo e imaginação, coisas que o livro nos faz dar valor.

    Resposta
  • 2 de março de 2016 em 21:21
    Permalink

    Com o Pequeno Príncipe aprendi que podemos ser felizes e realizados com muito pouco.
    Verdadeiros amigos, coisas simples, como um rosa, pode nos fazer a pessoa mais feliz do mundo.

    Resposta
  • 5 de março de 2016 em 9:54
    Permalink

    O livro O Pequeno Príncipe ensina aos adultos a serem crianças novamente porque quando crescemos perdemos a essência da vida. Nos esquecemos das verdadeiras amizades, deixamos de ser sinceros, paramos de sonhar e quando fazemos isso deixamos de viver de forma plena. E esse livro resgata toda a pureza e magia da infância.

    Resposta
  • 8 de março de 2016 em 11:26
    Permalink

    “As pessoas são solitárias porque constroem muros ao invés de pontes” – na minha opinião evidencia porque muitas pessoas sofrem depressão hoje em dia, pq constroem muros, castelos, fortalezas, criam mundos somente para si…eu..eu.. e não interagem com outras pessoas, não confiam mais nas pessoas…não constroem elos de amizade….

    Resposta
  • 8 de março de 2016 em 11:47
    Permalink

    Das coisas que aprendi com o Pequeno Príncipe, uma delas é que o universo conspira a favor das nossas vontades, e que tudo é uma grande força da qual podemos nos unir e absorver qualquer resposta, só precisamos aprender a olhar e escutar com outros olhos e outros ouvidos. Digo, nossa visão é fragmentário, e tudo é efêmero, logo o essencial é preciso ver com os olhos do coração.

    Resposta
  • 8 de março de 2016 em 15:02
    Permalink

    Uma lição que o livro nos passa: As dificuldades estão aí para nos ensinar que elas são necessárias para o nosso crescimento.

    Resposta
  • 8 de março de 2016 em 16:37
    Permalink

    Aprendi que realmente o que é essencial para o coração nem sempre é visível aos olhos.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *