19 livros que não podem faltar em sua biblioteca

publicado na Gazeta do Povo

1) Memórias Póstumas de Brás Cubas

Machado de Assis

L&PM Pocket, 228,pp, R$ 22.

“Livro moderníssimo numa prosa que, ainda hoje, vibra e educa o ouvido da língua portuguesa”.

Leandro Sarmatz, editor Cia. das Letras.

2) Crime e Castigo

Fiódor Dostoievski

Editora 34, trad. Paulo Bezerra, 568pp, R$ 39.

”Primor de argumento, narrativa, com perfeita definição de personagens e tensão em crescendo. Raskolhnikov é um exemplo de protagonista-vilão, com quem os leitores se identificam. Um livro do qual nunca nos libertaremos”.

Ernani Buchmann, da Academia Paranaense de Letras.

3) As Aventuras do Senhor Pickwick

Charles Dickens

(Fora de Catálogo)

”Engraçadíssimo e fundamental para se compreender como funciona a justiça. Ideal para desiludir quem espera muito das instituições. Sobre justiça, poder e ressentimento, aliás, pautas tão contemporâneas é uma obra essencial, assim como o Quixote e o teatro completo de Shakespeare”.

Luís Henrique Pellanda, escritor.

4) Ensaios

Michel Montaigne

Cia. das Letras, trad. de Rosa freire D’Aguiar, 616 pp. R$ 37.

“Houve uma época em que eu lia um ensaio de Montaigne por noite. E noite após noite, a cada ensaio, minha própria natureza transparecia naquelas páginas. Montaigne é um espelho de nós, séculos depois; isso é assustador”.

Felipe Munhoz, escritor.

5) Górgias

Platão

Versão eletrônica livre

”Deveria ser de leitura obrigatória .Mostra-nos bem como o cidadão é enganado através da linguagem, julgando que está a ouvir a verdade. Um livro onde se assiste à guerra entre a retórica e o conhecimento (ou a sua busca).

Paulo José Miranda, escritor vencedor do prêmio José Saramago 1999.

6) Moby Dick

Herman Melville

Cosac Naify, trad: Alexandre barbosa de Souza, 628 pp. R$ 59

“O livro mais poderoso. Tudo nele é impressionante. Gosto inclusive dos nomes dos lugares (Nantucket) ou dos personagens (Queequeg). Não há nada que se compare a esse livro”.

Mário Bortolotto, escritor e dramaturgo.

7) Os Cantos de Canterbury

Geoffrey Chaucer

Editora 34, trad Paulo Vizoli , 784 pp. R$ 98.

“Escrito a partir de 1387 é uma coleção de 24 histórias narradas cada uma por um peregrino, nos coloca diante de figuras das diversas camadas sociais de uma Inglaterra medieval e explora, com grande humor e com uma linguagem primorosa, temas, entre cotidianos e polêmicos, que são surpreendentes por sua atualidade”.

Luci Collin, escritora e professora de literatura

8) Paranoia

Roberto Piva

(Fora de catálogo)

“Uma viagem delirante por São Paulo. Um clássico que marcou minha juventude e despertou meu interesse por poesia”.

Diego Moraes, escritor.

9) Mahabharata (poema épico indiano escrito em sânscrito entre 300 AC e 300DC )

Fora de Catálogo

“A maior obra literária de todos os tempos”.

Alberto Mussa, escritor

(Fora de catálogo)

10) Stoner

John Williams

Rádio Londres, trad. Marcos Maffei, 320 pp. Romance. R $45.

“Clássico a gente também descobre tardiamente, e este faz a síntese perfeita das qualidades de dois outros livros indispensáveis de americanos contemporâneos: A marca humana, de Philip Roth, e Foi apenas um sonho – Revolutionary Road, de Richard Yates”.

Christian Schwartz, tradutor e editor.

11)É Isto é um homem?

Primo Levi

Rocco, tra. Luigi del Re. 256pp. R$ 28.

“O relato sobre Auschwitz fica martelando pelo resto da vida, dia após dia, nos lembrando dos horrores que somos capazes de cometer”.

Rogério Pereira, diretor da Biblioteca Pública do Paraná.

12) Grande Sertão: veredas

João Guimarães Rosa

Nova Fronteira, 624 pp. R$55

“O maior livro já escrito no Brasil. Rosa criou ele mesmo uma linguagem, um cenário e um sagrado a partir de suas percepções sensíveis sobre o povo sertanejo. Ler Grande Sertão é um dos poucos privilégios de ser brasileiro nativo”.

Yuri Al’Hanati, youtuber do canal “Livrada”.

13) Pornopopeia

Reinaldo Moraes

Objetiva, 480 pp. R$ 62.

“Uma viagem, já nasceu clássico. A história é divertida, o personagem principal é amoral e a linguagem exuberante, com uma saraivada de gírias que se misturam a referências cultas. Uma espécie de Grande sertão: veredas urbano, pop e picaresco”.

Luiz Rebinski Jr, editor do jornal literário Cândido.

14) Alice no País das Maravilhas

Lewis Carrol

“Narrativa riquíssima em jogos de palavras, imaginação, fantasia, sutilezas da alma humana, crítica e bom-humor; para todas as idades”.

Stela Maris Rezende, autora infantil e vencedora do premio BPP em 2014

15) Só garotos

Patti Smith

Cia. das Letras, trad de Alexandre Souza. 280 pp, R$ 44.

“Um livro nada acadêmico, autobiográfico, sugere a mulher participativa envolvida com as nuances de um novo mundo, cosmopolita”,

Toninho Vaz, autor da biografia de Paulo Leminski, O Bandido que Sabia Latim

16) Desastres do Amor

Dalton Trevisan

Record, 144pp. R$ 35.

“Fico com este Dalton em que as histórias de Joãos e Marias são contadas com humor sutil e toques de poesia (“Os plátanos enfeitam-se da conversa dos pardais.”). É uma boa introdução na obra do maior contista brasileiro”

Marleth Silva, jornalista cultural e colunista da Gazeta do Povo

17) Crônica de uma morte anunciada

Gabriel García Márquez

Record, trad Remy Gorga Filho, 176 pp. R4 25.

“Uma aula de como contar uma história que já se conhece o desfecho”

Tito Montenegro, editor da Arquipélago Editorial

18) O Livro das Vidas- Obituários do New York Times

Vários Autores

Cia. das Letras, trad: Denise Bottman, 312 pp. R$ 54.

A obra revela histórias improváveis e mostra o poder da qualidade narrativa na descrição de pessoas aparentemente comuns.

Daniela Arbex, escritora e jornalista

19)Vidas Secas

Graciliano Ramos

Record, 175 pp. R$ 25.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *