Acreanos criam aplicativo para promover venda de livros usados

BookStop foi criado durante ‘maratona de programação’ em Rio Branco.
Aplicativo ainda não está disponível para dowload, diz empreendedor.

Iryá Rodrigues,no G1

Dois desenvolvedores do Acre criaram um aplicativo para promover a venda de livros usados na internet. Batizado de BookStop, o programa surgiu enquanto os idealizadores, Daniel Henrique e Giocondo Grotti, participaram do Hackathon, conhecido como “maratona de programação”, na última sexta-feira (26), em Rio Branco.

Aplicativo que promove venda de livros usados deve ficar disponível dowload em um mês (Foto: Reprodução)
Aplicativo que promove venda de livros usados deve
ficar disponível dowload em um mês
(Foto: Reprodução)

A ideia do aplicativo precisou ser apresentada e posta em prática em 24h, que foi o período em que o evento foi realizado, e a dupla ficou em primeiro lugar na competição.

Um dos idealizadores, Henrique, afirma que o aplicativo ainda está em processo de conclusão e, portanto, não pode ser feito o dowload.

“Já fizemos o mais difícil, que era organizar o banco de dados. Essa parte de estrutura era o que o evento exigia que fosse apresentado na competição. Mas, o aplicativo deve ficar pronto para dowload em no máximo um mês”, diz Henrique.

Ele conta que vendia livros usados na internet, por meio das redes sociais e tinha uma livraria, mas afirma que tinha problemas para negociar e apresentar os produtos para venda. A ideia do aplicativo veio da necessidade de organizar melhor o processo de venda. Os desenvolvedores salientam ainda o apoio do antropólogo paulista Daniel Belik no projeto.

O BookStop é como uma rede social, em que o usuário faz o seu perfil e cadastra os livros que pretende vender. Henrique explica que é possível ainda fazer a descrição do livro e inserir foto, nome do autor, título e o preço do livro. A expectativa dos empreendedores é ganhar dinheiro com a iniciativa.

Hackathon
O Hackathon é um evento onde programadores, designers e demais profissionais ligados a área de desenvolvimento se reúnem para criar um projeto que apresente melhorias para Rio Branco. A secretária de Ciência e Tecnologia no estado, Renata Souza, afirma que maratona de programação deve ter cinco etapas até o final do ano.

A terceira etapa ocorre, nesta sexta-feira (2), na Faculdade da Amazônia Ocidental (FAAO). O evento dá 24 horas para os participantes desenvolverem os projetos e colocarem em prática.

O primeiro evento foi feito no ano passado na Universidade Federal do Acre (Ufac). “O Hackathon tem o formato de incentivar os jovens e estudantes universitários que queiram desenvolver e ser jovens empreendedores. Nosso objetivo é incentivar o empreendedorismo nos jovens”, afirma a secretária.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *