Estudante rifa livros escritos pelo avô para ir à Bienal do Livro em São Paulo

Diego Varella, de 13 anos, conta que lê, geralmente, um livro por semana (Foto: Arquivo pessoal/Diego Varella)
Diego Varella, de 13 anos, conta que lê, geralmente, um livro por semana (Foto: Arquivo pessoal/Diego Varella)

 

Diego Varella, de Cachoeira Paulista, foi a São Paulo com valor arrecadado.
Ele conta que lê um livro por semana e juntou R$ 400 para usar na feira.

Camilla Motta, no G1

Para realizar o desejo de ir a Bienal do Livro, um estudante de 13 anos rifou seis livros escritos pelo próprio avô para conseguir dinheiro para ir à feira — que chega ao fim neste fim de semana. Ele conseguiu arrecadar R$ 400 para pagar as despesas e comprar novos livros.

Diego Varella mora em Cachoeira Paulista (SP) e embarcou para São Paulo neste sábado (3). Com a falta de dinheiro para bancar os custos da viagem, entrada do evento e a aquisição de novos livros, o pai dele deu a ideia de fazer a rifa.

Ele arrecadou dinheiro para comprar novos livros (Foto: Arquivo pessoal/Diego Varella)
Ele arrecadou dinheiro para comprar
novos livros
(Foto: Arquivo pessoal/Diego Varella)

“Meu pai deu a ideia e achei legal porque queria muito ir. Meu avô deu os livros e começamos a vender as rifas. Agora, além de ter dinheiro para ir, vou conseguir trazer alguns livros novos também. Estou muito feliz por ter conseguido”, conta Diego, que já visitou bienais de outras cidades anteriormente.

Ele fez duas rifas e cada uma tinha como prêmio três livros. Somadas, foram vendidas mais de 400 rifas no valor de R$ 10. Tudo foi vendido em um mês. Os sorteados receberam o prêmio nesta sexta-feira (2). “É um grande evento e tem muitas novidades na literatura. O dinheiro é para comprar esses livros diferentes e lançamentos que eu ainda não li. É o lugar de quem gostas de ler”, diz.

Leitura
O amor pelos livros e o hábito pela leitura são heranças do avô Carlos Varella, que já tem nove livros de contos publicados e acaba de produzir um inédito. A prática de Varella acabou incentivando o neto a entrar no universo literário. O primeiro livro do avô foi lido por Diego aos oito anos. Atualmente, ele afirma ler cerca de um livro por semana e tem preferência pelo gênero da fantasia.

“A leitura abre os horizontes, te faz conhecer e descobrir coisas novas. A leitura faz parte da minha vida e do meu conhecimento”, contou o estudante

Para o avô, o hábito de Diego é motivo de orgulho. “Sempre incentivei ele e minha outra neta a lerem. Isso me deixa muito contente porque eu também gosto muito de ler e escrever. O mais legal é que todo mundo na idade dele é muito conectado com a internet, sempre está no celular ou no computador, e ele sempre está com um livro”, contou.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *