Presídio de Natal ganha biblioteca e entra em projeto de redução de pena

Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania inaugura biblioteca no complexo João Chaves (Foto: Divulgação/Sejuc)
Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania inaugura biblioteca no complexo João Chaves (Foto: Divulgação/Sejuc)

Segundo Sejuc, biblioteca do complexo João Chaves tem mais de mil livros.
Projeto Releitura permite redução de pena em quatro dias por cada livro lido.

Publicado no G1

Os detentos do Complexo Penal João Chaves, na Zona Norte de Natal, ganharam nesta segunda-feira (12) uma biblioteca com mais de 1 mil títulos. A iniciativa foi da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) que passa a aplicar na unidade prisional o projeto Releitura, no qual um detento pode reduzir a pena em quatro dias para cada livro que lê.

Nesse projeto, o preso tem um prazo de até um mês para ler uma obra, que pode ser literária, clássica, científica ou filosófica. Precisa, então, fazer uma resenha sobre o livro escolhido. A resenha é avaliada por uma comissão de pedagogos da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), que verifica se o conteúdo tem a ver com a obra e se não houve plágio.

A iniciativa já é aplicada no Complexo Penal Estadual Agrícola Mário Negócio, em Mossoró.

Na opinião do Secretário de Estado da Justiça e Cidadania, Wallber Virgolino, o projeto Releitura “demonstra a preocupação do Estado com a recuperação da dignidade do apenado” e deve “suavizar o sistema”. Wallber acrescenta que o objetivo da Secretaria é implantar o projeto em todo o sistema penitenciário do estado.

Segundo Wallber, a biblioteca inaugurada no complexo tem acervo de mais de mil livros e é completamente informatizada. “O diretor vai ter acesso a que apenado está com qual livro e há quanto tempo”, explica o secretário.

Detentos precisam escrever resenha sobre o livro para conseguir a remissão. (Foto: Divulgação/Sejuc)
Detentos precisam escrever resenha sobre o livro para conseguir a remissão. (Foto: Divulgação/Sejuc)

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *