Brasileiro troca pneus por livros e há 10 anos é livreiro em Berlim

 Brasileiro troca pneus por livros e há 10 anos é livreiro em Berlim © Raphael Lima/Notícias ao Minuto

Brasileiro troca pneus por livros e há 10 anos é livreiro em Berlim © Raphael Lima/Notícias ao Minuto

 

Edney Melo criou um espaço para língua portuguesa na capital alemã

Publicado no Notícias ao Minuto

Edney Pereira Melo achava que tinha aprendido alemão quando foi morar em Berlim, em 2003. Aos 29 anos, estudante de Letras e gerente de uma loja de pneus em Pernambuco, ele decidiu passar três meses na fria capital alemã. Depois de algumas idas e vindas, se mudou definitivamente em 2005.
PUB

“Em 2001 e 2002 fiz um curso de alemão. Uma aula na semana, achei que soubesse alguma coisa. Quando cheguei aqui eu pensei: ‘Acho que estudei japonês’, não era nada daquilo”, brincou.

Casado com uma italiana, ele decidiu operar o joelho após se regularizar. Nesse período de recesso, sua esposa comprava livros em português para ele.

“Foi aí que surgiu a ideia de abrir uma livraria. Mas como abrir um negócio sem recursos?”, disse.

Edney então desenvolveu um projeto e apresentou a dois bancos. Um deles comprou a ideia e em 2006 ele conseguiu por o sonho em prática.

60

“Por incrível que pareça, abrimos a livraria sem livros, só com feijão e cachaça”, contou brincando, já que as encomendas das publicações não chegaram a tempo.

Nas estantes, Jorge Amado, Saramago, Pepetel, Gunter Grass, Paulo Coelho, Thomas Mann. O espaço é reservado para autores de língua portuguesa publicados na língua original e em alemão, e para autores alemães publicados em português. Há seis anos, um espaço foi criado reservado para autores italianos na língua original. Hoje com um alemão perfeito, Edney também tem o italiano no currículo por conta de sua mulher, Catia Russo.

A maior dificuldade enfrentada é a importação de livros do Brasil:

É mais fácil ter livros vindos de Portugal. Um livro de Jorge Amado que importo de Portugal e vendo por 22 euros, custaria 39 se vindo do Brasil”.

Edney desenvolveu também o festival de literatura Brasilien Trifft Berlin, que recebe autores de língua portuguesa em seu espaço. Além disso, ele tem uma pequena editora, a Edition Tempo, que já publicou André Sant’Anna e Marco Coiatelli. O livreiro fala com orgulho de seu projeto e conta ainda que já recebeu alguns dos autores lidos por ele n’A Livraria, entre eles Ruy Castro e Fernando Molica. Questionado sobre o livro preferido, Edney passou:

Não dá pra responder, é muita gente boa. Dos alemães, gosto muito de Thomas Mann”.

Sobre voltar para o Brasil, ele foi categórico: “Volto todo ano para não esquecer que um dia vou voltar de vez”, afirmou.

A Livraria – Torstrasse, 159, Mitte.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *