Bairro rural de MT terá 1ª biblioteca após adolescente juntar 6 mil livros

Jefferson Gabriel da Silva, 14, com os livros que arrecadou para criar biblioteca em Várzea Grande
Jefferson Gabriel da Silva, 14, com os livros que arrecadou para criar biblioteca em Várzea Grande

Vinicius Lemos, no UOL

No quintal de uma casa na zona rural de Mato Grosso, o estudante Jefferson Gabriel da Silva, 14, guarda 6.000 livros que em breve vão se tornar a primeira biblioteca da região.

O acervo, reunido com doações nos últimos dois anos, ficam em caixas e sacolas do lado de fora da casa onde ele mora com a mãe e uma irmã, no distrito rural de Bonsucesso, município de Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá).

O projeto começou quando Jefferson precisou fazer uma pesquisa para um trabalho da escola pública onde estudava. Sem computador, não encontrou livros para auxiliá-lo, já que não havia bibliotecas no distrito.

O garoto, então, criou meios para facilitar o acesso dos vizinhos a cultura. “No começo, ele pedia livros para todos e, quando conseguia, carregava tudo na bicicleta”, lembra mãe do jovem, a recepcionista Janice Ferreira, 41.

As doações de livros tiveram início em meados de 2015, feitas por vizinhos e até moradores de outras cidades que ficaram sabendo da iniciativa.

Diante da quantidade de doações, a avó do estudante permitiu que ele construísse a biblioteca em um terreno dela, situado em frente à residência do jovem. Para isso, começou a receber doações para o projeto. A primeira foi uma surpresa, durante um evento ao qual foi convidado.

“Disseram que havia um presente pra mim e quando vi, estava em frente à Xuxa. Foi emocionante e ela ainda doou R$ 5.000.” Na data, ele ainda ganhou um projeto arquitetônico para a biblioteca. Meses depois, Jefferson recebeu mais R$ 5.000 do Bope (Batalhão de Operações Especiais) de MT, arrecadados em um evento do grupo.

O governo de Mato Grosso também entrou no projeto com a doação de equipamentos, como estantes para os livros, que serão entregues quando a obra estiver pronta. A secretaria de Justiça e Direitos Humanos permitiu ainda que presos servissem como mão de obra na construção. A estrutura inicial da biblioteca foi concluída em dezembro passado, mas faltam recursos para colocar o lugar em funcionamento.

“Está praticamente erguido, mas ainda faltam cerca de R$ 20 mil para fazer o telhado e os acabamentos. Não temos condições financeiras para terminar, por isso não há previsão para que a biblioteca fique pronta”, diz Jefferson, que busca novos auxílios. Para obter recursos públicos, é preciso regulamentar a situação do espaço, passando o terreno para a biblioteca.

“É triste, porque as pessoas perguntam quando vai ficar pronta. Eu digo que não sei. É complicado saber quando vou conseguir terminar.” Para cuidar e selecionar os livros, ele tem a ajuda de duas bibliotecárias voluntárias, já que o novo espaço poderá abrigar apenas 2.500 dos 6.000 livros que ele já tem.

O adolescente cursa o 8º ano do ensino fundamental em uma escola particular de Cuiabá –ele ganhou uma bolsa após o diretor do colégio conhecer o projeto. Em meio à rotina na escola, Jefferson afirma que sempre se depara com a facilidade dos colegas de classe para obter livros.

Nestes momentos, costuma se recordar das dificuldades de sua região. “Quero terminar a biblioteca e fazer com que as crianças e os adultos da minha comunidade também tenham acesso ao conhecimento. Quero atender até pessoas de outros lugares”, planeja.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *