Jonathan Azevedo já precisou ler um livro por semana para pagar aluguel

Adalberto Neto, em O Globo

Quem vê Jonathan Azevedo na pele do bandido Sabiá, na novela “A força do querer”, nem imagina que, por trás daquela malvadeza toda, existe um homem delicado e sensível. E olha que a vida sempre foi dura com ele. Logo que nasceu, levou um ‘não’. “A mulher que me pariu não me queria”, conta. “Para minha sorte, minha mãe estava no mesmo hospital, tinha acabado de perder uma filha de 22 anos e saiu de lá me carregando nos braços”.

Jonathan Azevedo | Divulgação
Jonathan Azevedo | Divulgação

As relações familiares sempre foram uma questão para o ator. “Vou à psicóloga para tentar me situar na vida. Só quando parei de questionar o meu passado, passei a aceitar o meu futuro”, observou ele, que afirma não querer conhecer os seus pais biológicos. “Dizem que eles moram numa comunidade perto, mas não tenho a menor vontade de saber quem são”. Nascido na Cruzada São Sebastião, no Leblon, ele mora no Vidigal e, aos 17 anos, dividiu apartamento com um amigo, um dos responsáveis por seu interesse pela leitura.

“Eu só podia dar R$ 200 para o aluguel. Então, além desse valor baixo, ele exigia que eu um lesse livro por semana. Conheci Nelson Rodrigues, Plínio Marcos, Elisa Lucinda por causa desse amigo”, diz. Com o fim da novela, ele se despede hoje do personagem que o ajudou a mostrar ao Brasil inteiro o seu talento.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *