arte

Obras de arte ocultas incríveis pintadas na borda de livros históricos

0

Katy Cowan, no Creative Boom

Houve uma época em que as pinturas de ponta estavam na moda – isto é, ilustrações intrincadas em torno das páginas fechadas de um livro. Embora a folha de ouro ou de prata fosse sempre uma escolha popular, alguns títulos foram um passo além e incluíram pinturas inteiras de paisagens ou retratos.

Curiosamente, algumas pinturas de vanguarda eram tão secretas que você só podia descobri-las quando o livro se abria em uma determinada direção. E se o livro fosse fechado normalmente, as bordas da página ficariam em branco. Às vezes, essas ilustrações secretas poderiam ser duplicadas – revelando duas obras de arte diferentes em inclinações diferentes.

A Biblioteca Earl Gregg Swem possui a coleção Ralph H. Wark, com 700 unidades, a maior coleção de livros pintados na América. Jay Gaidmore, diretor de Coleções Especiais da Biblioteca, disse: “Às vezes, as pinturas de ponta correspondem ao assunto do livro, e às vezes não. Cenas típicas incluem Oxford e Cambridge, o rio Tâmisa, a Abadia de Westminster, a vila inglesa e rural, Edimburgo, autores, navios e figuras clássicas … A maioria dos livros são do inglês do século XIX, mas há algumas cenas americanas. “

Então, quando começaram as pinturas de ponta? Elas podem ser encontradas em livros que datam do século 11, com versões mais elaboradas que aparecem em torno do século 17, quando os artistas tentaram ultrapassar as fronteiras do que era possível.

“Pinturas de ponta atingiram o pico no final do século 18 e início do século 19 na Inglaterra”, acrescentou Gaidmore. “Edwards de Halifax, parte da família Yorkshire de encadernadores e livreiros, foi considerado responsável pelo estabelecimento do costume”.

Via Atlas Obscura | Imagem principal cortesia da Biblioteca Swem

Uma pintura bidirecional de duas faces do Livro do Tamisa (1859), inclinada para um lado | Foto cedida pela The Swem Library

 

Inclinada para o outro lado aparece outra pintura | Foto cedida pela The Swem Library

 

A capital americana pintada na borda de Poemas americanos (1870) | Foto cedida pela The Swem Library

 

Henry Longfellow das obras poéticas completas de Henry Wadsworth Longfellow | Foto cedida pela The Swem Library

 

Uma cena de circo de Ensaios, Poemas e Peças (1820) | Foto cedida pela The Swem Library

 

Uma pequena cena de fazenda (1827) | Foto cedida pela The Swem Library

Instalação revela o poder metafórico de um único livro distorcendo um muro de tijolos

0

Publicado no Razões para Acreditar

Para você, qual é o papel da arte na vida das pessoas? Para mim, a arte surge da necessidade de explicar a própria vida e isso pode ser feito através de críticas ou até mesmo de homenagens, como a gente vê nesta maravilhosa instalação do artista mexicano Jorge Mández Blake. À primeira vista, sua instalação parece um muro de tijolos, mas uma vez que você descobre que, na verdade embaixo de tudo, no chão, existe um livro, tudo muda.

Sua ideia é genial e a gente explica: o livro trata-se de um exemplar do clássico O Castelo, de Franz Kafka e o artista o colocou na base de sua instalação para mostrar o poder de um único livro de transformar toda uma parede. A metáfora está no fato de que uma pequena ideia pode ter um efeito muito maior do que imaginamos.

Este livro, que foi publicado somente após a morte do escritor, é um dos maiores clássicos da literatura moderna e o amor pelos livros de Jorge, foi o que o impulsionou a criar essa instalação, que também foi intitulada de O Castelo. O muro é grande: 75 metros de comprimento, impressionantemente transformados pela força de “apenas” um livro. Vem ver:

Acho que eu nunca vi uma homenagem tão linda à literatura e ao poder dos livros!

Com informações de My Modern Met

Fotos: Jorge Méndez Blake

Artista transforma episódios de ‘Stranger Things’ em livros de Stephen King; Confira!

0

StrangerThingsPaperbacks9-1024x1365-e1510149575409-750x380

Thiago Muniz, no Cinepop

Se você também acha que ‘Stranger Things’ e Stephen King tem muito em comum, vai adorar o que o artista Butcher Billy criou.

Billy é designer e ilustrador brasileiro, conhecido por transformar diversas obras da cultura pop em materiais retrô. Dessa vez, decidiu transformar os episódios da 2ª temporada de ‘Stranger Things’ em capas de livros dos anos 80 inspiradas nas obras do Stephen King.

Confira as artes incríveis:

StrangerThingsPaperbacks1-1024x1365-768x1024

StrangerThingsPaperbacks2-1024x1365-768x1024

StrangerThingsPaperbacks3-1024x1365-768x1024

StrangerThingsPaperbacks4-1024x1365-768x1024

StrangerThingsPaperbacks5-1024x1365-768x1024

StrangerThingsPaperbacks6-1024x1365-768x1024

StrangerThingsPaperbacks7-1024x1365-768x1024

StrangerThingsPaperbacks8-1024x1365-768x1024

StrangerThingsPaperbacks9-1024x1365-768x1024

E aí, o que acharam dessas artes fantásticas?

Harry Potter | Esculturas gigantes são expostas nas ruas de Madri, na Espanha!

0

sel

Guilherme Cepeda, no Burn Book

O mundo mágico de Harry Potter tomou as ruas de Madri, na Espanha.

Diversas esculturas gigantes baseadas no universo criado por J.K. Rowling, foram expostas pelas ruas para divulgar uma exposição da franquia, que mostrará objetos e cenários utilizados nos longas.

Entre as esculturas estão uma Nimbus 2000, o elfo doméstico Dobby, o Chapéu Seletor e o carro voador da família Weasley. Confira abaixo:

Capturar1

car

nb

Somente nas três primeiras semanas, a exposição vendeu mais de 55 mil ingressos e começará no dia 18 de novembro. O próximo filme da franquia será Animais Fantásticos e Onde Habitam 2, que tem estreia marcada para 16 de novembro de 2018.

Para ler ou levar? Designer russa cria bolsas impressionantes que parecem livros

0
Foto: reprodução / Facebook.

Foto: reprodução / Facebook.

A linguista russa Tatiana Kononova criou a marca Mrs.Chaplin e produz bolsas personalizadas inspiradas em capas de livros famosos

Publicado na Gazeta do Povo

Agora seus livros preferidos podem se tornar um acessório muito útil. Não funciona literalmente assim, mas a linguista russa Tatiana Kononova cria bolsas de mão que reproduzem capas de livros famosos.

Foto: reprodução / Facebook.

Foto: reprodução / Facebook.

A ideia surgiu em 2014 após Tatiana ver as bolsas feitas por Olympia Le Tan em uma revista de moda. Como não tinha dinheiro suficiente para comprá-las, decidiu fazer as suas próprias. “Para alguém com absolutamente nenhuma experiência em bordado isso parece uma ideia totalmente louca, mas eu era teimosa”, relembra em entrevista ao Viver Bem. Após a primeira, a linguista não parou mais, e decidiu que essa seria sua fonte de renda. Assim nasceu a marca Mrs.Chaplin.

Foto: reprodução / Facebook.

Foto: reprodução / Facebook.

Todas as clutches são bordadas à mão com fio de seda e feltro de lã. Tatiana conversa com os clientes durante todo o processo para ter certeza que todos os detalhes estarão como eles querem. A linguista produz apenas duas bolsas por mês e já vendeu cerca de 60 unidades até agora. “Eu poderia ter vendido mais, mas sou perfeccionista e, honestamente, prefiro qualidade à quantidade”, completa.

Foto: reprodução / Facebook.

Foto: reprodução / Facebook.

As bolsas já conquistaram muita gente — entre elas, uma noiva que usou uma das peças de Tatiana em seu casamento. Para a linguista, nesses casos a responsabilidade é ainda maior. “Eu sinto que estou fazendo parte do dia mais memorável na vida de uma pessoa que era completamente estranha apenas alguns meses antes”.

Foto: reprodução / Facebook.

Foto: reprodução / Facebook.

A inspiração foram as bolsas da Olympia Le Tan, mas Tatiana tenta incluir detalhes únicos em suas peças. “Tento fazer as minhas bolsas especiais, não só incluindo detalhes agradáveis, como um quadro de couro genuíno ou bordados, mas também trabalhando em uma estreita colaboração com meus clientes e tornando-as muito pessoais“, complementa.

As bolsas custam entre R$ 1.040,65 e 1.918,70 e estão à venda através do Etsy. A marca entrega no Brasil.

il_570xN.925652766_pmjq

il_570xN.1118480283_i36y

il_570xN.1231289220_jqu3

 

Go to Top