Canal Pavablog no Youtube

celebridades

Bumbum de Gisele Bündchen e de outras famosas viram livro

0

Publicado originalmente em O Dia

O renomado fotógrafo canadense Raphael Mazzuco vai lançar, em novembro, uma obra definitiva sobre uma paixão que pensávamos ser apenas
nacional, mas parece ter abrangência planetária: o bumbum.

‘Culo’, um livraço de 248 páginas, trará fotos emblemáticas de derrières de famosas como Lady Gaga (foto dir) e Fergie, vocalista da banda Black Eyed Peas, mas quem rouba a cena, para variar, são duas brasileiras: Gisele Bündchen (foto esq), cujo bumbum perfeito ilustra a capa, e a modelo e atriz Ana Araújo, namorada do Rolling Stone Ron Wood.

Radicada em Londres e passando fins de semana no castelo do marido, em Surrey, Ana será uma das atrações do Brazilian Film Festival na capital inglesa, que começa terça-feira e no qual ela anunciará sua nova incursão no cinema, ainda mantida sob sigilo absoluto. Será que o projeto é brasileiro? Ela acaba de se integrar ao casting da agência de Márcia Marbá, empresária de Grazi Massafera…

O que a coluna descobriu é que a ex-professora de polo, que livrou o músico da bebida e das drogas, segundo o próprio relato de Wood, vai anunciar o lançamento de uma ONG, a Ana Araújo Foundation, em prol da melhoria do ensino no País e cuidados com crianças e idosos com câncer. “Os filmes me faziam sonhar quando eu estava crescendo na dura pobreza brasileira. Eles colocavam um sorriso no meu rosto e me deixavam mais otimista, quando meu mundo não era muito feliz e colorido. Sou abençoada e tenho sorte de poder dar de volta um pouco do que recebi”, disse à coluna.

Você que tá aí pensando: “podia ser pior, já pensou se fosse a bunda da Mulher Melancia na capa?”, saiba que ela já mostrou o bundão na capa do livro “The Big Butt”, ou “O livro das grandes bundas”, como contamos aqui.

Dilma afirma que é direito dos brasileiros “ter os seus livros”

0
dilma_livros_20110901_450_aeMarcos de Paula/Agência Estado

Presidente inaugurou Bienal do Livro do Rio e visitou estandes da feira

A presidente Dilma Roussef anunciou, durante a 15ª Bienal do Livro do Rio de Janeiro, o programa de livros populares. O objetivo é incentivar a produção e a comercialização de publicações mais baratas e levar para as livrarias e bancas de jornais exemplares que custem até R$ 10.

Coordenado pela Fundação Biblioteca Nacional, o programa prevê investimentos de R$ 36 milhões do Fundo Nacional de Cultura. Para Dilma, o projeto vai despertar nos brasileiros o interesse pela leitura.

– O livro, seja em papel ou digital, é um bem de todo brasileiro. Além das bibliotecas públicas, os brasileiros têm o direito de ter os seus livros para ler em casa.

Após a cerimônia, Dilma aproveitou para visitar alguns estandes da feira.

O ingresso para a Bienal deste ano custa R$ 12. Estudantes e maiores de 60 anos pagam meia-entrada. Professores e bibliotecários têm acesso gratuito. Mas, para isso, o visitante deve se cadastrar no site do evento e levar um documento de identificação e comprovante de profissão.

Espaços culturais

Os espaços mais visitados em outros anos têm lugar garantido na programação de 2011 do evento. O Café Literário, que comporta 200 pessoas, trará encontros que aproximam autor e leitor em conversas sobre livros, estilos e ideias.

O Mulher e Ponto promoverá bate-papos entre escritoras que retratam em suas obras os mais variados temas de interesses femininos.

O Livro em Cena promete dar vida a personagens marcantes de grandes clássicos da literatura. Os jovens leitores terão espaço garantido nas sessões de Encontro com Autores e na Conexão Jovem. Já as crianças terão a chance de divertir e aprender na Biblioteca Mirim e na Maré de Livros.

“Ai, como eu tô analfa”: Monique Evans esquece como se faz para escrever

0

Foto: Reprodução / Record

Publicado na Veja Online

Diante de uma folha de papel e com o lápis na mão, Monique Evans disse aos peões que não sabia mais escrever. A pérola foi dita durante a atividade em que os peões deveriam escrever bilhetes aos participantes que estão na roça. “Gente, estou tanto tempo aqui que não sei mais como se escreve”, disse a apresentadora. Como a proposta era que as mensagens tivessem autoria anônima, Monique não pode contar com a ajuda dos peões para soletrar palavras. Mesmo assim, arriscou algumas.

Go to Top