Canal Pavablog no Youtube

listas

Os 10 livros mais vendidos da Flip 2018

0

 

Hilda Hilst e Djamila Ribeiro estão no topo da lista de livros mais vendidos da Travessa, a livraria oficial

Maria Fernanda Rodrigues, na Folha de S.Paulo

Autora homenageada da 16.ª Festa Literária Internacional de Paraty, Hilda Hilst foi a best-seller na Livraria da Travessa, a loja oficial da Flip 2018.

Até as 16h45 deste domingo, último dia de festa, Júbilo, Memória e Noviciado da Paixão estava no topo da lista, com mais de 500 exemplares comercializados.

O livro de Hilda era seguido por O Que é o Lugar da Fala, de Djamila Ribeiro, e por O Sol na Cabeça, de Geovani Martins.

Entre os 10 best-sellers está Bráulio Bessa, que autografou no evento, mas não estava na programação oficial.

A Companhia das Letras domina a lista, com 5 títulos, os outros foram publicados por editoras variadas – uma delas, a independente Malê.

Veja a lista dos 10 livros mais vendidos da Flip
Júbilo, Memória e Noviciado da Paixão, de Hilda Hilst (Companhia das Letras)
O Que é o Lugar da Fala?, de Djamila Ribeiro (Letramento
O Sol na Cabeça, de Geovani Martins (Companhia das Letras)
Canção de Ninar, de Leila Slimani (Tusquets/Planeta)
Quem Tem Medo do Feminismo Negro?, de Djamila Ribeiro (Companhia das Letras)
De Amor Tenho Vivido – 50 Poemas, de Hilda Hilst (Companhia das Letras)
Poesia Que Transforma, de Bráulio Bessa (Sextante)
Era Uma Vez Uma Mulher Que Tentou Matar o Bebê ad Vizinha, de Liudmila Petruchévskaia (Companhia das Letras)
Memórias de Porco-espinho, de Alain Mabanckou (Malê)
Caderno de Memórias Coloniais, de Isabela Figueiredo (Todavia)

6 Livros para ler em um único dia

0

Laura Coelho de Almeida, no Feededigno

Julho está quase chegando ao fim e com ele as férias. Você aí quer curtir os últimos dias livres lendo algum livro antes de voltar a rotina e não sabe como? A gente te ajuda! Que tal ler alguns livros maravilhosos e que podem ser lidos em um dia?

Confira abaixo a lista de livros com suas respectivas “mini resenhas”:

A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista (Jennifer E. Smith)

O livro em si já se passa em 24 horas e por mais que ele tenha 223 páginas a leitura flui muito rápido.

A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista vai contar a história de Hadley, uma menina que está indo para Londres para o casamento do pai, porém ela acaba perdendo o voo e fica presa no aeroporto. Lá, ela conhece o Oliver, um britânico que estuda nos Estados Unidos e que também está indo para Londres. Os dois acabam se conhecendo e conversando sobre tudo.

Por mais que o foco seja o romance entre os protagonistas, a relação de Hadley com o pai também recebe bastante destaque, bem como a história do motivo do Oliver estar indo para Londres.

Sinopse:

“Com certa atmosfera de ‘Um Dia’, mas voltado para o público jovem adulto, A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.”

Veja os detalhes da obra:

Título: A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista
Autor: Jennifer E. Smith
Editora: Galera Record
Número de Páginas: 223
Ano de Publicação: 2013

Outros Jeitos de Usar a Boca (Rupi Kaur)

Outros Jeitos de Usar a Boca é uma coletânea de poemas sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. É dividido em quatro partes: A Dor, O Amor, A Ruptura e A Cura. Em cada parte a autora reúne poemas (e ilustrações) de um mesmo tema e nos apresenta histórias de luto, perda, estupro, repressão, tesão, amor, traição, término, perdão e recomeço.

Sinopse:

“Outros jeitos de usar a boca é um livro de poemas sobre a sobrevivência. Sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. Lida com um tipo diferente de dor. Cura uma mágoa diferente. Outros jeitos de usar a boca transporta o leitor por uma jornada pelos momentos mais amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles. Publicado inicialmente de forma independente por Rupi Kaur, poeta, artista plástica e performer canadense nascida na Índia – e que também assina as ilustrações presentes neste volume –, o livro se tornou o maior fenômeno do gênero nos últimos anos nos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de exemplares vendidos.”

Título: Outros Jeitos de Usar a Boca
Autor: Rupi Kaur
Editora: Planeta
Número de Páginas: 208
Ano de Publicação: 2017

O Garoto dos Meus Sonhos (Lucy Keating)

O Garoto dos Meus Sonhos conta a história de Alice, uma garota que sempre sonhou com o mesmo garoto, Max, durante a vida toda. Quando ela se muda com o pai para uma nova cidade Alice vê, surpreendentemente, na vida real, o garoto dos seus sonhos. Porém, o Max real não a reconhece e é muito diferente do Max dos sonhos. E apesar do livro ter 264 páginas, a leitura flui muito rápido, pois o leitor fica preso na história querendo saber o que irá acontecer a cada passo de Alice e Max.

Sinopse:

“Desde quando consegue se lembrar, Alice tem sonhado com Max. Juntos eles viajaram o mundo, passearam em elefantes cor-de-rosa, fizeram guerra de biscoitos no Metropolitan Museum of Art… e acabaram se apaixonando. Max é o garoto dos sonhos – e somente dos sonhos – até o dia em que Alice o vê, surpreendentemente, na vida real. Mas ele não faz ideia de quem ela é… Ou faz? Enquanto começam a se conhecer, Alice percebe que o Max dos Sonhos em nada se parece com o Max Real. Ele é complicado e teimoso, além de ter uma namorada e uma vida inteira da qual Alice não faz parte. Quando coisas fantásticas dos sonhos começam estranhamente a aparecer na vida real – como pavões gigantes que falam, folhas de outono cor-de-rosa incandescente, e constelações de estrelas coloridas –, Alice e Max precisam tomar a difícil decisão de fazer isso tudo parar. Mesmo que os sonhos sejam mais encantadores que a realidade, seria realmente bom viver neles para sempre?”

Título: O Garoto dos Meus Sonhos
Autor: Lucy Keating
Editora: Globo Alt
Número de Páginas: 264
Ano de Publicação: 2016

O Vilarejo (Raphael Montes)

O Vilarejo é um livro com sete contos de terror, do autor brasileiro Raphael Montes. Cada conto é fechado, porém se passam no mesmo vilarejo e em cada um mostra como cada demônio de cada um dos sete pecados capitais se manifesta nas pessoas, fazendo perceber o quanto um sentimento pode destruir tudo ao seu redor.

A leitura flui muito rápido por ser em formato de contos, porém pode ser que você tenha que largar o livro por uns minutinhos para superar o que você leu. O livro também conta com ilustrações maravilhosas e um tanto quanto bizarras!

Sinopse:

“Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome.

As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.”

Título: O Vilarejo
Autor: Raphael Montes
Editora: Suma de Letras
Número de Páginas: 109
Ano de Publicação: 2015

Nada (Janne Teller)

Neste livro, Janne Teller conta a história de Pierre Anthon, uma criança que constatou que nada na vida importa, que nada tem significado. Seus colegas de classe então decidem fazer uma “pilha de significados” para mostrar a Pierre que a vida tem significado. A pilha é composta de coisas que são importantes para cada umas das crianças, porém as coisas ficam complicadas quando eles decidem que outra pessoa deve escolher o que o outro irá colocar na pilha e tudo toma um rumo extremo.

Sinopse:

“‘Nada importa. Você começa a morrer no instante em que nasce.’ Pierre Anthon está no sétimo ano e tem a certeza de que nada na vida tem importância. Por isso, ele decide abandonar a sala de aula e passar os dias nos galhos de uma ameixeira, tentando convencer seus companheiros de classe a pensar do mesmo modo. Agora, diante da recusa do menino de descer da árvore, seus colegas farão uma pilha de objetos que significam muito para cada um deles, e com isso esperam persuadi-lo de que está errado.

A pilha começa com uma coleção de livros, uma vara de pescar, um hamster de estimação… Contudo, com o passar do tempo, os participantes se desafiam a abrir mão de coisas ainda mais especiais. A pilha de significados logo se transforma em algo macabro e doentio, que coloca em xeque a fé e a inocência da juventude.”

Título: Nada
Autor: Janne Teller
Editora: Record
Número de Páginas: 128
Ano de Publicação: 2013

A Hora do Lobisomem (Stephen King)

Neste clássico de Stephen King com uma nova edição e com uma belíssima capa dura em alto relevo, temos também uma história rápida e ao mesmo tempo cativante. O mestre da literatura consegue nos prender com sua escrita de forma que a devoremos com a ferocidade de um lobisomem.

Sinopse:

“O primeiro grito veio de um trabalhador da ferrovia isolado pela neve, enquanto as presas do monstro dilaceravam sua garganta. No mês seguinte, um grito de êxtase e agonia vem de uma mulher atacada no próprio quarto.
Agora, a cada vez que a lua cheia brilha sobre a cidade de Tarker’s Mill, surgem novas cenas de terror inimaginável. Quem será o próximo?

Quando a lua cresce no céu, um terror paralisante toma os moradores da cidade. Uivos quase humanos ecoam no vento. E por todo lado as pegadas de um monstro cuja fome nunca é saciada.

Um clássico de Stephen King, com as ilustrações originais de Bernie Wrightson”

Título: A Hora do Lobisomem
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Número de Páginas: 152
Ano de Publicação: 2017

As dicas de livros africanos de Barack Obama

0

Barack Obama participa de homenagem à Nelson Mandela na África do Sul

Ex-presidente americano recomendou títulos de Chimamanda Ngozi Adichie e Nelson Mandela em post no Facebook

Camilo Rocha, no Nexo

O ex-presidente americano Barack Obama, que esteve no cargo entre 2009 e 2017, mantém há anos o costume de divulgar uma lista de recomendações de leitura.

Este ano, Obama aproveitou que iria viajar para o continente africano para oferecer uma seleção focada em autores africanos. A viagem inclui passagens pelo Quênia, terra do pai de Obama e à África do Sul, onde discursará em uma festa em homenagem aos 100 anos do nascimento de Nelson Mandela.

“Através dos anos, frequentemente me inspirei na tradição literária extraordinária da África”, escreveu Obama em um post no Facebook. Segundo ele, suas sugestões incluem vários dos melhores escritores e pensadores da África, “cada um dos quais ilumina nosso mundo de maneiras poderosas e únicas”.

Além dos cinco títulos de escritores da África, o ex-presidente incluiu na lista também “The world as it is”, de seu conselheiro e ex-membro de gabinete Ben Rhodes, que, nas palavras de Obama, “consegue ver o mundo através dos meus olhos como poucos”.

“O mundo se despedaça”, de Chinua Achebe

Escrito em 1958, foi um dos primeiros títulos de literatura africana em inglês a obter reconhecimento internacional. A história mostra a sociedade nigeriana lidando com a chegada dos primeiros europeus, no fim do século 19. Considerado o livro maior do escritor nigeriano Chinua Achebe, já vendeu mais de 20 milhões de cópias em todo o mundo. “Uma obra-prima que inspirou gerações de escritores na Nigéria, pela África, e por todo o mundo”, escreveu Obama.

“Um grão de trigo”, de Ngũgĩwa Thiong’o

“Uma crônica dos eventos que antecederam a independência do Quênia e uma estimulante história de como fatos transformadores da história influenciam em vidas individuais e relacionamentos”, comentou o ex-presidente sobre o livro de 1967 do queniano Thiong’o. O autor, que chegou a ser preso em 1977 no Quênia, por causa de uma peça teatral, era um dos cotados para o Nobel de Literatura de 2017.

“Longa caminhada até a liberdade”, de Nelson Mandela

A biografia do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela traça a história, “épica” nas palavras de Obama, desde a infância em uma vila do interior até a presidência, passando por seus 27 anos na cadeia. Publicado em 1994, o livro é “leitura essencial para qualquer um que queira entender a história – e depois partir para mudá-la”.

“Americanah”, de Chimamanda Ngozi Adichie

Adichie é chamada por Obama de “uma das grandes escritoras contemporâneas do mundo”. Este livro de 2014 da escritora nigeriana usa a história de dois personagens que têm de viver no exterior para discutir “questões universais de raça e pertencimento”. Segundo a autora declarou ao The Guardian em 2013, o livro “é sobre amor. Quis escrever uma história de amor à moda antiga assumida. Mas é também sobre raça e como nos reinventamos”. O romance foi eleito pelo jornal The New York Times como um dos dez melhores daquele ano.

“The Return” (O retorno, em tradução livre), de Hisham Matar

A obra de 2016 do escritor líbio-britânico trata de seu retorno à Líbia para investigar o desaparecimento em 1990 de seu pai, opositor do regime de Muammar Gaddafi. Para Obama, a escrita de Matar “habilidosamente equilibra um gracioso guia pela história recente da Líbia com a missão obstinada do autor”.

Conheça destinos turísticos famosos da literatura

0

Publicado no Massa News

Ler é viajar. Mas que tal viajar de fato para lugares que servem de cenário para importantes obras da literatura mundial? Amantes dos livros e de turismo podem ficar bastante motivados a conhecer os locais que inspiraram seus autores favoritos quando a leitura termina. Por isso, selecionamos alguns destinos imperdíveis para amantes de literatura que não só querem conhecer mais sobre suas histórias preferidas, mas também aproveitar cidades turísticas e tudo o que elas têm para oferecer.

Como alguns destinos são internacionais, é preciso planejar a viagem com antecedência, principalmente na hora de procurar por passagens aéreas. Uma forma de conseguir bons preços é emitir passagens por meio de programa de fidelidade, o que gera boa economia.

La Mancha, Espanha (“Dom Quixote”, Miguel de Cervantes)

“Dom Quixote” é um clássico de Miguel de Cervantes, escrito no início do século XVII, que conta a história de um anti-herói: um pequeno fidalgo castelhano que enlouquece após ler muitos romances de cavalaria. O livro se passa na região de La Mancha, um semi-árido na Espanha central, caracterizado por sua vegetação ressequida e inúmeras colinas. A icônica cena de Dom Quixote lutando contra moinhos de ventos, em delírio, torna-se real numa visita à região, especialmente aos locais que mantêm moinhos medievais, como a “Ruta de Don Quijote” – percurso feito pelo personagem -, o Campo de Criptana e Consuegra.

Kyoto, Japão (“Memórias de uma gueixa”, Arthur Golden)

A obra de Arthur Golden “Memórias de uma gueixa”, publicada em 1997, inspirou o filme homônimo de grande sucesso, mas sua história também tem inspirado uma série de turistas curiosos pela cidade de Kyoto, onde se passa o enredo. Kyoto é sinônimo do passado e da cultura japonesa e nos remete diretamente ao livro. São milhares de templos budistas, 400 santuários e diversos monumentos tombados como Patrimônio da Humanidade. No distrito de Gion, é possível visitar as casas de chá na rua Hanamikoji, onde se desenvolve uma parte da vida de Sayuri, personagem principal do romance.

Ilhéus, Bahia (“Gabriela, cravo e canela”, Jorge Amado)

A história de “Gabriela, cravo e canela”, de Jorge Amado, tem como cenário a super turística cidade de Ilhéus. Publicado em 1958, é um dos mais célebres romances da literatura nacional e tem os acontecimentos sociais e políticos da cidade como fios condutores do enredo. Em Ilhéus é possível conhecer praias e toda a beleza natural da cidade, além de visitar fazendas de cacau para degustação e o lendário cabaré Bataclan.

Moscou, Rússia (“Guerra e paz”, Leon Tolstói)

“Guerra e paz”, de Leon Tolstói, se passa durante a campanha de Napoleão Bonaparte pela invasão da Rússia até a retirada do exército francês do país. A obra é composta por quatro longos livros e é ambientada em diversas cidades russas. O destaque vai para Moscou onde está localizado o Kremlin, um complexo fortificado que seria o principal alvo de Napoleão. Na capital também é possível conhecer outros cenários do livro, como a Academia Militar e o Museu da Batalha de Borodino. Em São Petersburgo, a obra nos leva a visitar o Cemitério Piskaryovskoye, a Fortaleza de Pedro e Paulo e o Museu Hermitage, todos parte da mesma história.

Estocolmo, Suécia (“Millennium”, Stieg Larsson)

A trilogia “Millenium”, de Stieg Larsson, conquistou grande sucesso mundial e seu primeiro livro chegou aos cinemas com o filme “Os homens que não amavam as mulheres”. A história acontece na lindíssima cidade de Estocolmo, na Suécia, onde os personagens Mikael Blomkvist e Lisbeth Salander fazem de tudo para desvendar crimes contra mulheres. O turismo por lá se especializou tanto em virtude da obra de Larsson que o Museu da Cidade de Estocolmo oferece a Millennium Tour, passando pelos principais cenários do livro.

Rio Grande do Sul (“O tempo e o vento”, Érico Veríssimo)

A história da criação do Rio Grande do Sul é o enredo principal de “O tempo e o vento”, de Érico Veríssimo, que narra as vidas das famílias Terra, Cambará, Caré e Amaral. Ambientada na fictícia cidade de Santa Fé, a obra mistura ficção com dados históricos e acaba servindo como um convite para conhecer terras gaúchas. Qualquer destino rio-grandense que remeta às tradições locais faz lembrar a história de “O tempo e o vento”.

Florença e Ravena, Itália (“A divina comédia”, Dante Alighieri)

Dante Alighieri lançou “A divina comédia” entre 1304 e 1321, em pleno período medieval. Séculos depois, a obra continua sendo referência para a literatura mundial. Embora a jornada do personagem principal percorra o céu e o inferno, muito das referências do autor partem das cidades em que ele viveu, especialmente Florença e Ravena, na Itália. Em Florença, Dante viveu a maior parte de sua vida e é uma das cidades italianas mais procuradas pelos turistas atraídos por sua arte, catedral e museus. Ravena preserva suas características medievais e é onde Dante escreveu a maior parte da “Divina comédia”.

Departamento de Magdalena, Colômbia (“Cem anos de solidão”, Gabriel García Marquez)

Vencedor do Nobel de literatura, Gabriel García Márquez ambientou “Cem anos de solidão” na fictícia cidade de Macondo. Porém, a inspiração foi o Departamento de Magdalena, uma região no norte da Colômbia conhecida pelas cidades de Aracataca e Cartagena. García Marquez nasceu em Aracataca e a cidade tornou-se um bom destino turístico, graças a seus ótimos restaurantes, hotéis e atrativos, como prática de atividades de lazer, mergulho e esportes aquáticos. Já Cartagena, além de histórica, é praiana e está em constante clima de festa.

10 novelas e minisséries inspiradas em livros

0

Maria Cecília Costa, na Superinteressante

Aristóteles já dizia, em Poética, que a mimese, a representação da realidade por meio da arte, era uma das melhores formas de estimular o pensamento crítico do ser humano. Na Idade Média, poucos eram os que sabiam ler e, mesmo assim, só podiam ler os livros permitidos por quem estava no poder. Sabia-se o potencial que o acesso a determinadas obras tinha de criar questionamentos pouco convenientes aos poderosos.

Com o passar dos séculos, a leitura finalmente se democratizou. A literatura, por sua vez, não se deteve a continuar apenas em páginas de livros e tornou-se base para produções culturais nas mais variadas mídias. Na dissertação Literatura em televisão: uma história das adaptações de textos literários para programas de TV (Unicamp, 1995), Hélio de Seixas Guimarães ressalta a importância de obras da literatura nacional na produção de telenovelas e minissérie, e afirma que mais de um terço das 600 telenovelas brasileiras se basearam em obras literárias.

A seguir, algumas das novelas e minisséries brasileiras mais recentes inspiradas em obras literárias nas últimas décadas:

1) Orgulho e Paixão (2018)

(Divulgação/TV Globo)

Exibida atualmente, a novela é baseada em diversos livros da obra da romancista inglesa Jane Austen, incluindo o mais famoso deles, Orgulho e Preconceito. No entanto, também é possível ver semelhanças de enredo com Mulherzinhas, da estadunidense Louisa May Alcott. A novela, ambientada no auge do comércio de café, conta como cinco irmãs lidam com as normas e papéis de gênero no tempo em que vivem.

2) Dois Irmãos (2017)

(Divulgação/TV Globo)

Uma das mais recentes desta lista, a minissérie é baseada no romance Dois Irmãos, do escritor amazonense Milton Hatoum. A história é ambientada em Manaus, em meados do século 20, e gira em torno da relação destrutiva de Omar e Yaqub, gêmeos com ascendência libanesa, e seu impacto na vida familiar.

Assim como Capitu e A Pedra do Reino (2007), Dois Irmãos faz parte do Projeto Quadrante, liderado pelo diretor de arte Luiz Fernando Carvalho, que visa levar clássicos literários brasileiros para a televisão aberta.

3) Totalmente Demais (2016)

(Ellen Soares/Gshow/Divulgação)

Apesar de a relação entre as duas obras não ter sido muito explorada na divulgação, Totalmente Demais é uma adaptação para os dias atuais da clássica peça de teatro Pigmaleão, de Bernard Shaw. A trama básica é a de uma florista pobre – Eliza, em ambos os casos – sem maneiras rebuscadas, que é abordada por um homem mais velho disposto a transformá-la em uma dama da alta sociedade.

No meio do caminho, no entanto, o homem se apaixona pela moça já “transformada” e, mesmo com uma tensão entre os dois, a mulher o rejeita e prefere ficar com outro rapaz. A peça, por sua vez, é inspirada no mito grego do escultor Pigmaleão, que, ao esculpir uma mulher no mármore, se apaixonou pela estátua que ele mesmo produziu.

4) Verdades Secretas (2015)

(Felipe Monteiro/Gshow/Divulgação)

Provavelmente seria polêmico demais divulgar Verdades Secretas, uma novela das onze, e dizer que ela é uma livre adaptação da obra Lolita, do escritor russo Vladimir Nabokov, que é narrado por um pedófilo em julgamento.

No entanto, é fácil perceber as similaridades entre as obras: um homem mais velho fica obcecado por uma adolescente – ou criança, no caso do livro – e é extremamente abusivo, chegando ao ponto de se casar com a mãe da menina para poder observá-la. Lolita e Angel, ainda que sejam personagens bem diferentes, têm 12 e 16 anos em suas tramas.

5) Gabriela (2012)

(Alex Carvalho/ TV Globo/Divulgação)

Jorge Amado é um dos autores com o maior número de obras adaptadas para a televisão: as novelas Tieta (1989) e Porto dos Milagres (2001), além da minissérie Dona Flor e Seus Dois Maridos são alguns dos produtos inspirados em suas obras.

Porém, foi a adaptação de Gabriela, Cravo e Canela (1958) que se tornou mais emblemática ao longo dos anos. Foi base para três produções em 1961, 1975 e 2012.

6) Capitu (2008)

(Divulgação/TV Globo)

A minissérie de 2008 é baseada em Dom Casmurro, de Machado de Assis, seguindo fielmente a talvez mais célebre obra machadiana. A trama conta a história de Bento e Capitu, um casal que se conhece e se apaixona na adolescência, mas vê seu amor ser coberto pelas desconfianças e paranoias de Bento, que passa a acreditar que Capitu o traiu com Escobar, seu melhor amigo. Com uma direção de arte maravilhosa, a minissérie tem uma das cenas finais mais lindas da televisão.

7) Queridos Amigos (2008)

(Márcio de Souza / TV Globo/Divulgação)

Baseada em Aos Meus Amigos, de Maria Adelaide Amaral, a minissérie conta a história de um grupo de amigos que se conhece no auge da ditadura militar brasileira. Após ficarem anos distantes, Léo, o maior elo entre todos, resolve reaver as relações entre seus amigos enquanto prepara seu suicídio.

8) Ciranda de Pedra (2008)

(Miguel Júnior / TV Globo/Divulgação)

Ciranda de Pedra, romance da escritora paulista Lygia Fagundes Telles, teve duas versões como telenovela, uma em 1981 e outra em 2008. A novela conta a história de uma família de elite de São Paulo em 1958. Laura, a mãe, tem alterações bruscas de humor e é infeliz no casamento. As obras, intimistas, focam em aspectos psicológicos dos personagens, ainda que, na televisão, tenham sido feitas mudanças no enredo original para manter a audiência.

9) A Casa das Sete Mulheres (2003)

(Divulgação/TV Globo)

Ambientada durante a Guerra dos Farrapos, no Rio Grande do Sul, a trama é baseada no livro de mesmo nome da autora gaúcha Letícia Wierzchowski, publicado no ano anterior à exibição da minissérie. Misturando personagens reais e ficcionais, a obra conta a história do grupo de mulheres ligado à liderança farroupilha que vive enclausurado em uma casa durante a Guerra. Assim como em outros casos, a minissérie também teve que sofrer alterações em relação ao livro para manter o interesse do público.

10) Os Maias (2001)

(Divulgação/TV Globo)

Livremente baseada na obra homônima do escritor português Eça de Queirós, a minissérie contava a história da decadência da aristocracia portuguesa pela visão da família Maia. Na trama, uma série de desventuras amorosas, após anos, resulta em um relacionamento entre irmãos. Bastante elogiada, a obra é tida como uma das maiores em influência da teledramaturgia brasileira.

Go to Top