Canal Pavablog no Youtube

livros

Livro reúne fotos de Hitler feitas em 3D

0
Propaganda do regime do ditador usou técnica desde 1936
 
Publicado originalmente na Band
 

Mulher vê imagens do livro "A face da ditadura: o II Reich em fotos 3D" / John Macdougall AFP

Um livro reunindo fotografias de Hitler em 3D, procedimento utilizado na época pela propaganda nazista, foi apresentada nesta sexta-feira, dia 16, na Alemanha.

Em “A face da ditadura: o III Reich em fotos 3D”, o historiador e jornalista Ralf Georg Reuth apresenta uma centena de imagens do ditador, de soldados nazistas, ou de eventos marcantes da época.

A obra é fornecida com óculos 3D. O autor pesquisou os arquivos da Biblioteca Nacional de Munique, onde estão 6.966 fotos em três dimensões do fotógrafo pessoal de Hitler, Heinrich Hoffmann.

Hoffmann elaborou seu primeiro álbum de imagens em 3D em ocasião dos Jogos Olímpicos de Munique-1936.

Na introdução, o jornalista, autor de várias biografias de lideranças nazistas, ressalta até que ponto a fotografia servia para a propaganda do III Reich.

“As primeiros imagens 3D dos nazistas surgiram em 1936, e isso durou pelo tempo que havia vitórias a celebrar”, comenta. Vinte álbuns foram comercializados entre 1936 e 1942.

“A anexação da Áustria e as jornadas do partido estão entre as obras mais vendidas”, segundo Ralf Georg Reuth.

O museu de história em quadrinhos da China

0

Via Nerd e Geek

Complexo de edifícios na cidade de Hangzhou terá forma de balões e apresentará atrações interativas aos visitantes.

A cidade de Hangzhou, na China, ganhará uma construção no mínimo inusitada. Os oito edifícios interligados que terão as formas de balões de quadrinhos abrigarão o “China Comic and Animation Museum”, um museu dedicado às histórias em quadrinhos e animações de todo o mundo.

O exótico complexo de 32 quilômetros quadrados contará com cinemas, exposições interativas, bibliotecas de quadrinhos e muitas outras atrações. Acompanhe o tour virtual abaixo para saber todos os detalhes:

 

 

Se você está pensando em ir até lá agora para conferir, guarde seu dinheiro: as construções do museu só começarão em 2012 e a empresa responsável pela ideia, a MVRDV, não deu data de conclusão das obras.

Rede de livrarias Border’s fecha as portas neste domingo

0
Fachada da livraria Borders nos Estados UnidosFachada da livraria Borders nos Estados Unidos (Jeff Kowalsky/Bloomberg via Getty Images)

Publicado na Veja Online

A Border’s, que já foi uma das maiores redes de livrarias do mundo, fecha neste domingo suas últimas 31 lojas, todas nos Estados Unidos. Fundada em 1971 por um casal de estudantes da Universidade de Michigan, a empresa chegou a ter 1200 livrarias, com filiais na Grã Bretanha, na Austrália e em Singapura. Sua incapacidade de criar uma estratégia para lidar com o crescimento do e-commerce, no entanto, acabou por levá-la à falência.

Segundo declarou à imprensa americana Mike Edwards, o último presidente da companhia,  a decisão de expandir continuamente o número de pontos de venda físicos sem o desenvolvimento paralelo de uma estratégia online mostrou-se fatal. Até 2008, a Border’s delegou à Amazon – uma de suas maiores concorrentes – a tarefa de representá-la nas vendas pela internet.

Apesar do fim da empresa, a marca Border’s pode voltar a ser usada no comércio. Ela foi vendida na quarta-feira juntamente com outros bens da companhia, num leilão que arrecadou cerca de 16 milhões de dólares.

A maior rede de livrarias dos Estados Unidos é hoje a Barnes & Noble, com 717 lojas em operação. Mas a maior varejista americana de livros é mesmo a Amazon, líder nas vendas tanto de livros em papel quanto de e-books.

Como saber a hora da primeira vez

0
A primeira vez delas: em tese, as meninas começam a amadurecer o suficiente para lidar com a primeira relação sexual entre os 14 e 15 anosA primeira vez delas: em tese, as meninas começam a amadurecer o suficiente para lidar com a primeira relação sexual entre os 14 e 15 anos (Thinkstock)

Aretha Yarak, na Veja Online

A escritora Thalita Rebouças é um fenômeno editorial. A venda de seus livros já ultrapassa mais de um milhão de exemplares. Muito do seu sucesso deve-se ao livro Era Uma Vez Minha Primeira Vez, no qual descreve os dilemas que se apoderam das adolescentes sobre a hora certa de ter a primeira relação sexual — um momento naturalmente permeado de dúvidas. Alçada à condição de guru entre as meninas, recebe mais de 100 e-mails por dia. Cerca de 20% deles são para conversar sobre o início da vida sexual. “A principal dúvida delas é saber se eu acho que elas estão prontas ou não”, diz a autora. Thalita reconhece que não está apta a opinar em uma questão tão pessoal e importante. “Não dou esse tipo de conselho, pois não conheço as meninas. Sempre peço que elas conversem com alguém do universo delas, como os pais”, afirma, com razão. Em tempos onde o sexo é tema recorrente até em propagandas de sabonete, o papel orientador dos pais faz-se cada vez mais necessário. Não basta ter um corpo maduro para entregar-se à primeira relação, especialistas alertam, é preciso esperar também pelo amadurecimento psicológico, tão ou até mais importante nesse caso.

As perguntas que chegam a Thalita são feitas por uma maioria esmagadora de meninas entre 13 e 16 anos, curiosas ainda sobre o uso da camisinha ou se é preciso estar namorando para perder a virgindade. As protagonistas do livro têm entre 15 e 19 anos, quando perdem a virgindade. A autora é enfática ao afirmar que a infância não deve ser encurtada. “Meninas de oito anos já me procuraram dizendo que leram meu livro. Fico chocada. É muito cedo para elas. Digo para esperarem até ficarem mais velhas”, diz Thalita.

De acordo com Alexandre Saadeh, psiquiatra especialista em sexualidade e professor da PUC-SP, não há uma idade padrão e indicada para o primeiro ato sexual. Em termos fisiológicos, no entanto, a garota estaria mais preparada acima dos 14 ou 15 anos. Biologicamente, é a menarca que determina o amadurecimento do organismo feminino. Com a primeira menstruação, o corpo da garota dá o sinal de que está pronto para a concepção – e, assim, para o sexo.

Uma coisa, no entanto, é o amadurecimento fisiológico do corpo, outra é o bom senso diante de uma questão tão importante, que pode determinar uma série de consequências no futuro da jovem. A legião de mães solteiras adolescentes pode atestar que uma garota nessa idade não tem condições de arcar emocionalmente com o peso do resultado quando algo sai errado. Uma gravidez, por exemplo, pode significar ter de adiar – ou até descartar – sonhos e projetos de uma faculdade, um intercâmbio no exterior, viagens, diversão com outros jovens da mesma idade.

Pílula não é tábua de salvação — Toda adolescente precisa saber que o início da vida sexual implica em uma série de cuidados obrigatórios com a saúde: a ida períódica ao ginecologista para a realização de exames como o papanicolau e a preocupação constante com as doenças sexualmente transmissíveis são alguns deles. Outra preocipação constante na rotina de quem está ativa sexualmente é contracepção. Por mais que logo após a primeira menstruação o organismo esteja apto para uma relação, os médicos recomendam que pílulas anticoncepcionais só comecem a ser usadas dois anos depois. Isso porque o eixo hipotálamo-hipofisário, estrutura cerebral responsável pela produção de diversos hormônios, entre eles o que regula os ovários, demora esses dois anos para estar completamente amadurecido, alerta Liliane Diefenthaeler Herter, presidente do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia Infanto-Puberal da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo).

O uso da pílula desperta ainda outros cuidados. De acordo com Maurício de Souza Lima, hebiatra (especialista em adolescentes) do departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da USP e médico do Hospital de Clínicas de São Paulo, algumas garotas tomam a pílula que a amiga está tomando, sem ter feito todos os exames clínicos e laboratoriais necessários para saber qual a melhor indicação. “É preciso descartar alguns fatores de risco, que só o médico pode fazer no consultório, como tendência familiar à trombose, problemas hepáticos e alterações na coagulação”, diz.

Além do uso da camisinha, é importante que a vacina contra o vírus do papiloma humano (HPV) seja tomada já a partir dos nove anos. A indicação precoce se deve aos riscos de transmissão do vírus mesmo sem que haja a penetração. “O HPV não é transmitido apenas na relação sexual completa, mas também durante as preliminares, com o toque da mão ou do corpo do parceiro”, diz o hebiatra Maurício de Souza Lima. Assim, como no início da descoberta sexual os jovens costumam apenas ‘brincar’, o risco de transmissão do vírus é alta.

Escolhas erradas — Segundo o psiquiatra Alexandre Saadeh, professor da PUC-SP, é fundamental que a garota tenha todas as informações básicas e uma boa orientação de alguém que confia antes de tomar a decisão. Ela precisa saber que os sinos podem não tocar. E em vez disso, ela poderá sangrar e sentir desconforto – nem sempre a primeira vez é prazerosa, se a garota não estiver relaxada e devidamente protegida. Outra coisa importante é ela estar segura para entender que as coisas podem mudar – e melhorar – conforme for ganhando confiança em si e no parceiro, conhecimento do próprio corpo, enfim… amadurecendo. Em resumo: amadurecimento é a palavra-chave para a qualidade e a saúde na vida sexual.

Timão ganha livro de luxo e especial em homenagem ao centenário

0

Publicado originalmente no Globo Esporte

Edições de 30 quilos e mais de 600 páginas terão preços variados entre R$ 6.500, R$ 9 mil e até R$ 15 mi

Ronaldo é um dos personagens do livro especial sobre o centenário do Timão (Foto: Divulgação)

Ronaldo é um dos personagens do livro especial sobre o centenário do Timão (Foto: Divulgação)

O Corinthians completou 101 anos de vida no último dia 1º de setembro, mas aquele torcedor mais fiel – e com dinheiro – poderá guardar um livro de luxo e especial em comemoração ao centenário alvinegro.

A Toriba Editora lança ainda neste mês 1.500 edições do Collector’s Book Nação Corinthians, que contará com depoimentos de corintianos ilustres, autógrafos de personalidades e imagens históricas do Timão. Mas os valores fogem dos padrões tradicionais já conhecidos pelos torcedores de futebol.

As dez primeiras edições (0002 a 0011) custarão R$ 15 mil e terão um acabamento especial, apresentadas em estojo de madeira e com capa em couro italiano, além de seis páginas com autógrafos de ídolos do Corinthians.

As versões de valor intermediário (até a edição 0100) custarão R$ 9 mil e terão revestimento em couro natural e apenas uma página autografada. Os exemplares mais baratos da coleção (da edição 0101 até a 1500) custarão R$ 6.500.

Livro de luxo em homenagem ao centenário do Timão terá 30 quilos e mais de 600 páginas

Livro de luxo em homenagem ao centenário do Timão terá 30 quilos e mais de 600 páginas

Go to Top