livros

Igreja russa pede debate sobre pedofilia em livros clássicos

0

Publicado originalmente no Terra

Vsevolod Chaplin, importante autoridade da igreja ortodoxa russa, pediu um debate sobre o suposto teor pedófilo em dois clássicos da literatura: Lolita, de Vladimir Nabokov, e Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Márquez.

“Temos que debater para determinar em que medida estas obras justificam a pedofilia. É um fato que no Ocidente houve um opinião muito negativa sobre elas, e depois mudou”, afirmou em entrevista à rádio Echo de Moscou. “Chegou o momento de uma revolução moral, ou uma contrarrevolução se você preferir”, disse.

O romance de Nabokov, que conta a obsessão de um homem com uma adolescente de 12 anos, provocou escândalo ao ser lançado em 1955. A obra do colombiano García Márquez aborda o tema do incesto.

Mas as declarações de Chaplin revoltaram os escritores russos. “Em seguida vamos verificar se na literatura, desde Homero até os grandes clássicos russos, há sinais de violência, pedofilia e outras coisas inaceitáveis”, comentou com ironia o historiador Nikolai Svanidze.

Boris Akunin afirmou que a igreja ortodoxa não deve interferir nos “temas seculares e literários”. Mikhail Chvydkoi, ex-ministro da Cultura, afirmou que uma resposta à proposta de Chaplin seria “prejudicial para a Rússia”.

A literatura clássica invade o mundo dos quadrinhos

0

Publicado originalmente em Nerd e Geek

Obras de Shakespeare e de Machado de Assis ganham quadrinização pela editora Nemo.

A editora Nemo está preparando seu arsenal para se apresentar na sétima edição do Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte – FIQ, que acontecerá em novembro. Lá, serão lançados quatro novos títulos feitos aqui no Brasil, adaptando para os quadrinhos três histórias clássicas de Shakespeare e uma de Machado de Assis.

Do autor brasileiro, a Nemo publicará “Dom Casmurro”, escrita por Wellington Srbek e desenhada por José Aguiar, dois grandes nomes dos quadrinhos nacionais da atualidade. As 88 páginas em preto e branco recontarão a clássica história do introvertido Bento Santiago e seu grande amor, Capitu.

Já do autor inglês, a editora recontará, em quadrinhos, os clássicos “Romeu e Julieta” (por Marcela Godoy e Roberta Pares), “Sonho de uma noite de verão” (por Lillo Parra e Wanderson de Souza) e “Otelo” (por Jozz e Akira Sanoki). Confira o preview abaixo com uma página de cada publicação:

Os três títulos do dramaturgo inglês são apenas os primeiros da “Coleção Shakespeare”, com 64 páginas coloridas para cada edição, em que a editora adaptará para a nona arte as grandes obras que atravessam o tempo, sempre através do talento de autores brasileiros de quadrinhos. Até a FIQ, muito mais novidades podem ser divulgadas.

n

 

Roubaram a “Bicicloteca” que emprestava livros para moradores de rua

0

Publicado originalmente no Jornal Floripa

A bicicloteca –uma bicicleta equipada com um baú atrás com centenas de livro dentro– do ex-morador de rua Robson Mendonça, 60, foi roubada na última quarta-feira (21) na praça do Patriarca, no centro de São Paulo.

A biblioteca sob duas rodas era o sonho de Mendonça que virou realidade em julho deste ano. Por gostar de ler, e não poder pegar emprestados livros em bibliotecas públicas por não ter comprovante de endereço, ele idealizou a bicicloteca para emprestar livros aos moradores de rua.

Na semana passada, durante uma entrevista a uma emissora de TV sobre o seu trabalho, sua bicicloteca foi roubada. “Pedi para um morador de rua, que sempre retira livros comigo, olhar a bicicloteca enquanto eu ia ao banheiro. Quando eu voltei, ele não estava mais lá. Me falaram que ele tinha ido dar uma volta, que acharam que ele fosse meu amigo, mas ele nunca mais voltou”, conta Mendonça emocionado.

Todos os dias após o roubo, Mendonça percorre lugares que são frequentados por viciados em crack para tentar encontrar a bicicloteca. “Voltei ao local de onde me roubaram e perguntei se ele tinha voltado por lá. Me contaram que ele era viciado em crack e não tinha aparecido mais. Eu não sabia, achava que era só cachaça.”

A procura de Mendonça foi registrada em vídeo –onde ele deixa seus contatos– para ajudar na recuperação da bicicleta que tinha cerca de 200 livros –todos doados. No baú, títulos de Truman Capote, Lima Barreto, Graciliano Ramos, entre outros.

“Nem é pelo dinheiro, é pelo valor do trabalho com a comunidade. Todo mundo já conhecia, o pessoal chegava a retirar uns 100 livros por dia, depois todos devolviam e pegavam outros”, afirma.

Mendonça perdeu a mulher e dois filhos em um acidente. Essa foi uma das causas que o levou para a rua, onde permaneceu por seis anos, até 2003.

Hoje, ele dirige uma ONG para pessoas das ruas, o Movimento Estadual da População em Situação de Rua.

Amor, perdas e mitos

0

Publicado originalmente no Blog do Aldo

Natália acaba de perder o avô, levado por uma morte misteriosa. A jovem médica recebe a notícia durante uma missão de paz na península balcânica, cenário das histórias que ele lhe contava. Mas Natália percebe que o mundo de fantasias criado por seu avô é muito mais real do que ela jamais poderia imaginar e sua missão de paz acaba se tornando uma jornada por pistas e respostas que a ajudem a desvendar o mistério da sua recente perda.

A Noiva do Tigre” é o romance de estreia da jovem Téa Obreht e chega ao Brasil pela Editora Leya. Vencedor do Orange Prize 2011, o livro retrata temas como amor, perda e mitos por meio da sensibilidade da jovem Natália.

Percorrendo os lugares mágicos, a médica descobre um lugar cercado de mitos, segredos e superstições e precisa desvendá-los para salvar as crianças da vila onde está cumprindo a missão. Mas no decorrer da jornada, acaba descobrindo sozinha que o avô guardou as melhores histórias para si mesmo. Durante um rigoroso inverno na época da Segunda Guerra Mundial, a vila onde ele morava foi isolada pela neve, protegida dos invasores alemães, mas ameaçada por uma presença feroz, um tigre, que mudou a vida de todos os habitantes do local.

Entre andarilhos imortais, cenários fantásticos e uma realidade que Natália sempre acreditou ser ficção, Téa Obreht se mostra uma das mais inovadoras escritoras de sua geração e presenteia os leitores com um romance de estreia marcante.

Estantes Criativas (4)

0

Publicado originalmente no Design Blog

Go to Top