Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged 2015

Animação de “O Pequeno Príncipe” chega aos cinemas em 2015 e o trailer já é emocionante

1

Publicado por Hypeness

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.” A famosa frase é do livro O Pequeno Príncipe, do francês Antoine de Sanint-Exupéry, uma das obras mais vendidas em todo o mundo e que, até o fim de 2015, será lançada em forma de animação. A adaptação será dirigida por Mark Osborne, diretor de do longa animado “Kung Fu Panda” e traz vozes de famosos como James Franco (raposa), Marion Corillard (a rosa) e Benicio Del Toro (a cobra).

O trailer do filme, liberado esta semana pela Paramount Pictures, traz como trilha sonora o belíssimo cover de Lily Allen da música Somewhere Only We Know e é em francês, sem legendas. Para quem não entender o que é dito durante os 1 minuto e 26 segundos de vídeo, a gente dá uma mãozinha no final.

Confira o vídeo:

Trailer Le Petit Prince

Segue o diálogo em tradução livre:

Piloto: Oh! Oh! Eu estou aqui em cima! Boa noite!

Menina: Era uma vez em que um pequeno príncipe… que precisava de um amigo?

Piloto: Eu viajei para quase todos os lugares do mundo, até que um milagre aconteceu…

Pequeno Príncipe: Por favor, desenhe para mim uma ovelha

Piloto: Eu sempre quis encontrar alguém com quem eu pudesse compartilhar minha história, mas eu acho que o mundo se tornou adulto demais. (…) Este é apenas o começo da história.

Lily Allen – Somewhere Only We Know (Keane)

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

Papel e Película: um livro para ler no hiato de ‘The Walking Dead’

0

‘The Walking Dead: A Queda do Governador – parte 2’ já está a venda

Cena da quinta temporada de 'The Walking Dead' (Foto: Divulgação)

Cena da quinta temporada de ‘The Walking Dead’ (Foto: Divulgação)

Sarah Mund, na Revista Monet

Os novos episódios da quinta temporada de ‘The Walking Dead‘ só retornam em fevereiro e a maioria dos fãs está se perguntando como lidar com toda essa ausência (eu pelo menos estou… rsrsrs). Aqui vai minha sugestão: ‘The Walking Dead: A Queda do Governador – parte dois’.

O quarto livro da série escrita por Robert Kirkman e Jay Bonansinga encerra a trajetória do Governador (papel de David Morrissey na TV). Com mais personagens e a história ligeiramente diferente da mostrada no seriado, o volume retoma a narrativa depois de Michone (Danai Gurira na atração) torturar o líder de Woodbury.

The Walking Dead: A Queda do Governador - parte dois (Foto: Divulgação)

The Walking Dead: A Queda do Governador – parte dois
(Foto: Divulgação)

Depois que ele se recupera dos ferimentos, Philip Blake retoma a liderança com mais sede de vingança que nunca e começa a arquitetar o plano para atacar o presídio. Embora esse momento já tenha ficado no passado na cronologia da atração, é interessante acompanhar os acontecimentos da perspectiva dos moradores da cidade.

Isso se dá principalmente através das experiências de Lilly Caul, que parte do medo e ódio para passar a apoiar as decisões do Governador, desde que possa permanecer em segurança no lugar que acostumou chamar de lar. Ainda mais agora, que ela luta não só por si mesma, mas também pelo seu bebê ainda no útero.

CONFIRA CENAS DOS EPISÓDIOS INÉDITOS DE ‘THE WALKING DEAD’:

Os 10 livros mais esperados de 2015

0

1

Jonatan Silva, na Contracapa

2014 está acabando e já dá para se preparar para as leituras do próximo ano.
Confira na Contracapa os 10 dez lançamentos mais esperados para 2015.

The Pale king – David Foster Wallace

O último livro do autor de Graça infinita deve chegar por aqui ainda no ano que
vem pela Companhia das Letras sob a tradução de Caetano Galindo. A obra é
inacabada e foi lançada em 2011, três anos após o suicídio de Wallace.

The Bleeding edge – Thomas Pynchon

Mais recente livro do misterioso escritor norte­americano, The Bleeding edge
teve os direitos comprados pela Companhia das Letras e deve ser traduzido por
Paulo Henriques Britto, responsável pela edição brasileira de O Arco­íris da
gravidade.

Building stories ­ Chris Ware

Lançada em 2012, a graphic novel de Ware é um dos projetos mais engenhos
da literatura contemporânea. Composta por diversos painéis com estruturas
narrativas, o obra permite diversos tipos de leitura.

The Zone of interest – Martin Amis

O livro chocou meio mundo por conta de seu enfoque menos trágico sobre o
holocausto e provocou o debate sobre a abordagem de Amis sobre o assunto.
A obra acabou sendo recusada por diversas editoras em todo o globo.

How to be both – Ali Smith

How to be both foi um dos finalistas do Man Booker Prize, que acabou ficando
com Richard Flanagan
, e deve chegar no Brasil pela Companhia das Letras já
em 2015. Considerado um dos melhores livros de 2014 lá fora, a obra é a
consolidação de Ali Smith como uma escritora de peso.

Purity – Jonathan Franzen

Programado para setembro, o sucessor de Liberdade (2011) tem a difícil
missão de conseguir o mesmo interesse e atenção de público e crítica. Franzen
é considerado um dos melhores romancistas norte­americanos da atualidade.

A Girl is a half­formed thing ­ Eimear McBride

Sob tradução de Denise Bootmann, o livro, um dos grandes sucessos editoriais
lá fora, promete fazer sucesso no Brasil também. O jornal britânico afirmou que
o livro já é um clássico moderno. A editora Biblioteca Azul será responsável pela
publicação.

Beautiful losers – Leonard Cohen

Cotado para sair em 2014, o segundo e derradeiro romance de Cohen – que
completou 80 anos – só deve chegar por aqui no que vem. Originalmente
publicado em 1966, o livro é fruto dos anos do autor em uma ilha grega. Os
direitos pertencem à Cosac Naify.

Funny Girl ­ Nick Hornby

Hornby é um dos melhores autores quando o assunto é universo pop. Seu
romance Alta fidelidade foi relançado no ano passado e mostrou que o escritor
está mais vivo que nunca. O livro deve sair pela Companhia das Letras.

Us -­ David Nicholls

Best­seller mundial com Um dia, Nicholls se transformou em coqueluche para
que gosta de romances mais simples mas não fazem questão do “água com
açúcar”. O livro deve sair pela editora Intrínseca, responsável pelos outros
lançamentos do autor por aqui.

1

Professor: saiba como estimular a leitura nos seus alunos em 2015

0

Descubra 3 métodos para incluir no seu planejamento de aulas que mudarão a percepção dos estudantes quanto à leitura

Fonte: Shutterstock Justificar a leitura falando sobre o amanhã apenas os desmotiva, aumentando as chances de eles preferirem procrastinar a abrir um livro

Fonte: Shutterstock

Publicado por Universia

Justificar a leitura falando sobre o amanhã apenas os desmotiva, aumentando as chances de eles preferirem procrastinar a abrir um livro

Segundo a última edição do estudo “Retratos da Leitura no Brasil”, o brasileiro lê, em média, 4 livros por ano, dos quais conclui apenas 2. Esta pesquisa, que analisou o período contido entre os meses de junho e julho de 2011, embora não tenha sido atualizada ainda, demonstra uma realidade perceptível atualmente nas escolas: são poucos os alunos que lêem porque gostam.

Diante deste cenário, como um professor poderia incentivar a leitura nos seus estudantes? Para responder esta pergunta, a Universia Brasil reuniu alguns conselhos que podem te ajudar a solucionar esta questão na sala de aula. Confira a seguir:

1 – Benefícios da leitura hoje
Uma maneira de mostrar como a leitura é benéfica e divertida é apresentando como o livro que vocês estão lendo pode ser relacionado com o momento que eles estão vivendo hoje. Esse método é eficaz porque crianças e adolescentes gostam de compreender os impactos que as atividades feitas em sala podem ter em suas vidas no presente e não em um futuro distante e incerto, como na universidade ou no trabalho. Deste modo, justificar a leitura falando sobre o amanhã apenas os desmotiva, aumentando as chances de eles preferirem procrastinar a abrir um livro.

Então, para que você possa criar um vínculo entre o presente e o livro, por que não perguntar sobre o que eles querem aprender ou discutir? A partir dessa conversa, você pode escolher o livro mais adequado a este tópico e propor atividades relacionadas com ele, como escrever um diário de leitura, montar uma apresentação de teatro ou até promover debates sobre questões que os preocupam e que são retratadas na obra.

2 – Não foque apenas nos livros
Embora as pessoas relacionem mais a leitura aos livros, é importante que sua aula não se limite a eles. Ou seja, utilize outros textos, ainda que sejam mais informais do que os clássicos da literatura, para mostrar que toda leitura é válida e deve ser valorizada. Você pode recorrer a uma variedade grande de veículos, como jornais, revistas, blogs e até mesmo músicas. O importante é que exista uma relação entre o conteúdo e o texto, de modo que a aplicação deste material leve os alunos a uma reflexão.

3 – Apresente leitores como exemplos a serem seguidos
Tendo em vista a média de leitura nacional, é comum que muitos pais não tenham também o hábito de ler, fato que pode influenciar a maneira como alguns estudantes lidam com os textos. Para reverter essa situação, mostre quais pessoas que eles admiram tem na leitura uma forma de entretenimento e conhecimento. Apresentando outros exemplos relevantes além dos pais, aumentam as chances de eles darem uma oportunidade para os livros que você levar para a sala de aula.

Flip 2015 acontece entre 1º e 5 de julho

0
Tenda dos Autores na Flip 2014 - Márcia Foletto / Agência O Globo

Tenda dos Autores na Flip 2014 – Márcia Foletto / Agência O Globo

Ainda sem confirmações para a edição, Casa Azul fará em dezembro debates e exposição sobre a memória de Paraty

Publicado em O Globo

RIO — A Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) de 2015 acontecerá entre 1º e 5 de julho. A Casa Azul confirmou as datas na manhã desta sexta-feira a informação, mas ainda não possui detalhes sobre a programação e quem será a personalidade homenageada.

De acordo com a Casa Azul, que gere o evento, a principal novidade de 2014 — a gratuidade do show de abertura e nos telões externos dos debates — continua para esta edição. Além disso, haverá um intercâmbio de residências literárias de tradutores do Brasil e do Reino Unido, que participarão também das mesas.

No mês que vem, um ciclo de debates e exibições curados por Paulo Werneck promoverão um resgate da memória oral de Paraty, de antes da construção da rodovia Rio-Santos. Entre 4 e 6 de dezembro, acadêmicos, locais e artistas se reunirão na Casa de Cultura de Paraty, no antigo Cinema da Matriz e ao ar livre no Centro Histórico da cidade para debater e expôr obras audiovisuais.

A Histórias e Ofícios do Território, que vai até março, inaugura também o Museu do Território de Paraty. Entre os debates, falarão o artista plástico Paulo Pasta e o sociólogo Carlos Alberto Dória.

Neste ano, a Flip teve uma programação excepcionalmente tardia por conta do cronograma da Copa do Mundo. O festival foi de 27 de julho e 3 de agosto, juntando cerca de 25 mil pessoas em Paraty.

Go to Top