Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged 2016

Nobel de Literatura será anunciado no dia 13 de outubro

0
bielorrussa Svetlana Alexievitch

bielorrussa Svetlana Alexievitch

Resultado sairá uma semana depois do calendário habitual

Publicado no Zero Hora

A Academia Sueca informou nesta sexta-feira que o anúncio do próximo vencedor do Nobel de Literatura acontecerá em 13 de outubro, uma semana depois do calendário habitual. Em geral, o prêmio é anunciado na primeira quinta-feira de outubro, na mesma semana que as outras categorias da premiação criada pelo filantropo sueco Alfred Nobel. Mas, por razões de calendário, em 2016, o prêmio de Literatura será o último a ser concedido.

A lista começa com Medicina nesta segunda-feira, seguido por Química na terça, Física na quarta, o Nobel da Paz na sexta e Economia no dia 10.

– Não há sinal de divergência entre os acadêmicos. A razão é simples: nossos estatutos preveem quatro reuniões em quintas-feiras consecutivas a partir da penúltima quinta-feira de setembro antes de anunciar o premiado – disse à AFP o acadêmico Par Wastberg – É aritmético – completou, antes de concordar que isto “dá mais tempo para especular” sobre o vencedor.

A votação final para escolher entre os cinco últimos autores da lista de possíveis premiados acontece apenas na última reunião, poucas horas antes do anúncio oficial. Neste ano, mais uma vez, qualquer prognóstico é arriscado.

O japonês Haruki Murakami é o favorito dos leitores, mas outros nomes muito citados são os do poeta sírio Adonis e do romancista queniano Ngugi wa Thiong’o, assim como os americanos Don DeLillo, Philip Roth e Joyce Carol Oates. Outros nomes recordados incluem o britânico Salman Rushdie, o albanês Ismail Kadaré e o israelense David Grossman, assim como o tcheco naturalizado francês Milan Kundera e o dramaturgo norueguês Jon Fosse.

Em 2015, a bielorrussa Svetlana Alexievitch foi a premiada. No ano anterior o vencedor foi o francês Patrick Modiano.

Embora em queda, mercado editorial dá sinais de melhora

0
Visitantes desfrutam da instalação 'aMAZEme', um labirinto feito com livros no Southbank Centre em Londres, Inglaterra (Peter Macdiarmid/Getty Images)

Visitantes desfrutam da instalação ‘aMAZEme’, um labirinto feito com livros no Southbank Centre em Londres, Inglaterra (Peter Macdiarmid/Getty Images)

 

Em comparação a 2015, o período de junho a julho deste ano apresentou a segunda melhor variação do ano nos quesitos faturamento e volume de livros vendidos

Publicado na Veja

Embora ainda não possa festejar uma retomada, o mercado editorial começa a dar sinais de recuperação. Comparado com o mesmo período em 2015, o intervalo de 20 de junho a 17 de julho registrou um aumento de 2,78% no faturamento e uma retração de 5,51% no volume de livros vendidos. Trata-se da segunda melhor variação verificada neste ano, segundo pesquisa da Nielsen BookScan Brasil. Os dados foram apresentados no 7º Painel das Vendas de Livros do Brasil, uma co-iniciativa do Sindicato Nacional dos Editores de Livro (Snel) e da Nielsen.

Um dos principais motivos para a aparente melhora de agora é o fato de que, no mesmo período do ano passado, a venda dos livros de colorir para adultos, um verdadeiro fenômeno comercial de 2015, começava a arrefecer. A base comparativa, portanto, é menor do que a dos períodos anteriores a junho do ano passado.

O resultado também mostra o crescimento da importância do gênero “Não Ficção Especialista” dentro do mercado editorial, ao passo que a fatia dos livros de “Não Ficção Trade” sofreu queda percentual de 22,2%.

4 dicas para ler mais em 2016

0

noticia_108108

Administrar o nosso tempo para ler é tão importante, e difícil, quanto controlar as finanças pessoais, por isso separamos essas dicas

Filipe Morais, no Administradores

Ler ainda é o melhor aprendizado, mas a rotina atribulada impede muitas pessoas de devorarem os livros tanto quanto gostariam. Para quem colocou em sua lista de resoluções de ano novo a tarefa “ler mais”, uma boa meta é em torno de 10 a 15 livros. Entretanto, apesar de ser um hobby, a leitura requer disciplina. Veja algumas dicas para aproveitar melhor seu tempo lendo:

Organize a leitura

O método de leitura varia de acordo com a pessoa. Há quem leia o mesmo trecho mais de uma vez para absorver melhor a informação, ao mesmo tempo em que tem quem prefira grifar as partes mais importantes. Mas quem dedica 30 minutos diários a uma leitura comum consegue ler, em média, 20 páginas. Em um ano, são 7.300 páginas, que correspondem a 25 livros de 300 páginas, ou seja, dois livros por mês.

Divida o tempo entre dois livros

Especialistas dizem que dividir o tempo de leitura em dois livros, ainda que seja um capítulo de cada, exercita mais o cérebro. Portanto, manter dois livros de cabeceira, ou um em casa e outro na mochila, facilita a dinâmica e agrega intelectualmente.

Aproveite o tempo ocioso

Leia durante o trajeto do trabalho ou na volta para casa, no ônibus, metrô, táxi ou Uber. Também aproveite o horário de almoço para desconectar do trabalho por um momento, além de distrair, esta prática pode auxiliar seu próprio processo criativo. Outra boa oportunidade é ler durante a espera no consultório médico ou dentista.

Evite distrações

Ler antes de dormir é relaxante, mas é fundamental manter a TV desligada e o smartphone longe da cama para que a leitura não concorra com a Internet e as redes sociais. Outro aliado é o horário de verão, que permite aproveitar a luz natural depois do expediente com uma ida a um parque ou praça, lugares ótimos para a leitura.

Além do prazer da leitura, ela também é uma poderosa ferramenta para o desenvolvimento pessoal e profissional, para adquirir novas habilidades e incrementar a carreira e a performance no trabalho.

Concorrência por vaga no Sisu cai em 2016

0

Na edição deste ano, foram 23,1 candidatos por vaga, contra uma disputa de 26,4 concorrentes por vaga no ano passado

fuvest-20130106-018-original

Publicado em Veja

A concorrência no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) registrou queda em 2016. Enquanto em 2015 foram 26,4 candidatos para cada vaga, a edição deste ano teve 23,1 estudantes por vaga.

De acordo com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, em entrevista concedida na terça-feira (19), houve um crescimento de 10% no número de vagas em relação a 2015, e a tendência é a concorrência diminuir ao passar dos anos. No ano passado, o Sisu oferecia 205.514 vagas, número que chegou a 228.071 em 2016.]

De acordo com o ministério, outra questão que também pode ter contribuído para o número baixo de concorrentes é a ausência de treineiros na seleção de 2016, já que suas notas serão divulgadas em outro momento.

Cursos – O curso de medicina mais uma vez teve a maior concorrência, 52 candidatos por vaga, seguido por psicologia, com 49,4, e por educação física, com 42,4. Nesta edição, as mulheres formam a maior parte dos inscritos, 57,1%.

A Universidade Federal do Maranhão teve a maior concorrência entre todas as participantes do programa. Foram 56,3 candidatos por vaga. Em seguida, veio o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, com 42,8 concorrentes por vaga.

Em termos de inscrições, a Universidade Federal de Minas Gerais foi a primeira, com 195.634 candidatos. Em seguida, vem a Universidade Federal do Ceará, com 160.474.

Candidatos de até 22 anos de idade são 71,8% dos concorrentes às vagas. “O Sisu tem dado mais espaço para os concluintes do ensino médio”, disse o ministro. Os maiores de 45 anos chegam a 1,9% dos concorrentes.

Ao todo, 2.712.937 candidatos se inscreveram para 228.071 vagas em 131 instituições públicas de ensino superior. Os selecionados deverão fazer a matrícula nos dias 22, 25 e 26 de janeiro. “Não tem reserva de vaga. Quem não apresentar a documentação nesse prazo perde a vaga”, alertou Mercadante.

(Com Agência Brasil)

Quatro resoluções para ler mais em 2016

0
Woman reading in bed with book covering her face

Woman reading in bed with book covering her face

 

Jillian Capewell, no Brasil Post

Better, faster, stronger (melhor, mais rápido, mais forte): é a letra de uma música do Kanye West ou como você quer se sentir neste novo ano. É claro que você pode encarar essa empreitada com pessimismo. 1º de janeiro é só mais um dia no calendário, uma oportunidade como 364 outras para definir objetivos nada realistas. Mas as resoluções de ano novo têm um apelo inegável. (Mesmo que elas signifiquem que todas as esteiras da academia estarão ocupadas.) Além de uma carteira mais gorda e um abdome mais magro, muita gente também quer investir no cérebro, seja jogando mais Sudoku ou enfiando a cara num livro.

“Como você encontra tempo para ler?”, me perguntou um colega numa festa de fim de ano, depois de eu contar que tinha lido mais de 50 livros em 2015. É verdade, existem infinitas distrações nos afastando da leitura: amigos, emprego, Netflix, aplicativos de celular. Morar em Nova York aumenta bastante essa lista, mas também é um sonho para os bibliófilos: vários bares aconchegantes, bibliotecas, leituras públicas e livrarias independentes para todos os gostos – sempre termino o dia com um livro a mais na bolsa. Mas não estou aqui para ostentar e sim para te contar como você pode ler mais em 2016 — apesar das maratonas de série. (Ônibus e metrô ajudam muito.)

E não tem problema nenhum se seus objetivos não incluírem livros. Não estamos aqui para humilhar ninguém.

Vamos falar do que você pode fazer para ser um melhor leitor este ano – e não importa se seu objetivo é terminar um livro ou cem.

1. Anote o que você leu

Parte do motivo pelo qual cheguei a 57 livros em 2015 foi a comunidade Goodreads (que, devo mencionar, foi comprada pela Amazon. O site permite que os usuários definam um objetivo de leitura e cataloga tudo o que você leu. Ele até mesmo diz se você está no ritmo para atingir seu objetivo. Transformar a leitura num jogo e enxergar o progresso ao longo do ano dá motivação para continuar no caminho (e, melhor ainda, é uma maneira fácil de lembrar exatamente o que você leu).

2. Faça uma pré-seleção

Pense na imagem de TODOS OS LIVROS! É muito intimidador. Em vez de começar o ano com a esperança de ler “livros”, por que não tentar se concentrar em “ficção científica” ou “livros escritos por mulheres” só para ficar em algumas ideias? (Outras possibilidades: livros traduzidos! Primeiros livros de autores famosos! Não-ficção!) É uma abordagem prática se você já tem o hábito da leitura mas acha que caiu numa rotina – por exemplo, depois de perceber que minha lista de 2015 tinha muitos autores contemporâneos, meu plano é ler pelo menos 12 livros publicados até 1980.

3. Faça da leitura uma atividade social

Se você mora numa cidade de médio porte com uma biblioteca ou uma livraria, são boas as chances de que haja visitas de autores. Embora as visitas de autores famosos sejam mais raras, há muitos outros com públicos mais modestos que fazem turnês. Pesquise um autor que te intrigue e vá vê-lo ao vivo – na pior das hipóteses você saiu de casa e, na melhor, você encontrou um livro novo para levar para casa (e um autor que você vai poder dizer que conheceu lá atrás).

Muito se fala da importância dos amigos quando se trata de fazer exercício. Por que não aplicar a mesma ideia para a leitura? Mesmo que você e seu amigo estejam lendo livros diferentes, em ritmos diferentes, é sempre bom ter alguém para fazer recomendações e dar incentivo. Se ninguém parecer interessado, poste o que estiver lendo no Twitter ou no Instagram. É uma ótima maneira de se forçar a ler, em vez de tentar passar de fase no Candy Crush.

4. Seja realista

Se seu objetivo é ler um livro por semana, não se castigue se você não conseguir terminar tijolos como Graça Infinita ou Os Miseráveis. Isso não significa que você deveria se restringir a novelas. Ler só para se gabar dos números pode te fazer passar batido por detalhes importantes ou perder as nuances da linguagem, sem falar nos vários benefícios comprovados da leitura. Em vez disso, tenha em mente que seu objetivo, assim como sua idade, é apenas um número.

Go to Top