Personificação cinematográfica de Pennywise, o palhaço de It: a coisa, livro de Stephen King | © Frame do Filme

Idealizada por Cláudia Lemes, Aberst tem como objetivo unir escritores dos gêneros e divulgar seus trabalhos. Inscrições para associados estão abertas.

Publicado no Publishnews

Populares ao redor do mundo, as associações de romances de gênero surgiram para fazer com que suas histórias tivessem mais reconhecimento e uma maior valorização. Por aqui, acaba de nascer uma: a Associação Brasileira de Escritores de Romance Policial, Suspense e Terror (Aberst). Idealizada pela escritora Cláudia Lemes, a associação foi criada com o objetivo de unir escritores dos gêneros, fortalecê-los dentro do cenário literário atual, promover eventos de interação entre escritores, publishers, blogueiros e leitores, divulgar obras e novidades e criar uma premiação anual das melhores obras policiais, de suspense e terror do ano.

Escritora Claudia Lemes é fundadora e primeira presidente da associação | © Divulgação

Eleitos por um grupo de aproximadamente 60 autores, o Conselho da Aberst é formado por seis pessoas, entre elas a fundadora como presidente. Tito Prates (embaixador da Agatha Christie no Brasil e escritor), Fábio Fernandes (tradutor de obras icônicas de Ficção Científica e escritor) e Vítor Abdala (escritor de terror e membro da Horror Writers Association) são os conselheiros; Mário Bentes (Publisher da Lendari) é o secretário e Jhefferson Passos (escritor de terror), o tesoureiro.

Além disso, a associação já conta com Associados Honorários como o escritor Raphael Montes, os editores Pedro Almeida e Alessandra Ruiz e o escritor de terror Rubens Francisco Lucchetti.

Ao PublishNews, Pedro, que é também colunista do PublishNews, ressaltou a importância da associação e a mudança que o gênero sofreu nos últimos anos: “nos romances policiais mais resenhados até os anos 2000, havia menos ação e personagens mais filosóficos, bonachões, quando o bom do gênero está na ação, na agilidade e na arquitetura do mistério. Enfim, foi a época em que se vendeu o que a elite cultural quis consumir. Mas agora há espaço para o livro em que o conteúdo volta a ser mais importante que a forma. Uma retomada dos princípios do gênero, seja como Agatha Christie, Bram Stoker, G K Chesterton e Allan Poe”.

Os associados, que podem ser escritores publicados e independentes, editores, capistas, revisores, blogueiros, youtubers e qualquer pessoa envolvida com literatura, terão acesso a uma rede de apoio, com o intuito de divulgar seus livros e lançamentos.

Pedro Almeida é associado honorário da Aberst

Outra vantagem é que esses associados também poderão participar do programa de resenhas da ABERST, que conta com mais de 25 blogs e canais literários que resenharão as obras dos autores associados e terão seus trabalhos e biografias divulgados no site oficial da associação (ainda em construção), e serão convidados para participar de eventos.

Para ajudar na profissionalização de novos autores, a associação também oferecerá cursos e oficinas de escrita com descontos consideráveis para seus associados, que também serão isentos de taxas de inscrição para a participação da Premiação Anual Aberst de literatura, com sua primeira edição prevista para outubro deste ano. Com as inscrições para associados abertas há pouco mais de um mês, a Aberst já conta com 50 deles e pretende ainda fechar parcerias com editoras para facilitar o ingresso de seus autores associados ao mercado, oferecendo sua rede de divulgação em troca.