Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Abuso Sexual

Autor da saga Maze Runner é acusado de abuso sexual e perde seu agente

0

James Dashner, autor da saga Maze Runner.

Adolfo Molina, no Observatório do Cinema

James Dashner, autor da saga Maze Runner, que ganhou adaptações cinematográficas de sucesso, perdeu seu agente após alegações de abuso sexual.

Segundo informações do site The Hollywood Reporter, Michael W. Bourret, o agente e empresário de James confirmou que não irá mais representar o escritor, comentando: “Eu não poderia continuar trabalhando com James de consciência limpa, então eu o deixei ontem”.

Dashner foi acusado de assédio e comportamento inadequado no site da School of Library Journal. No mesmo blog, o autor de 13 Reasons Why também foi acusado, o que lhe custou sair da produção da série da Netflix, além de ter sido banido da Sociedade dos Escritores e Ilustradores de Livros Infantis na segunda (12).

Maze Runner: A Cura Mortal, terceiro e último filme da trilogia que adaptou os livros de Dashner estreou em janeiro de 2018.

Ex-aluno invade alojamento da USP, agride estudante e faz vários disparos

0

Vítima levou coronhada; moradores não foram atingidos em São Carlos, SP.
Suspeito, que denunciou ter sido vítima de abuso sexual em trote, fugiu.

1

Aluno invadiu alojamento e fez disparos no campus da USP de São Carlos (Foto: Maurício Duch)

Publicado por G1

Um ex-aluno da Universidade de São Paulo (USP) de São Carlos (SP) invadiu o alojamento do campus com uma arma, agrediu um estudante com coronhadas e fez vários disparos na noite desta quarta-feira (28). Ninguém foi atingido pelos tiros. O suspeito é o rapaz de 23 anos que denunciou ter sido vítima de abuso sexual durante um trote com veteranos, em março. Ele fugiu do local. A USP ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Disparo atingiu janelas de alojamento no campus da USP em São Carlos (Foto: Maurício Duch)

Disparo atingiu janelas de alojamento no campus
da USP em São Carlos (Foto: Maurício Duch)

De acordo com a Polícia Militar, o rapaz invadiu o alojamento armado e deu uma coronhada na cabeça de um estudante que mora no local. A vítima, que teria tentado conter o suspeito, foi socorrida e levada para a Santa Casa. O estado de saúde dele não foi divulgado.

Segundo testemunhas, o ex-aluno ainda fez vários disparos que acertaram as paredes e as janelas do alojamento, mas não atingiram ninguém. Alguns alunos disseram que ele dizia que queria vingança.

Em seguida, o rapaz fugiu e está sendo procurado pela Polícia Militar. Com medo, os moradores do alojamento saíram do local para dormir na casa de amigos. A Perícia Técnica foi ao local. A USP ainda não se pronunciou sobre o ocorrido.

Disparo atingiu janelas de alojamento no campus da USP em São Carlos (Foto: Maurício Duch)

Disparo atingiu janelas de alojamento no campus da USP em São Carlos (Foto: Maurício Duch)

O caso
Em entrevista ao G1 no dia 25 de abril, o rapaz, que cursava o 1º ano de ciências exatas, tinha decidido que desistiria do curso por estar sofrendo ameaças e discriminação. “Vou fazer o meu desligamento. Após esse constrangimento todo, não existe mais ambiente para estudar na USP. Vou ficar marcado e desmoralizado”, afirmou na ocasião.

O suposto abuso aconteceu no início da madrugada do dia 4 de março. Depois de uma reunião sobre as normas de funcionamento do alojamento onde conseguiu uma vaga, o rapaz entrou em uma área que dá acesso aos apartamentos, onde acontecia uma festa.

Segundo o estudante, um grupo foi até ele e começou a gritar. “Eles falavam repetidamente ‘chupa bixo’ e me cercaram, fizeram uma espécie de uma roda e não tive como sair dali. Eles aparentavam estar muito embriagados e se faziam de homossexuais, gritavam ‘bixo homofóbico’. Eu falava para não encostarem, mas três deles começaram a se esfregar em mim e chegaram a abaixar as calças. Um deles também abaixou a cueca. Eles pareciam ter prazer”, disse.

Os envolvidos dizem que tudo não passou de uma brincadeira durante um trote. O caso, que chegou a ser registrado pela Polícia Civil como estupro e foi alterado para injúria, teve a primeira audiência no dia 24 de abril no Fórum Criminal da cidade, mas não houve acordo ente os estudantes envolvidos.

Uma sindicância foi aberta pela USP, mas o resultado ainda não foi divulgado. Em maio, a Justiça pediu que a Polícia Civil levantasse mais testemunhas sobre caso, que ainda continua indefinido.

Professora descobre abuso sexual por desenho de aluna no sul da Bahia

0

“Fui perguntando o que ela estava desenhando e ela falando…”, descreve.
Suspeito era o responsável por levar e buscar vítima e irmãos na escola.

Publicado por G1

1Está preso na cidade de llhéus, no sul da Bahia, um homem de 57 anos suspeito de abusar de uma menina de cinco anos. Ele era conhecido da família e era responsável por levar e buscar a criança e seus dois irmãos na escola. A prisão foi realizada na segunda-feira (20).

Desconfiada, foi a professora quem percebeu a mudança de comportamento da menina na sala de aula. Depois de conversar com a criança e pedir para ela fazer um desenho, veio a confirmação do abuso sexual. “Ela estava fechada no ‘eu’ dela. Fui perguntando o que era aquilo que ela estava desenhando, e ela falando… ‘É isso aqui, isso daqui dele… Ele fez desse jeito…’ As partezinhas íntimas estavam com lesão mesmo”, descreve a professora Adilma Ramos.

Imediatamente, ela avisou o caso a uma tia da menina, que disse que também percebeu o problema e denunciou à polícia. “Ela falou que estava doendo muito e que tinha um tio que tinha mexido nela, na casa dele. Viemos diretamente na delegacia falar com a polícia. Todos os dias ele ia às 7h levar as crianças na escola e às 17h pegava e levava a criança diretamente para a casa dele. Quando era 20h, pegava e levava elas para a casa da mãe”, afirmou a tia.

O suspeito de praticar os abusos descritos foi preso em flagrante no bairro Hernani Sá, conhecido como Urbis, em Ilhéus, quando ia para o colégio buscar a garota.

A mãe das crianças informou que não desconfiou de nada. “Ele sempre foi muito lá em casa, todo mundo conhece, os vizinhos todos sabem, eu nunca tive problema com ele, não tem passagem, nada, os meninos já gostam dele, nunca chegaram para me falar nada”, disse a mãe.

A polícia investiga se o suspeito abusava os outros dois irmãos da garota – uma menina de 7 anos e um menino de 8. As três crianças já passaram por exames de corpo de delito. O resultado deve sair em 10 dias. O homem vai ser levado para o presídio Ariston Cardoso, situado em Ilhéus, e vai responder por estupro de vulnerável. A pena para este crime varia de oito a 15 anos de prisão.

As crianças estão com a mãe. Nesta terça-feira (21), membros do Conselho Tutelar vão se reunir com a família para apresentar um relatório ao Ministério Público. A polícia vai investigar se houve negligência por parte da mãe. Se for confirmada, ela pode responder por maus-tratos, abandono material ou por estupro de vulnerável, nesse caso, por omissão.

Go to Top