Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged adaptações cinemaográficas

Principais indicados ao Oscar têm tramas oriundas de livros

0
Eddie Redmayne e Alicia Vikander na adaptação de A Garota Dinamarquesa Foto: Fábrica 231 / Divulgação

Eddie Redmayne e Alicia Vikander na adaptação de A Garota Dinamarquesa Foto: Fábrica 231 / Divulgação

Títulos que inspiraram seis dos oito concorrentes a melhor filme estão disponíveis nas livrarias brasileiras

Carlos André Moreira, no Zero Hora

Nada menos do que seis, dos oito longas-metragens indicados a melhor filme no Oscar 2016, são inspirados em livros – ou em histórias reais que se tornaram conhecidas a partir de livros. Entre esses títulos, há de tudo: romances que ficcionalizam acontecimentos de anos (ou séculos) passados, como O Regresso e Ponte dos Espiões, histórias recentes sobre temas da realidade (A Grande Aposta) e até uma ficção científica (Perdido em Marte).

Somando os indicados em outras categorias importantes do maior prêmio da indústria do entretenimento (melhor ator, atriz ou direção), chegamos a 10 adaptações que têm origem na literatura. Todas as 10 ganharam lançamentos (ou relançamentos) recentes no Brasil, em parte com capas que incorporam imagens dos próprios filmes.

Leia, a seguir, um pouco sobre cada um desses livros, suas características fundamentais e as diferenças em relação aos filmes que inspiraram.

O Regresso
O romance de Michael Punke ficcionaliza uma história real, a do explorador e caçador de peles Hugh Glass, que, na primeira metade do século 19, durante uma expedição de caça pelas Montanhas Rochosas, foi atacado por um urso e abandonado pelos seus colegas de jornada. O livro não concentra tanto a atenção em Glass, como o faz o filme, criando um pano de fundo também para os homens de quem ele quer se vingar.
Tradução de Maria Dias. Intrínseca, 270 páginas
12 indicações, incluindo melhor filme

A Jogada do Século
O livro que deu origem ao longa A Grande Aposta foi lançado no Brasil em 2011, após seu autor, Michael Lewis, tornar-se um nome quente devido aos sucessos dos filmes Um Sonho Possível e Moneyball, também adaptados de livros seus. Jornalista, Lewis faz uma análise aprofundada dos bastidores da crise econômica de 2008 por meio do perfil dos principais personagens a lucrar com o colapso.
Tradução de Adriana Rieche, BestBusiness, 322 páginas
Cinco indicações, incluindo melhor filme

Perdido em Marte
Romance de Andy Weir lançado em 2011, faz a atualização sci-fi da bem conhecida narrativa do náufrago em um ambiente hostil. Narrado predominantemente em primeira pessoa pelos registros de bordo do astronauta Mark Watney, o livro é eficiente em manter um delicado equilíbrio entre humor, tensão e as necessárias explicações científicas para as soluções improvisadas pelo sobrevivente.
Tradução de Marcello Lino. Arqueiro, 336 páginas
Sete indicações, incluindo melhor filme

Uma Ponte Entre Espiões
O filme dirigido por Steven Spielberg não é uma adaptação oficial deste livro, e sim da história original a que ambos se referem. Mas neste volume estão as memórias do personagem real James B. Donovan, advogado recrutado pela CIA nos anos 1960 para defender o chefe de uma rede de espionagem nos EUA – e facilitar, assim, a troca do homem por um piloto norte-americano capturado pelos soviéticos.
Tradução de Alessandra Bonrruquer. Record, 490 páginas
Seis indicações, incluindo melhor filme

Quarto
O truque que Emma Donoghue realiza neste livro que deu origem a O Quarto de Jack é antigo, mas eficaz: narrar um mundo brutal pela voz da personagem mais inocente à disposição. Neste caso, Jack, um menino de cinco anos que nunca saiu do quarto em que nasceu. Sem nunca ter interagido com mais do que duas pessoas na vida, Jack se torna a esperança de fuga do cativeiro em que ele a mãe são mantidos por um sequestrador.
Tradução de Vera Ribeiro. Verus, 350 páginas
Quatro indicações, incluindo melhor filme

Brooklyn
O irlandês Colm Tóibin é autor de romances de feição clássica que mergulham em profundidade nas emoções de seus personagens. Esta ficção centra-se na jovem Eilis, que nos anos 1950 se muda da Irlanda para Nova York e aos poucos constrói uma vida que inclui um emprego e o amor por um jovem de origem italiana. Um retorno inesperado ao país natal, contudo, a deixa dividida entre a vida na Irlanda e nos EUA.
Tradução de Rubens Figueiredo. Companhia das Letras, 304 páginas
Três indicações, incluindo melhor filme

Carol
No final dos anos 1940, a jovem Therese conhece Carol, uma mulher mais velha por quem, para sua própria surpresa, se apaixona desesperadamente. Apesar das pressões que um amor como esse poderia esperar naquela época, ambas se aproximam até embarcar em uma jornada pelo interior dos Estados Unidos que é também uma busca pela possibilidade de se amarem. Um livro único na obra de Patricia Highsmith (1921 – 1995).
Tradução de Roberto Grey. L&PM, 300 páginas
Cinco indicações, incluindo melhor atriz, para Cate Blanchett

A Garota Dinamarquesa
O romance de estreia do autor David Ebershoff inspira-se na história real do pintor Einar Wegener (1882 – 1931), uma das primeiras transexuais a passar por uma cirurgia de mudança de sexo. O romance concentra-se na relação de Einar com sua mulher, Gerda, e nos efeitos para a relação entre ambos do processo pelo qual Einar reconhece sua verdadeira identidade de gênero, tornando-se Lili Elbe.
Tradução de Paulo Reis. Fábrica 231, 368 páginas
Quatro indicações, incluindo melhor ator, para Eddie Redmayne

Steve Jobs
Diferentemente da cinebiografia protagonizada por Ashton Kutcher, o filme estrelado por Michael Fassbender é roteirizado por Aaron Sorkin com base na biografia escrita por Walter Isaacson. Única biografia cujo trabalho de pesquisa foi autorizado pelo próprio Jobs quando ainda vivo, é considerado o mais completo relato até agora do homem que revolucionou a tecnologia.
Tradução de Denise Bottman, Pedro Maia Soares e Berilo Vargas. Companhia das Letras, 624 páginas
Duas indicações, incluindo melhor ator, para Michael Fassbender

Trumbo
Biografia do roteirista Dalton Trumbo (1905 – 1976), tão conhecido pelo seu trabalho em clássicos como A Princesa e o Plebeu (1953), Spartacus (1960) e Johnny Vai à Guerra (1971), que também dirigiu, como por sua trajetória política. Integrante do Partido Comunista, ele foi perseguido pela histeria do macarthismo e teve que trabalhar com pseudônimos. O livro de Bruce Cook (1932 – 2003) é de 1977, e sai agora devido ao Oscar.
Tradução de Catharina Pinheiro. Intrínseca, 368 páginas
Uma indicação, de melhor ator, para Bryan Cranston

10 filmes baseados em livros que estreiam em 2016

0

Wilson Rocha, no Poltrona Nerd

Como 2015 já está acabando, resolvemos publicar 10 filmes que são baseados em livros e que tem previsão de estreia para 2016. Confira nossa lista:

1. A 5ª Onda

poltrona-a-5-onda-filme

Depois da primeira onda, só restou a escuridão. Depois da segunda onda, somente os que tiveram sorte sobreviveram. Depois da terceira onda, somente os que não tiveram sorte sobreviveram. Depois da quarta onda, só há uma regra: não confie em ninguém. Agora inicia-se A QUINTA ONDA.

Direção: J Blakeson
Elenco: Chloë Grace Moretz, Maika Monroe e Liev Schreiber
Estreia no Brasil: 04 de fevereiro de 2016
Trailer: Assista aqui

2. A Escolha

poltrona-a-escolha-nicolas-spark-filme-367x550

Travis Parker possui tudo o que um homem poderia ter: a profissão que desejava, amigos leais, e uma linda casa beira-mar na pequena cidade de Beaufort, Carolina do Norte. Com uma vida boa, seus relacionamentos amorosos são apenas passageiros e para ele, isso é o suficiente.

Direção: Ross Katz
Elenco: Alexandra Daddario, Teresa Palmer e Maggie Grace
Estreia no Brasil: 04 de fevereiro de 2016
Trailer: Assista Aqui

3. Orgulho Preconceito e Zumbis

poltrona-orgulho-preconceito-e-zumbis-filme-371x550

Inglaterra, século XIX. Uma misteriosa praga espalha zumbis por todos lados, mas Elizabeth Bennet (Lily James), especialista em artes marciais e no manuseio de armas, está preparada para enfrentar os piores mortos-vivos. O que a incomoda de verdade é ter que conviver e lutar ao lado do arrogante Sr. Darcy.

Direção: Burr Steers
Elenco: Lily James, Lena Headey e Charles Dance
Estreia no Brasil: 4 de fevereiro de 2016
Trailer: Assista Aqui

4. Como Ser Solteira

poltrona-como-ser-solteira-filme-371x550

Alice (Dakota Johnson) acabou de sair de um relacionamento e não sabe muito bem como agir sem outra metade. Para sua sorte, ela tem uma animada amiga (Rebel Wilson) especialista na vida noturna de Nova York, que passa a ensiná-la como ser solteira.

Direção: Christian Ditter
Elenco: Dakota Johnson, Alison Brie, Leslie Mann e Rebel Wilson
Estreia no Brasil: 3 de março de 2016
Trailer: Assista Aqui

5. Alice Através do Espelho

poltrona-Alice-Através-do-Espelho-385x550

Sequência de Alice no País das Maravilhas, sucesso de 2010 dirigido por Tim Burton e adaptado dos livros de Lewis Carroll.

Direção: James Bobin
Elenco: Johnny Depp, Anne Hathaway e Alan Rickman
Estreia no Brasil: 27 de maio de 2016
Trailer: Assista Aqui

6. Inferno

poltrona-inferno-filme

Neste novo e fascinante thriller Dan Brown retoma a mistura magistral de história, arte, códigos e símbolos que o consagrou em O código Da Vinci, Anjos e demônios e O símbolo perdido e faz de Inferno sua aposta mais alta até o momento.

No coração da Itália, Robert Langdon, o professor de Simbologia de Harvard, é arrastado para um mundo angustiante centrado em uma das obras literárias mais duradouras e misteriosas da história: O Inferno, de Dante Alighieri.

Numa corrida contra o tempo, Langdon luta contra um adversário assustador e enfrenta um enigma engenhoso que o arrasta para uma clássica paisagem de arte, passagens secretas e ciência futurística. Tendo como pano de fundo o sombrio poema de Dante, Langdon mergulha numa (mais…)

Franquia Jogos Vorazes pode ganhar ainda mais filmes!

0

Publicado na Folha Vitória

Se você ainda não terminou de enxugar as lágrimas pelo fim da franquia Jogos Vorazes pode se preparar para comemorar: ainda existem chances de a saga voltar – tudo bem que não com Katniss, Peeta e Gale.

Afirmação foi feita pela vice-presidente da Lionsgate, produtora responsável pelo longa Foto: Agência Estrelando

Afirmação foi feita pela vice-presidente da Lionsgate, produtora responsável pelo longa
Foto: Agência Estrelando

 

Isso mesmo, de acordo com o Hollywood Reporter, Michael Burns, vice-presidente da Lionsgate, produtora responsável pelo longa, afirmou que a franquia ainda vai viver por muito tempo:

– A única coisa que as crianças dizem ter sentido falta dos primeiros filmes de Jogos Vorazes foram as arenas. Se formos mais para trás na história, obviamente teriam arenas [as competições mostradas nos longas não mostravam as arenas que eram citadas nos livros narrando edições anteriores dos Jogos].

Filmes baseados em livros que vão estrear em 2016

0

Conheça trailer de filmes e resenhas de alguns livros que serão adaptados para o cinema e serão lançados no ano que vem.

Publicado no Blasting News

Filmagens de 'Como eu era antes de Você'

Filmagens de ‘Como eu era antes de Você’

Com o fim da temporada de estreias de filmes baseados em livros em 2015, é hora de listar os filmes que vão estrear em 2016. Se as adaptações repetirem a qualidade e o sucesso dos filmes que estrearam este ano, não vão faltar motivos para ir ao cinema no ano que vem.

Alguns dos filmes baseados em livros que estrearam em 2015 foram: Jogos Vorazes A Esperança – O Final, Cinquenta Tons de Cinza, Para sempre Alice, Simplesmente Acontece, Insurgente, Cidades de Papel, Maze Runner: Prova de Fogo, No Coração do Mar, Lugares Escuros, Victor Frankenstein e Perdido em Marte.

Conheça alguns filmes que vão estrear ano que vem e seus trailers – as produções que não têm trailer estão acompanhadas da resenha do livro. Para quem gosta de ler o livro antes de assistir ao filme ainda está em tempo.

 

 

A 5ª Onda (15 de janeiro)

O livro é de autoria de Rick Yancey e é o primeiro da série de mesmo nome. O Mar Infinito, continuação da série também já foi lançada. Estrelando A 5ª Onda estão Chloë Grace Moretz (Cassie), Liev Schreiber e Maika Monroe.

Como Eu era Antes de Você (4 de março)

A autora do livro, Jojo Moyes, também escreveu o roteiro do filme. O livro ganhou uma sequência, After You, que será lançado no Brasil em 2016. Lou Clark e Will serão interpretados por Emilia Clarke e Sam Claflin.

A Garota no Trem (7 de outubro)

Livro de estreia de Paula Hawkins, tem Emily Blunt como a protagonista da adaptação.

Convergente (18 de março)

O terceiro e último livro da série Divergente, de Veronica Roth, promete ser melhor que o segundo da série – que decepcionou os leitores da mesma. Shailene Woodley e Theo James são os protagonistas do filme.

A Escolha (5 de fevereiro)

A adaptação do livro de Nicholas Sparks tem no elenco Benjamin Walker, Teresa Palmer e Tom Welling.

Inferno (14 de outubro)

Uma das adaptações mais aguardadas pelos fãs de Dan Brown, (mais…)

“O Hobbit”, de J.R.R. Tolkien, completa 78 anos

0

Publicado no Boa Informação

Se você não passou a última década e meia desligado do mundo, é bem provável que já tenha ouvido falar em O Senhor dos Anéis. A história foi levada ao cinema por Peter Jackson e virou uma trilogia de enorme sucesso, renovando o interesse em torno das criações do autor da história original, o sul-africano J.R.R. Tolkien.

Contudo, antes de publicar a obra em que Frodo era incumbido da difícil tarefa de levar o Um Anel até os vulcões de Mordor a fim de destrui-lo, Tolkien fez sucesso com uma outra publicação: O Hobbit, livro que chegou às prateleiras da Grã-Bretanha em 21 de setembro de 1937, há 78 anos.

Sucesso imediato, O Hobbit conquistou o público e a crítica ao contar a história de uma criatura de tamanho diminuto, preguiçosa, comilona, porém muito astuta e valente. O título do livro fazia referência à raça do humanoide, que atendia pelo nome de Bilbo Bolseiro e vivia no Condado.

Há quase oito décadas, Tolkien lançava o livro que começaria a marcar seu nome na história da literatura mundial. Atualmente, sem nunca ter saído de moda, O Hobbit virou trilogia cinematográfica, jogo de videogame, jogo de tabuleiro e ainda continua a conquistar novos fãs.

Ilustração de Tolkien mostra a colina do Condado. (Foto: Reprodução/Espólio de J.R.R. Tolkien)

Ilustração de Tolkien mostra a colina do Condado. (Foto: Reprodução/Espólio de J.R.R. Tolkien)

“Num buraco no chão vivia um hobbit”

Todo o universo que serve de pano de fundo para as suas histórias já vinha sendo criado desde 1917. Grande entusiasta de contos de fada e lendas, Tolkien escrevia contos e poemas situados naquele mesmo ambiente. Foi no começo dos anos de 1930, porém, que ele começa a trabalhar na ideia de O Hobbit.

Professor de anglo-saxão na Faculdade de Pembroke, na Universidade de Oxford, certa vez Tolkien teve uma inspiração repentina enquanto analisava documentos de estudantes que tentavam ingressar na instituição. Ao ver uma página em branco, ele escreveu “Em um buraco no chão vivia um hobbit”.

Nos anos seguintes, ele se dedicou à construção da história, que estaria pronta já em 1932. Então, enviou o rascunho para a apreciação de vários amigos, entre eles o também escritor britânico C. S. Lewis, autor de As Crônicas de Nárnia, que se empolgaram com a leitura e incentivaram a sua publicação.

Sala de entrada da casa de Bilbo. (Foto: Reprodução/Espólio de J.R.R. Tolkien)

Sala de entrada da casa de Bilbo. (Foto: Reprodução/Espólio de J.R.R. Tolkien)

Coleção de influências e inspirações

De modo geral, tanto a obra completa do autor quanto O Hobbit, falando de forma mais específica, receberam pesada influência de outras correntes artísticas. O pintor e escritor britânico William Morris e o seu Movimento das Artes e Ofícios, com suas composições de paisagens e abordagens literária, está entre as principais influências.

Falando de forma mais ampla, também não somente O Hobbit, mas toda a obra de Tolkien tem uma influência pesada da antiga literatura anglo-saxã e da cultura nórdica, com seus mitos e lendas. Os compêndios Edda, de poesia e prosa nórdicas, estão presentes na forma em que a história é contada e, além disso, a concepção da fauna e da flora e até mesmo os nomes dos personagens do livro também trazem a mesma fonte de inspiração.

Há quem veja ainda paralelos entre a história de Tolkien e a obra Viagem ao Centro da Terra, do escritor francês Julio Verne — como a questão das mensagens rúnicas e também o próprio conceito de uma longa jornada rumo ao desconhecido em busca de um objetivo.

Além de tudo isso, autores como os Irmãos Grimm, Samuel Rutherford Crockett e George MacDonald’s, bem como textos religiosos do cristianismo, em especial a história do povo hebreu, também são apontados como influências. Até mesmo a experiência pessoal de Tolkien com os eventos da Primeira Guerra Mundial é indicada como inspiração.

Mapas e ilustrações

Tolkien era conhecido por ser perfeccionista — tanto é que é comum ver as explicações de seu filho Christopher a respeito do receio que ele tem de publicar os rascunhos inacabados de seu pai —, então, era de se esperar um grande envolvimento seu nas várias fases de concepção e publicação de uma obra. (mais…)

Go to Top