Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Alan Moore

Alan Moore, de ‘V de vingança’ e ‘Watchmen’, anuncia aposentadoria dos quadrinhos

0
O quadrinista e roteirista Alan Moore - Reprodução

O quadrinista e roteirista Alan Moore – Reprodução

 

Autor pretende dedicar-se ao cinema e a literatura

Publicado em O Globo

RIO – Mestre dos quadrinhos, Alan Moore está dando adeus à arte que o consagrou. O roteirista, que deu ao mundo obras como “Batman: A piada mortal”, “V de vingança” e “Watchmen”, anunciou que vai parar de escrever HQs para tentar os tais “novos desafios”.

Em entrevista ao jornal britânico “The Guardian”, em que divulga o romance “Jerusalem”, Moore afirmou que ainda tem “umas 250 páginas de quadrinhos para fazer”, e depois está oficialmente aposentado da arte sequencial.

“Acho que eu já fiz o bastante de quadrinhos. Já fiz tudo o que eu podia. Acho que se eu fosse continuar a trabalhar com isso, as ideias inevitavelmente iriam sofrer, vocês começariam a me ver como um pneu velho reutilizado. Você e eu provavelmente merecemos algo melhor que isso”, disse.

Além de quadrinista, Moore é romancista, roteirista, cartunista, músico e mágico. Seu plano é focar no seu trabalho literário e no cinema. Há algum tempo, ele vem externando seu desejo de passar o bastão para uma nova geração de quadrinistas. Segundo Moore, a decisão veio quando ele percebeu que se sentia “muito confortável” com o meio.

“As coisas que me interessam no momento são as coisas que eu não sei se consigo fazer, como filmes, que eu não faço ideia do que estou fazendo, ou romances gigantescos. Coisas que eu não tenho certeza de que tenho vigor para ir até o fim”, disse ele. “Não preciso provar nada para mim mesmo ou a ninguém. Eu sempre vou reverenciar os quadrinhos, é um meio maravilhoso. Mas esses outros campos são mais empolgantes para mim”.

A aposentadora, no entanto, não será imediata:

“Ainda estou fazendo algumas edições de um livro da Avatar, parte de uma obra do HP Lovecraft em que eu tenho trabalhado recentemente. Kevin O’Neil e eu estamos finalizando ‘Cinema purgatorio’ e temos um outro livro, um livro final do ‘League of extraordinary gentlemen’ para completar. Depois disso, embora eu possa fazer pequenas obras em algum momento do futuro, eu vou parar com os quadrinhos”.

Quadrinista Alan Moore termina seu segundo romance, ‘Jerusalem’

0
Os autores Alan Moore e Melinda Gebbie

Os autores Alan Moore e Melinda Gebbie. Divulgação

Publicado na Folha de S.Paulo

O escritor e quadrinista Alan Moore, autor de obras como “Watchmen”, “Batman – A Piada Mortal”, “Do Inferno” e “V de Vingança”, anunciou pelo Facebook que terminou de escrever seu livro.

Sua filha, Leah, escreveu mensagem na página do artista dizendo que “agora só falta editar um documento de mais de 1 milhão de palavras”.

A obra se chama “Jerusalem” e é o segundo romance de Moore —o primeiro, “A Voz do Fogo”, saiu em 1996.

O escritor está trabalhando no livro desde 2006 e já chegou até a fazer leituras públicas de capítulos.

A trama conta a história da cidade natal de Moore na Inglaterra, Northampton, cobrindo eventos históricos e a trajetória da família do escritor —mas também tem pitadas de fantasia.

Há rumores, por exemplo, de que uma das partes do livro fala sobre uma viagem do irmão de Alan Moore a uma outra dimensão.

Segundo o site “The Verge”, o fato de que “Jerusalem” tem 1 milhão de palavras equivale a mais de dois livros da saga “O Senhor dos Anéis”, de J. R. R. Tolkien, e a três livros de “As Crônicas de Gelo e Fogo”, de George R. R. Martin.

Ainda não há previsão de publicação para “Jerusalem”.

15 livros “perigosos” para manter longe das manifestações

0
Divulgação/L&PM

Divulgação/L&PM

Publicado por UOL

Após os protestos explodirem no Brasil inteiro, a polícia do Rio de Janeiro se envolveu em uma polêmica ao fazer a busca e apreensão na casa de um jovem de 21 anos, suspeito de ter praticado vandalismo durante uma manifestação. A polícia saiu da casa do rapaz com facas, martelos e o livro “Mate-me Por Favor”, clássico sobre a história punk escrito por Legs McNeil e Gillian McCain. De acordo com o jornal “Folha de S. Paulo”, o delegado que cuidava do caso afirmou: “[O livro foi apreendido] para demonstrar a ideologia dele frente a nação brasileira, de defesa da anarquia”. Em um post aberto, o dono da editora L&PM, Ivan Pinheiro Machado, que publicou a obra, afirmou: “Um delegado que não serve a uma ditadura e apreende um livro é porque tem a vocação do autoritarismo. E nenhum respeito por um livro”. O UOL listou 15 livros e HQs que podem ser considerados “perigosos” por sua ironia, conteúdo ou título – afinal, todo cuidado é pouco para quem os carrega na mochila nesses dias intensos.

Reprodução

Reprodução

“V de Vingança”, de Alan Moore. Série em HQ criada por Alan Moore e em grande parte desenhada por David Lloyd. A história se passa no Reino Unido, quando um misterioso revolucionário tenta destruir o governo através de ações diretas. Virou filme em 2006 com Natalie Portaman. Mas a essa altura até sua avó reconheceria a máscara do Guy Fawkes que estampa a capa.

Reprodução

Reprodução

“Manual do Guerrilheiro Urbano”, de Carlos Marighella. Escrito em 1969 pelo guerrilheiro e um dos principais organizadores da resistência contra a ditadura militar no Brasil, circulou, principalmente na época do regime, em versões mimeografadas, por vezes até com uma capa. Na obra, Carlos defendeu métodos a serem empregados pelos revolucionários brasileiros. A obra pode ser encontrada facilmente na internet. Mesmo se for um xerox para a aula de história do Brasil, é bom esconder.

Reprodução

Reprodução

“Como Montar uma Mulher Bomba”, de Luciana Pessanha. Um livro sobre embates amorosos, o que fica evidente na mensagem estampada na capa: “Manual Prático para Terroristas Emocionais”. Mas vai que alguém te reviste, ache o livro e não termine a frase…

Reprodução

Reprodução

“O Capital”, de Karl Marx. Um marco do pensamento socialista marxista, “O Capital” é um conjunto de livros que critica o capitalismo. E sempre está na bibliografia em cursos como sociologia, filosofia e teoria política. Em uma manifestação, deixe-o em casa. Até porque, pelo tamanho, pode funcionar mesmo como arma.

Reprodução

Reprodução

“Clube da Luta”, de Chuck Palahniuk. A história de um “homem comum” que reage com agressividade autodestrutiva rendeu filme cult, dirigido por David Fincher em 1999. E nem precisa ler o livro até o final para saber que se trata de uma história anarquista até o talo. (mais…)

Go to Top