Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Alta

Stephen King está em alta com novo livro, HQ e relançamentos

1

Publicado no Estadão

Nesta segunda, 16, chega às lojas Belas Adormecidas, novo livro de Stephen King. Escrito em parceria com o filho caçula, Owen, a obra é lançada em um dos momentos de maior popularidade em sua carreira – que sempre esteve em alta com clássicos marcantes na literatura e adaptados para o cinema, como O Iluminado e Carrie.

1507934885166

O momento tão pop é por conta do filme It – A Coisa, baseado no livro de 1986, que estreou em setembro e quebrou o recorde de bilheteria para longa de terror. Só no Brasil, como efeito do longa, o livro teve aumento de vendas de 290%, entre janeiro e setembro de 2017, em comparação ao mesmo período do ano passado, segundo a editora Suma de Letras, que publica a obra no País. Ao todo, livros de King na Suma também tiveram aumento nas vendas de 40% nos mesmos períodos.

Próxima aposta, o lançamento de Belas Adormecidas será simultâneo com os EUA, algo nem sempre possível para o mercado brasileiro. “Tivemos um prazo pequeno, de três meses, precisei de uma dedicação maior”, diz a tradutora Regiane Winarski, fã do autor que já traduziu outras sete obras dele, como o próprio It e Joyland.

Críticas como a do New York Times não aprovaram a parceria entre Stephen e Owen – “prosa irreconhecível”. Winarski diz não ter estranhado, mas admite que pode ser perceptível o peso da escrita a quatro mãos. Ela confessa também que o novo livro não é o tradicional King. “Já traduzi outros livros de parceria em que senti mais a diferença, mas dá para ver que há mais alguém ali.” Para a tradutora, o que mais chamou sua atenção foi um King “bonzinho”. “Ele às vezes é muito cruel com os personagens, mata sem pena, mas nesse não está tão sangrento.”

Já acostumada com a escrita do autor, Winarski revela que o principal desafio sempre é adaptar para o português a linguagem coloquial e cheia de palavrões. Outro tradutor de King, Érico Assis, concorda. “Ele tem um jeito particular de usar adjetivos de ênfase e também palavrões, que acaba caracterizando e dizendo muito sobre cada personagem”, explica.

É de Érico a tradução de Creepshow, que chega às lojas no fim de outubro pela editora Darkside. A obra é uma graphic novel criada em 1982 pelo ilustrador Bernie Wrightson com base no roteiro do filme de mesmo nome, escrito e estrelado por King, que reúne alguns contos de terror do autor.

Além de ter que fazer jus ao texto, a versão brasileira chega pouco tempo após a morte de Wrightson, em janeiro. “Honra e desafio”, define Assis. “Como em qualquer tradução de HQ, tenho que me ater a palavras e desenhos, entender como se relacionam no original”, explica. “Fiz isso em Creepshow, mas como havia mais texto do que num quadrinho contemporâneo, minha atenção maior foi ao estilo, que misturam tom de gibi das antigas e prosa stephenkinguiana.”

Para celebrar os 70 anos de King, completados em 21 de setembro, a Darkside relançou ainda o livro Stephen King – A Biografia: Coração Assombrado, de Lisa Rogak, numa edição especial para colecionadores.

Bispo ameaça roubar o brilho das estrelas

0

Alta nas vendas, empate na vice-liderança do ranking das editoras e promoções marcam o início de dezembro na lista

Cassia Carrenho, no PublishNews

1Black Friday, décimo terceiro, o espírito (consumista) natalino ou muitos lançamentos? Uma junção de tudo resultou numa semana com muitos números. Comparada com a lista geral da semana passada, a atual cresceu quase 55%. Na semana passada foram 133.847 exemplares vendidos, nessa semana foram 207.351. Nada a perder v.3 (Planeta), primeiro lugar isolado, e que nessa semana vendeu 115.157, ajudou muito, mas mesmo desconsiderando suas vendas nas duas semanas, ainda tivemos um aumento de mais de 25% na lista geral.

No ranking das editoras, a disputa foi lance a lance. Em primeiro lugar, com 12 títulos, ficou a Sextante. Mas, logo atrás, com dez, tivemos um empate entre quatro editoras: Companhia das Letras, Intrínseca, Novo Conceito e Record. Contabilizando os livros do grupo Companhia-Objetiva, ficaria em segundo lugar, com onze.

A Novo Conceito recebeu uma ajuda de seis livros de Nicholas Sparks na lista de ficção, que já não apareciam há algum tempo, e do O desafio de ferro, da série Magisterium, que entrou na lista pela primeira vez.

Na lista anual, a vitória que era praticamente garantida do livro A culpa é das estrelas (Intrínseca), começa a ser ameaçada. Até essa semana o livro soma 632.201 exemplares vendidos em 2014. Nada a perder v.3 (Planeta) chegou a 545.913, e se manter o padrão da última semana, pode levar o caneco de ouro. Por essa o céu na esperava.

Outra disputa na lista anual era entre Destrua este diário (Intrínseca) e Ansiedade (Saraiva). Nessa semana Ansiedade passou de vez, e deve levar o terceiro lugar na disputa anual.

Escritor Ariano Suassuna tem alta após infarto

0

Publicado por Folha de S.Paulo

O escritor e dramaturgo paraibano Ariano Suassuna, 86, que sofreu um infarto no último dia 21, recebeu alta nesta terça-feira (27) no Recife.

Segundo boletim médico divulgado pelo Real Hospital Português e assinado pelo cardiologista Sérgio Montenegro, ele continuará o tratamento em casa, onde deve “permanecer em repouso por mais 40 dias”.

Autor de do “Romance d’A Pedra do Reino” e de clássicos do teatro nacional como “O Auto de Compadecida”, “O Santo e a Porca” e “A Pena e a Lei”, o paraibano Suassuna vive no Recife desde 1942 e é assessor especial do Governo de Pernambuco.

O escritor Ariano Suassuna durante aula-espetáculo na abertura da Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto, no Theatro Pedro 2º / Silva Junior - 6.jun.13/Folhapress

O escritor Ariano Suassuna durante aula-espetáculo na abertura da Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto, no Theatro Pedro 2º / Silva Junior – 6.jun.13/Folhapress

Mais fotos aqui

dica do João Marcos

Estudantes constroem torre de Lego mais alta do mundo nos EUA

0

Com 40 metros de altura e cerca de 500 mil peças, contrução recebeu certificado do Guinnes World Record

Publicado em O Globo

A torre de Lego erguida em Red Clay, Delaware, EUA Reprodução do Facebook

A torre de Lego erguida em Red Clay, Delaware, EUA Reprodução do Facebook

RIO – Estudantes e professores do distrito de Red Clay, em Delaware, nos EUA, quebraram um recorde ao construir a torre de Lego mais alta do mundo.

Depois de meses de muito trabalho, que envolveu até um guindaste, a comunidade escolar local recebeu o certificado do Guinness World Record ao erguer uma torre de quase 40 metros de altura, o equivalente a um prédio de 11 andares, com cerca de 500 mil peças de Lego.

Para alcançar quebrar o recorde anterior, que havia sido atingido na cidade de Praga, República Tcheca, na Europa, os alunos de todas as escolas de Red Clay abriram mão de seus meses de férias. Eles circularam por toda a cidade e arredores coletando peças de Lego de porta em porta, e até realizaram uma campanha na mídia local e nas redes sociais para reunir doações e, assim, viabilizar um sonho de verão que pesa cerca de 1 tonelada.

As 6 melhores e piores formas de instigar os seus alunos

1

Há muitas teorias de o que funciona e o que não funciona nas salas de aulas. A seguir, saiba o que realmente ajuda os seus alunos

Publicado por Universia Brasil

Crédito: Shutterstock.com

Crédito: Shutterstock.com

Fazer trabalhos em grupo não é garantia de sucesso

John Hattie, professor da Visible Learning, reuniu mais de 5.000 estudos sobre estudantes e os estímulos que os professores costumam dar a eles. Hattie chegou à conclusão de que nem tudo que parece funcionar realmente funciona. A seguir, veja o que pode estimular os seus alunos de verdade e o que é somente perda de tempo:

O que funciona

1 – Credibilidade do professor
Alunos que acreditam na capacidade do professor ficam mais dispostos a aprender. Portanto, demonstre a sua competência e também deixe claro que você está aberto a críticas construtivas.

2 – Feedback
Dar feedbacks honestos e pessoais aos seus alunos dá a sensação de que você realmente se preocupa com o desenvolvimento deles. Faça tanto elogios quanto críticas. Procure o timing perfeito para o aluno receber o feedback da melhor forma possível.

3 – Respeite a visão do aluno
Se o aluno acha que a nota foi injusta, escute e tente entender o lado dele. Muitas vezes, o estudante cria uma expectativa muito alta e a decepção o desestimula para estudar mais vezes. Se ele realmente errou, explique o erro e mostre como na próxima vez ele pode se dar bem.

4 – Lidar bem com a sala
Professores que demonstram confiança para lidar com os alunos criam um ambiente confortável para todos. Seja rápido ao solucionar problemas em potencial, mas sem ser duro demais.

5 – Vida pessoal
A vida pessoal tem um impacto muito grande na vida dos estudantes. Não menospreze os problemas pessoais dos seus alunos, e tente ajudar na medida do possível. Em reunião de pais, estimule-os a ajudar seus filhos nas lições de casa e motivá-los a ir à escola. Motivação vinda de casa tem um efeito muito positivo.

6 – Aprendizagem cooperativa
Estudantes aprendem muito melhor quando estudam juntos. Esse tipo de estudo também os estimula a interagir com os outros alunos e a solucionar problemas de forma mais fácil.

O que não funciona

1 – Lição de casa
Lições de casa, no geral, não estimulam os alunos a estudar mais. Tente encontrar outras formas de que o estudante reveja o conteúdo em casa, como filmes ou livros paradidáticos.

2 – O tamanho da classe
Muitos dizem que classes pequenas facilitam o ensino, mas isso não é verdade. O aprendizado depende quase que exclusivamente do professor, e não do tamanho da sala.

3 – Programas extracurriculares
Atividades extracurriculares não estimulam os alunos, ao contrário: deixa-os mais cansados. Ao invés de obrigar os alunos a fazer educação física, deixe um tempo livre para eles irem à biblioteca, ou mesmo conversar com os amigos. Dessa forma, eles decidem qual é a melhor forma de relaxar o cérebro.

4 – Gênero
Muitas escolas acreditam que alunos de sexos diferentes têm jeitos diferentes de aprender, mas isso não é verdade. Foi comprovado que tanto homens quanto mulheres conseguem absorver o mesmo tipo de informação, com a mesma velocidade e facilidade.

5 – Aulas em locais abertos
Não há nenhuma melhora visível entre alunos que tiveram aulas em locais abertos e fechados. Os resultados das avaliações foram basicamente os mesmos, e as diferenças não foram baseadas pelo local da classe.

6 – Trabalho em grupo
Fazer trabalhos em grupo não é garantia de sucesso. Se for muito importante que o aluno realmente entenda aquele assunto, é melhor pedir um trabalho por pessoa.

Go to Top