Alzira Siqueira de Souza lutou para melhorar a educação no município.
“Batalhei, batalhei, batalhei até quando me aposentei”, diz aniversariante.

captura_de_tela_inteira_27072015_152006

Publicado no G1

A professora Alzira de Souza Siqueira recebeu neste domingo (26) uma grande homenagem em Tapiratiba (SP). Ela completou 100 anos e a festa de aniversário foi realizada na Praça da Concha Acústica com direito a discurso, moda de viola e a presença de ex-alunos e discípulos.

Primeira mulher a aprender a dirigir na cidade, ela chegou à comemoração na garupa de uma moto e relembrou no evento sua luta pela educação no município, para onde se mudou em fevereiro de 1942.

“Não fiz com interesse. Eu fiz por necessidade. Tinha quatro classes só a escola”, contou. “Não tinha vaso sanitário, não havia água encanada, puxavam a água no poço, era um sacrifício tremendo. Quatro classes. Pois eu batalhei, batalhei, batalhei até quando me aposentei e aí tinha até ginásio”, relatou orgulhosa.

Lúcida e ativa, ela disse que seu segredo é dividir o que tem de melhor com aqueles que precisam.

“Eu não tenho tempo de falar da vida alheia. Eu só tenho tempo de cuidar das vidas alheias que necessitam”. E completou: “O meu coração é assim, um coração aberto, aberto para o bem, o bem de todo mundo. Eu não distingo classe, nem cor, nem situação financeira. Todo mundo para mim tem o mesmo valor”.

Parabéns
Na hora do “parabéns”, 99 integrantes de entidades e associações acenderam e seguraram as velas, apagadas com um grande “Viva a dona Alzira”.

“Ela continua com todo aquele idealismo que ela tem, colaborando com as entidades, fazendo parte e praticamente é a história viva da nossa cidade”, justificou o secretário de Cultura, Márcio Kitano. “A dona Alzira é uma pessoa muito especial para nós aqui de Tapiratiba”, completou o morador Luiz Carlos Araújo.

“Para a gente foi uma homenagem maravilhosa. Uma porque ela foi nossa diretora, para a gente é uma honra”, disse a professora Cleonete Zimak.

“Ela foi um modelo que a gente procurou seguir nesse tempo todo”, finalizou a professora aposentada Maria Petruci, que se inspirou em dona Alzira. “Desde pequenininha eu queria ser professora e ela ajudou a aumentar minha vontade”.